Quando não se consegue imaginar a possibilidade de dizer não, não se está a negociar

Varoufakis explica o acordo e como se escreve a palavra negociar, legendado em português.

Comments

  1. José Galhoz says:

    O novo governo grego começou a remar contra a corrente da austeridade so-zi-nho. Não sei (e acho que ninguém saberá) como isto vai acabar, mas as vozes que a cada minuto falam em capitulação correspondem à corrente que nunca pensou em dizer “não”, ou sequer um “mas”. Acho que, como povo, saímos com uma má imagem no meio deste processo. Pela mão do governo no poder, certamente, mas um governo eleito por uma maioria (mesmo pelos que não votaram) o que nos deve fazer reflectir um pouco…


  2. Com coerencia todos podem dizer não.Ex: Não precisamos do vosso apoio nem do vosso dinheiro. Quando Portugal e Espanha estavam para entrar na UE tambem a Grecia disse nâo ; depois passou a sim quando lhes aumentaram as entregas de dinheiro_ dinheiro dos outros povos entenda-se. A mentira está em quem acha que o dinheiro que recebemos e eles receberam e os perdoes que eles receberam caiu das arvores e não saiu das poupanças dos exploradores alemaes, holandeses…

    • Hélder P. says:

      É preciso ser muito ressabiado para desenterrar uma posição que o Estado grego assumiu há mais de trinta anos. Assim também dá razão a quem evoca aquilo que a Alemanha fez há 70 anos. Recorde-nos, era um governo do Syriza que tomou essa posição nos anos 80?

      E já agora, também foi um governo Syriza que levou a Grécia ao estado de bancarrota que se encontra?


  3. Infelizmente o governo grego de então acabou por dizer sim.
    E o dinheiro não tem ido para a Grécia: a esmagadora maioria apenas serviu para pagar aos bancos. Mas enfim, de súbditos da Alemanha não se pode esperar mais do que isto como argumentação.

    • Nascimento says:

      Ó Sr João, louvo-o pela sua santinha pachorra…
      Irra ,que tentar explicar a quadrados mentais, que têm como argumento rasteiro :- para sacanas, sacana e meio, ou ainda pérolas deste estilo, …”e eles receberam e os perdoes que eles receberam caiu das arvores e não saiu das poupanças dos exploradores alemaes, holandeses…”
      Realmente. Isto é a santa estupidez á lá C. M. ou quaquer outro pasquim. Dass.

      • Alexandre Carvalho da Silveira says:

        A gente lê o Nascimento e sente uma luz a invadir-nos o espírito, assim como que uma iluminação de um candeeiro a petróleo a entrar nos nossos pobres cérebros, quase um orgasmo…
        Tu nasceste para puxar uma carroça, pá!

        • ZE LOPES says:

          E, ao que vai parecendo, V. Exa. nasceu para ser uma carroça! Continue, pode ser que o puxem para lá para o “Mirone”…

        • Nascimento says:

          A petróleo ficas tu daqui por uns anos quando a torneira fecha,r olhares pró lado e reparares que não têns como pagar nadinha.
          Mas sabes uma coisa ó inteligente, desconfio que até tu, um bronco, sabe isso muito bem. Posso ser o que for, mas pelo menos da tua familia eu nao sou…e prefiro a companhia de um jumento, á de um ninguém como tu . Percebeste ? Escarro.

  4. antonio oliveira says:

    Não sei como tudo isto irá acabar, mas a sensação com que fico é que se abriu uma porta e por ela entrou uma lufada de ar fresco que varreu com o cheiro intenso a bafio que se fazia sentir.

  5. Alexandre Carvalho da Silveira says:
    • Alexandre Carvalho da Silveira says:

      Olha outro spin doctor

      http://ladroesdebicicletas.blogspot.pt/2015/02/desanimado-suspiro.html

      Este está escrito em bom português, portanto toda a gente que sabe ler percebe.


      • Sim, o João Rodrigues defende a saída do euro. E não, a Grécia não pode sair do euro já. O tempo, acabou de o arranjar.

        • Alexandre Carvalho da Silveira says:

          A isso chama-se assobiar para o lado. Já toda a gente percebeu que as teorias do Syrisa morreram práticamente à nascença, menos o Sr Cardoso, o Galamba, o Daniel Oliveira e o Marques “cabeça de pila” que não é de esquerda nem de direita: é uma merda qualquer.


          • Já toda a gente percebeu? mais um convencido.
            A arrogância da extrema-direita é inversamente proporcional à inteligência. Cantam de galo, ainda agora começou a dança. O último a rir, ri muito melhor, ó da Silveira.

      • Alexandre Carvalho da Silveira says:

        Já sei que só os da extrema-esquerda é que são inteligentes. Eu estou a pensar converter-me à extrema-esquerda para ver se fico inteligente. Também é preciso ser muito inteligente para perceber que o que se passou de facto na última 6ª feira no Eurogrupo e a narrativa do Syrisa são a mesma coisa. Só os estupidos e arrogantes da extrema-direita é que ainda não perceberam.
        De resto, o que é que nesta verdadeira tragédia grega lhe dá vontade de rir, ó inteligente Cardoso?

  6. Septuagenário says:

    Os gregos são uns macacos velhos incorrigíveis

    Nós com a mania de espertezas saloias somos uns anjinhos com asas comparados com eles.

    Basta ver que já eles falavam e escreviam grego e nós ainda o VIRIATO nem falava nem escrevia português que nem tinha as escolas do centenário na terrinha.

    Estes dias (repito)vejo sempre na internet o Antony Quinn e Allan Bates na praia a dançar o Zorba.

    Vejam a semelhança entre aqueles dois do Siriza.


  7. Esta falta de liberdade que o Siryza tem de decidir sobre o dinheiro dos outros é revoltante. Deixaram-lhe a liberdade de decidir apenas sobre o seu dinheiro, um ultraje pois deixam de fora o superavit alemão. precisamente o que iria permitir que os gregos atinjam uma politica independente dos ditames do europrupo. Sabotadores é o que é.


    • Olha, outro mentiroso. Se repetir 100 vezes que a Alemanha emprestou à Grécia, e não aos bancos ou às suas empresas de armamento, que emprestar significa dar, e já agora que por sua vez a Alemanha também não decidiu gastar o dinheiro que por sua vez pertencia aos gregos, não passa a verdade. Apenas se constata que quem não tem argumentos não tem vergonha em mentir descaradamente.

    • Nascimento says:

      “… deixam de fora o superavit alemão. precisamente o que iria permitir que os gregos atinjam uma politica independente dos ditames do europrupo.” Ai premitia ,premitia …ai atingia, atingia..ui, e a ” independencia”…nas calendas, não é ,ó tótó!

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.