“É muito difícil dizer não a um amigo”

Retrato_oficial_Miguel_RelvasOntem, Miguel Relvas lançou um livro que terá alegadamente escrito. O facto de ter o seu nome na capa fará com que, no mínimo, tenha equivalência a autor. De qualquer modo, para bem do sucesso da obra, espero que a capacidade argumentativa de Relvas tenha melhorado ou sido melhorada.

A peça do Público é absolutamente exemplar, ao permitir que a realidade se mostre a si mesma. Basta ver a quantidade de vezes que palavras como “amigo” ou “amizade” foram utilizadas pelos entrevistados para justificar o título do texto: “O outro lado da governação são os amigos”.

Numa assistência constituída sobretudo por políticos, todos negaram ou, no mínimo, omitiram essa qualidade, substituindo-a pela de “amigo”. Paula Teixeira da Cruz classificou mesmo a sua presença como “um acto pessoal, muito pessoal”, talvez por oposição a actos menos pessoais ou pouco pessoais e num contraponto às justificações dos assassinos mafiosos que pedem desculpa ao iminente assassinado dizendo-lhe: “Não é pessoal, é negócio.”

Face às afirmações de alguns dos presentes, ou seja, dos amigos, fico, no entanto, com a impressão de que há, por vezes, a confissão de que a sua presença implicou, aparentemente, alguns sacrifícios.

Durão Barroso, que apresentou o livro, justificou ter aceitado o convite de Relvas por considerar que “é muito difícil dizer não a um amigo.” Não vos parece que esta frase deixa a estranha ideia de que a aceitação do convite provocou alguma incomodidade? Se um amigo me pedir algo que não me desconforte, responder-lhe-ei qualquer coisa como “Com certeza, não há problema nenhum!”Já diante de uma solicitação incómoda, eu não teria problema em citar Durão Barroso, por ser verdade que “é muito difícil dizer não a um amigo”. Poderia, até, acrescentar “Só faço isto, porque és tu que me estás a pedir!”

Nada disto fará com que venha a votar em Durão Barroso para Presidente da República, mas confesso alguma simpatia pela generosidade revelada pelo antigo Presidente da Comissão Europeia, esse mesmo que não teve capacidade para aguentar um mandato de primeiro-ministro, mas coloca a amizade acima de tudo.

Também Marco António Costa mostrou grandeza, ao explicar que “os amigos são para as ocasiões”, frase que nunca utilizei para aceitar convites agradáveis, o que revela, afinal, a minha curteza de vistas. Da próxima vez que me convidarem para uma jantarada, já sei como hei-de agradecer. Como variante, poderei sempre usar um “Que remédio!”. Venham de lá esses convites, que eu saberei sacrificar-me!

Entretanto, fico com a estranha impressão de que os amigos são, afinal, o único lado da governação, porque, na realidade, é muito difícil dizer-lhes “não”.

Comments

  1. Carvalho says:

    NOJO! ASCO! REPUGNÂNCIA!
    SE O RELVAS É PORTUGUÊS EU QUERO, NO MÍNIMO, SER MARCIANO!

  2. Carvalho says:

    Este post fez-me ir ao baú recuperar uma brincadeira que escrevinhei quando este “senhor” pertencia ao desgoverno português. Com as minhas desculpas ao Almada.
    ____________________
    O PEIDO
    Portugal é um pequeno país de gente simpática
    Que tem um peido no governo.
    O peido faz que governa mas não governa
    Tal como fez que estudava mas não estudou
    E fez que era pessoa mas não era e nunca foi.
    O peido só faz trafulhices e negoceia corrupção
    Nas sombras dos vãos de escada.
    A bem dizer o peido nem sequer é peido:
    Não passa de uma bufa fedorenta, daquelas que esguicham,
    Mas deram-lhe equivalência a peido e ele ficou ufano.
    O peido tem amigos do peito
    A quem deu jeito promovê-lo
    E ele achou que era gente e que mandava.
    O peido é perigoso porque é menino
    Capaz de crescer para os fracos e pobres
    E ameaçar de dedo em riste
    E espetar facas nas costas
    Mas aos ricos beija o cu porque tem medo deles.
    O peido é indigno!
    O esperma que originou o peido
    Devia ter ido pela sanita abaixo
    E o autoclismo descarregado com força.
    O peido é maligno!
    O peido até já tentou cantar a Grândola
    Mas ficou com cara de quem estava a reter…um peido
    (A si mesmo, portanto)
    O peido tem cara de cu!
    O peido é um ser perverso e abjecto
    Que emporcalha o ar que as pessoas decentes respiram.
    O peido cheira mal!
    Mas sobretudo parece mal que exista, que esteja vivo.
    O peido envergonha qualquer pessoa decente
    Por coexistir no mesmo mundo que ela.
    O peido é um peido!
    O peido cheira a podre muito antes de chegar ao pé de nós.
    O peido estraga o dia e o mês e o ano de toda a gente!
    O peido anda a mais no Universo!
    E ainda há gente que se casa com o peido
    E que faz listinhas de casamento e sorrisinhos
    E que cumprimenta o peido quando ele passa
    E almoça e janta com o peido e faz reuniões com o peido
    E conduz o carro do peido e guarda as costas do peido
    E tudo isto sem vomitar! Como é possível?
    O peido é repugnante!
    O peido está morto e ninguém o avisou.
    É o país que está moribundo quando se deixa
    Desgovernar por um peido tão peido!
    Não pode ser! Já basta!
    Estamos fartos do cheiro do peido, da cara ridícula do peido,
    Do sorriso imbecil e abjecto do peido!
    Do fedor ignorante de tamanho peido!
    Estamos fartos de existir ao pé de um peido!
    O peido tem de se desfazer na atmosfera
    E ser esquecido!
    Porque é essa a natureza dos peidos que não merecem ser lembrados.
    Portugal tem dignidade! Tem Honra!
    Onde houver um rabo o peido será expelido para longe!
    Vamos todos tapar o nariz na presença do peido!
    Há vida depois do peido! Vamo-nos peidar no peido!


  3. Se eu fosse candidato a politico e tivesse uma catrefa de amigos que me ajudassem a colar os cartazes , preparar os programas, fazer os comícios a… depois de ser elito e precisasse de nomear alguem para um cargo que faria eu, se esses amigos tambem precisassem dum emprego?…
    Sinceramente sentiria uma dificuldade enorme em os desprezar…
    Será por essa comum dificuldade que as câmaras comunistas estão cheias de camaradas, as do PSD cheias de companheiros e a agência de colocações do PS grita que nem uns possessos pelas ultimas nomeações da CRESAP?…
    e vexas que fariam?…. se for do meu grupo não faz mal?……

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.