A memória e a cultura

Há uma “corrente de opinião”, especialmente na capital e nos meios  “culturais”, ou ditos culturais, de que a esquerda é que é capaz de tratar a cultura e o património como deve ser.

Relembro a promessa de António Costa, recente, de, se  fôr  1º Ministro, dotar o seu governo de Ministério da Cultura como se isso fosse a solução para tudo e mais alguma coisa (erradamente, os  ilustres órgãos da comunicação social continuam a referir-se a esta área da governação como Secretaria de Estado da Cultura, que não existe na orgânica deste governo).

Por outro lado, a maior parte das pessoas ligadas ao PSD aceita essa  narrativa (como se diz agora), com muita dose de vergonha. São uns nabos. Nem sequer conhecem o que o seu próprio partido fez nos últimos trinta anos (claro que exemplos como os de Rui Rio e Francisco José Viegas, por exemplo, não ajudam). Isto a propósito da foto que publico, e que diz respeito à inauguração de Serralves em 1987.

Sim, a Casa de Serralves (o conjunto todo) foi comprada pelo Estado. Era governo o  PSD (a Secretária de Estado da Cultura era Teresa Patrício Gouveia e o 1º Ministro era Cavaco Silva).

É fodido.

Serralves-29-de-Maio-de-1987-inaug-DR-722x1024

Comments

  1. Nightwish says:

    Bom, se fizeram alguma coisa há 30 anos, é sem dúvida de louvar…


    • É fodido terem fotos dessas de há 30 anos no baú, e com vergonha (cito) olharem para o panorama actual da cultura, não é? Pois é, é fodido. Mas pensei que a direita que ainda é direita se recusasse a olhar para o passado, pois aos seus olhos actuais, as fotos antigas são, ainda que à direita, muito parecidas ao que se chama agora de esquerda. É melhor nem olharem.

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.