O cuspo de vida

Passos Coelho gastou saliva ao declarar que se deve fazer tudo o que estiver ao nosso alcance para salvar vidas, desde que não seja caro. Ainda teve tempo para segregar uma preocupação diplomática com os doentes de hepatite C, que não estão a ser tratados porque o Estado português fará tudo o que estiver ao seu alcance para lhes salvar a vida, na condição de que fique a preços acessíveis.

A propósito do mesmo assunto, Passos Coelho babou umas instruções sobre o modo como os jornalistas deverão noticiar os casos daqueles que irão morrer porque governos e farmacêuticas existem para garantir lucros de empresas.

Tendo em conta o valor das metáforas, e já que andamos pelas glândulas salivares, um político que reduz o custo de uma vida a cuspo não passa de um escarro.

Comments


  1. Espero que nunca calhe ter esta doença a uma filha dele e o aborto não tenha de escolher entre a filha e a poupança do vil metal.
    Este passos (minúscula propositada) mete nojo a qualquer ser decente!


  2. O senhor passos coelho não consegue desiludir-me. Porquê? Porque nunca me iludiu. Um fulano que nunca desempenhou um cargo por mérito próprio; que sempre subiu à custa de um encosto; que passou a vida a colar cartazes na JSD… Vamos esperar o quê, da parte da criatura? Depois, ainda acha que pode dar conselhos a reformados «piegas» que passaram uma vida a trabalhar. É insultuoso. Mais insultuoso é saber que ele está no poder não por assalto, mas porque o nosso povo assim o quis. Não sei o que mais me irrita: se a medíocre criatura, se o povo, o mesmo que levou o senhor silva à presidência da República.


  3. Seria interessante aparecer mais que post com argumentos primários a discutir este assunto importante. A demagogia é mesmo prejudicial para os cidadãos. Mesmo em ano de eleições

    • António Fernando Nabais says:

      Se é primário, dificilmente será argumento. De qualquer modo, não tenho nenhum argumento para quem diz as barbaridades que diz Passos Coelho. Tenho, até, alguns vocábulos e expressões muito mais coloridos.

Trackbacks


  1. […] governo que “salvou o SNS” continua igual a si próprio. Inútil e incompetente. O escarro metafórico do António Fernando Nabais. Ou será que é o monte de merda? Descubram mais nos próximos […]


  2. […] se arranjou o medicamento, porque, embora o Estado deva fazer tudo para salvar vidas, mas não a todo o custo, depois do escândalo que aconteceu, seria muito mau que mais pessoas morressem sem tratamentos. […]

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.