Êxodo de treta

10013357_775994149160641_4398791705130787639_n
O absurdo apelo de Benjamin Netanyahu para que todos os judeus do mundo fossem viver para Israel, não é só demencial; traduz a expectativa, muito em voga, que nos vê a todos como idiotas. Com esta patranha, o governante israelita quer fazer passar a ideia de que todos os judeus são sionistas e, portanto, solidários com todos os desmandos que por lá se fazem.

Para além dos imperativos da realidade física – eles não cabiam todos lá…-, talvez seja útil lembrar o governo Israelita que os judeus da Diáspora têm, há muitas gerações, as suas próprias pátrias, elas próprias muito mais reais que a ficção que era Israel enquanto país. E o facto dessas pátrias os terem tratado, em muitos momentos da História, com a violência que conhecemos, nada tem a ver com a existência ou inexistência de Israel, nada tem a ver com “este” Israel. Tem a ver com razões muito mais complexas, que aqui não se discutem, a não ser lembrando que as perseguições que os judeus sofreram em muitos países da Europa têm muito mais a ver a barbaridade e os interesses torpes dos perseguidores que com qualquer demérito ou culpa dos perseguidos.

Mas a manobra de Natanyahu, temos de reconhecê-lo, alimenta-se muito dos equívocos propagados – por ignorância ou por malícia – pela comunicação social ou por muitos agentes políticos e que vão fazendo o seu caminho no senso comum. Quando, há uns anos, Woody Allen alertava para o facto de as referências a Israel, pelo modo como eram feitas – frequentemente não se referindo “Israelitas” ou “sionistas”, designando-se, outrossim, como “os judeus” -, estarem a encorajar o anti-semitismo, sabia do que estava a falar. Só não imaginava que, anos depois, o 1º ministro de Israel viesse a tentar parasitar essa confusão.

Comments

  1. Je suis Palestine says:
  2. celesteramos.36@gmail.com says:

    Gostei muito deste texto de José Gabriel (que não é anónimo – ora bem, ora té que enfim) – mas encontro poucos de entre os cada vez menos que conheço, que vaja assim e justifique tosos os Moshe Dayan et Goldas Meyr e ache bem que os palestinianos nem saca tenho e lhes sejam retirados os poços de água de beber e espaço de agricultura e tenham de usar passaporte no seu próprio paios para irem à escola – ou médico ou mesmo visitar familiares – passaporte dentro do seu pais milenar – com a bênção dos USA

  3. fontedora says:

    Essa de haver um povo judeu na diáspora, dá que pensar. No meu entender, existem judeus em todo o mundo de todas as raças e cores, assim cristãos e de todas as religiões. O judaísmo é uma religião, ponto final. Assim como o é o cristianismo.
    Ainda agora foram decapitados 21 cristãos na Líbia. Vamos criar um Estado Cristão para que os cristãos se sintam protegidos? Vamos criar também um para os ateus e agnósticos, pois já andam para aí a dizer que estes não são nada mais nada menos do que terroristas….

  4. Zé Pitaco says:

    Esses judeus sempre foram perseguidos, mas ninguém diz o porque essa perseguição? Impossível que alguém vai ser sempre perseguido pelos povos do mundo inteiro por nada! Impossível! Só imbecis acreditam que todos os povos são ruins e perseguiram judeus “por nada” e que só os judeus são sempre “bonzinhos e inocentes”!

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.