Má gestão, swaps tóxicos e especulação: Marco António Costa está de volta

Visão

Pensavam que o cerco ao imperador tinha chegado ao fim? Nada disso! Miguel Carvalho da Visão está de volta com mais uma peça onde aquele que é conhecido como Big MAC nos corredores do PSD se vê associado a mais um conjunto de “anomalias”. Responsável pelas finanças da CM de Gaia durante 4 dos 5 anos que lá passou como nº 2 de Luís Filipe Menezes, Marco António Costa viu a sua acção governativa “censurada” por 19 vezes num documento do Tribunal de Contas alusivo às contas de uma autarquia que é uma das mais endividadas do país. “Gestão pouco prudente“, “falta de sinceridade, transparência e fiabilidade na previsão de receitas“, “falta de racionalidade e prudência na efetivação dos gastos” ou “falta de cumprimento atempado dos compromissos assumidos, acumulando dívidas a fornecedores” são algumas das expressões que surgem neste relatório onde nem os famosos swaps faltaram: 13 contratos que geraram perdas na ordem dos 2,3 milhões de euros. O cerco aperta-se.

Mas as “anomalias” não ficam por aqui. Nas palavras de Miguel Carvalho:

Para obter “liquidez imediata”, a coligação PSD/CDS socorreu-se de todos os meios: transações fictícias, concessões a privados em prejuízo do erário público, criação de um fundo imobiliário que gerou “riscos adicionais” para as finanças da autarquia, “operações bancárias complexas” que oneraram ainda mais a edilidade e instrumentalização de empresas municipais para contrair empréstimos vedados por lei.

Sobre os swaps:

Segundo o TC, a maior parte dos contratos analisados revelou ter uma finalidade económica puramente “especulativa”. Ou seja, “não foram concebidos ou desenhados para serem efetivos instrumentos financeiros de cobertura de risco”, contrariando a justificação dada pelos decisores. Na prática, os responsáveis das referidas empresas municipais “atuaram como especuladores”, expondo os recursos públicos “a novos riscos”. Além disso, os diferentes conselhos de administração “não observaram os princípios básicos” do bom governo para o setor público, “designadamente em matéria de responsabilidade e transparência”, tendo omitido informações acerca da contratação dos swaps e dos riscos inerentes aos mesmos. Resultado: “Todas as operações analisadas se revelaram tóxicas, dando lugar a avultadas perdas financeiras”, espelhando assim uma “gestão imprudente de dinheiros públicos.

Mas este caso não se fica pela ala direita do bloco central. Segundo a peça de Miguel Carvalho, um dos negócios mais ruinosos levados a cabo naquela altura contou com o voto favorável de Eduardo Vítor Rodrigues, actual edil e na altura vereador do PS. O negócio? A transferência da posição da autarquia para a Águas de Gaia, num contrato que beneficiou o consórcio SUMA, liderado pela Mota-Engil, essa grande empregadora de ex-governantes. Em entrevista recente ao jornal Gaiense, Eduardo Vítor Rodrigues teceu mesmo elogios à gestão financeira de Marco António Costa.

Má gestão, swaps tóxicos e especulação. Uma bola de neve de Verão que promete a atropelar a coligação no próximo Outono. Marco António Costa está imparável.

Comments

  1. j. manuel cordeiro says:

    Vai uma aposta que o caso Sócrates vai subitamente sair da agenda?

  2. Mike Pereira says:

    As portas começam a fechar…. Mas este não pode sair assim de cena como fez o relvas porque quando o Sr. Pseudo doutor foi para o Brasil tirar a licenciatura em cultura brasileira ( teve quase equivalência a tudo e viu 2 episódios da Tieta para ganhar o canudo) ainda ninguém tinha estadia em Évora ! O que custa é o primeiro. Agora os tempos são outros e aposto que lá para setembro vão aparecer mais super-juízes insaciáveis .


    • Espero que assim seja. Que depois do primeiro seja sempre a aviar. Se há obra pública que eu apoio, caso haja necessidade dela (espero que haja) é a construção de mais prisões 🙂

    • Carlos de Sá says:

      Isso é que era bom! A “Justiça” está em mãos muito pouco fiáveis. Ou já se esqueceu do branqueamento de todos os grandes crime económicos ocorridos neste País? Só acredito quando vir o actual inquilino de Belém atrás das grades.


  3. Só este ?
    E os outros que andam a assobiar para o lado… tipo PP ?

  4. joão lopes says:

    caro joão mendes,”má gestão,swaps toxicos e especulação” teve como consequencia a tal divida monstruosa(aqui como na grecia) ,e nos dois paises os partidos responsaveis por isto são o psd e ps(pasok e o “psd” grego nem sequer me lembro do nome porque dos miseraveis não reza a historia)

  5. joão lopes says:

    Desculpem os meninos do psd,mas “le big mac” tem direitos de autor:pulp fiction,tarantino,dialogo do john “criacionista” travolta com o samuel “le big actor” jackson.p.s-tem piada que os psd`s e os Ps`s troquem de podres como quem troca de camisa(Ups,la estou eu a dizer que eles são todos…iguais)


  6. E anda este Marco António a pedir sacrifícios aos contribuintes? Com ar pesaroso e fingido mostra-se sofredor e solidário para com os funcionários e aposentados que levaram cortes nos salários e reformas. Farsante. Parece uma virgem púdica quando aparece na TV. Grande traste, como o seu chefe, aquele que não paga impostos e foge às contribuições da SS. Sabem que é? Claro, o tal de Massamá, que tirou a canudo aos 37 anos de idade.


  7. Fico com um fio de esperança que a justiça agora esteja a caminhar no sentido que todos queremos : que os corruptos sejam mesmo descobertos e julgados. Só mudaram dois lugares chave (procurador, DCIAP) mas o que salta a vista é que MMacedo, BigMac, IARN…não se nota que estejam a decapitar os do contra.Os politicos estão mesmo fora do assunto, o que me dá esperança que isto vai mesmo mudar.

Trackbacks


  1. […] Mais cedo ou mais tarde saboreiam o beijo do escorpião. […]


  2. […] Costa é o escolhido para falar em nome dos “sociais-democratas”. A escolha deste gestor ruinoso, acusado de gerir uma complexa rede de tráfico de influências, é ilustrativo daquilo que por aí […]


  3. […] do executivo, responsável pela pasta das finanças entre 2008 e 2012, um período marcado pela má gestão, swaps tóxicos e especulação financeira que valeu à dupla 19 juízos de censura por parte do Tribunal de Contas numa auditoria preliminar […]


  4. […] Em entrevista à Rádio Renascença, o vice-presidente do PSD voltou à carga contra as negociações à esquerda, e por entre os chavões extremistas que têm marcado a propaganda pós-eleitoral da coligação, Marco António Costa afirmou que “o país está a viver um absurdo democrático”. E pela primeira vez, vejo-me perante a inevitabilidade de ter que concordar com o arquitecto da ruína da CM de Gaia. […]


  5. […] O homem prestou um péssimo serviço à autarquia, deixando-a numa situação catastrófica feita de má gestão, swaps tóxicos e especulação, foi espezinhado pela auditoria do Tribunal de Contas à situação financeira do município, tendo […]

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.