O Obediente

O Insurgente já não existe. Acabou no dia 5 de Junho de 2011, tendo no seu lugar ficado um outro blog, O Obediente.

Noutros tempos já haveria uma resma de posts sobre as novas PPP e sobre a lista VIP, da qual os colegas até dizem que foi feita pelo Estado (com letra maiúscula e tudo) mas na verdade foram pessoas concretas, deste governo e camaradas de cor, que a fizeram. Não faltaria também o argumentário sobre o estado não gerar emprego (ups!) e por aí fora, segurança social vade retro, pois privadas IPSS é que é bom (e até têm uns empregos porreiros – ups! outra vez).

Neste O Obediente, a insurgência hibernou. Um dia destes lanço uma petição para ajudar os respectivos autores no prosseguimento do único passo em falta: renomearem-no. Precisam de se despachar, só têm mais seis meses.

PS: Parece que há uns vídeos novos do Varoufakis. Aproveitem, que ainda dá para mais uns posts, entremeados com esse terrível socialismo, nacional e estrangeiro. 

Comments

  1. Marquês Barão says:

    Viva o contraditório sem censura.


  2. Obidiente 3, “faxavor”! Sentiam-se sós e juntaram-se ao Obidiente 1, antes Blasfémias, e ao Obidiente 2, ex-Corta-Fitas.

  3. joao lopes says:

    o “mirone” explica,o “mirone” é de borla,o”mirone” faz rir,o “mirone” é só on line,o “mirone” paga muito bem aos seus trabalhadores,o “mirone” é fofinho,o “mirone” diz sempre a mesma coisa(os outros tambem) ,o “mirone” não tem paginas centrais(o CM tem paginas centrais com lindas fotografias), o “mirone ” nem sequer tem paginas,logo poupa o ambiente,o “mirone” só polui a net,o CM polui todo o ambiente + a net…elogios,elogios,para a grande loja do oriente(digo do blasfemias)

  4. J.Pinto says:

    Aqui também deixaram de falar do Syriza. Será esquecimento?

    • Marquês Barão says:

      O Costa Syriza é tão limpinho que não precisam de lhe corar a roupa.

    • j. manuel cordeiro says:

      Aqui cada um tem a sua voz. A mim interessa-me, principalmente, quem governa. São esses que afectam o meu dia-a-dia, não é o Costa ou o Syriza. Já aos da situação dava jeito que se falasse de outras coisas. Temos pena.

  5. j. manuel cordeiro says:
  6. AntónioF says:

    Caro J. Manuel Cordeiro,
    a propósito deste seu texto sobre o dito blog, permita-me que, concordando, faça algumas considerações, ajudado pelas palavras, amputadas, de Vergílio Ferreira, as quais vou ter a ousadia de adaptar, colocando entre parêntesis recto […] as devidas alterações ou omissões.

    “A propósito de uma crítica. […]

    1- Em face do «talento excepcional» d[‘O Insurgente] […] pelo menos como [comentadores], [são] evidentemente um [blog] medíocre. Estranho mesmo que uma alma caridosa ainda não lho tivesse[m] dito discretamente ao ouvido, evitando assim que eu lho dissesse aqui em público: E por que falo eu nisto? Porque é desta massa de [comentadores] falhados que normalmente se fazem as [análises] azed[a]s, ressentid[a]s […]. Mas o ser-se medíocre devia obrigar precisamente à modéstia e moderação de linguagem […].
    […]
    4 – Eu não queria esmiuçar a série de disparates de que este [blog] nos abastece e sempre tão doutoralmente. Mas com franqueza: então a gente há-de suportar uma vez mais essa parlapatice […]?
    Então este[s] sujeito[s] douto[s] ainda est[ão] convencido[s] de que […] Sófocles [ http://oinsurgente.org/2015/03/20/o-economista-insurgente-porque-e-que-e-impossivel-ao-estado-pagar-a-divida-publica/#comment-267568 ] são inferiores a quem ele[s] quiser[em] – incluindo ele[s] próprio[s]?”

    Texto original em: Jornal de Letras e Artes, 6 de Fevereiro de 1963

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.