Os esquecidos

No meio de todos os debates cá e lá, das tempestades noticiosas, dos ruído dos predadores tentando dilacerar as presas, não se ouvem novas desta singela e nobilíssima realidade: na hecatombe trágica dos salvos e mortos do Mediterrâneo, muitos deles vítimas das “primaveras” patrocinadas pela gula imperial, quase todos os náufragos são recebidos pela Grécia e pelo Sul de Itália, áreas de que sabemos bem as carências e o desespero, mas também uma capacidade de solidariedade que é uma lição para as fortalezas do Norte, cujos navios chegam a recolher refugiados que, em vez de serem conduzidos para o país “salvador”, são imediatamente entregues a estes dois países e esquecidos, melhor, recalcados. Assim, Grécia e o Sul de Itália vão acumulando um número gigantesco de refugiados, enquanto a Europa finória vai garantindo que pensará no assunto. Quando tiver tempo e uns trocos nos bolsos.

Ou meios para construir muros, que é sempre um recurso dos imbecis. Enquanto sangram a vitalidade dos acolhedores em operações da mais vil chantagem.

Dos nobres valores alardeados pela Europa, vai sobrando só o da moeda que – ironia do destino – foi inventada pelos gregos ancestrais. Entretanto “os tiranos fazem planos para mil anos”, como dizia o poeta. Sem ver que o fim pode estar para muito mais cedo. Se deixarmos.

Comments

  1. Carvalho says:

    Não foi para isto que se criou a Europa.
    Não foi para os alemães dominarem, pela força do dinheiro, quem não conseguiram dominar pela força das armas, em duas guerras.
    Nós, portugueses, devíamos pensar muito seriamente em sair da (Des)União Europeia. O que estamos nós a fazer neste ninho de abutres desumanos?


  2. Andamos na “nuvem” que é um novo ficheiro virtual onde colocam os restos, que já não cabem no sistema deles !!!

  3. joão lopes says:

    tambem se “esqueceram” de dizer que o eurogrupo não tem base legal.consequencia:esqueceram tudo(a democracia) menos levatarem muros anti-emigração ou muros economicos anti-cidadadão PIG(s).ou seja se querem trabalho(precario) digam todos(com bandeirinha)viva o shauble,viva o shauble ,baixem as calças,com vaselina custa menos…

  4. Nascimemto says:

    Não meu caro, Portugal não é realmente a GRÉCIA1 É mais HUNGRIA!!! Se tivesse acontecido aos tugas ,o que aconteceu aos gregos ,nestes ultimos 6 meses, “só”, 45 mil refugiados ,e isto num país de rastos economicamente!!!
    Ui, o que diriam os comentadoiros merdosos? Pois é….

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.