Presidência da República: debates

Screen Shot 2016-01-02 at 22.33.56

Depois do 1° dia de debates ficou claro o que eu já pensava. Há dois candidatos a PR com conteúdo, propósito, coerência e que merecem atenção: Henrique Neto e Marisa Matias.

O Henrique Neto é um homem sério, que conhece a vida e as suas dificuldades, mas que nunca cedeu perante elas para seguir o seu caminho. É um exemplo de determinação, como empresário, como cidadão e como homem de família. As suas intervenções políticas são sempre muito ponderadas, refletidas, muito maduras, responsáveis e cheias de pontos de reflexão e caminhos de solução, sem querer nunca apontar caminhos únicos. Como homem da realidade, não poderia ser de outra forma sendo empresário, sabe que não existem caminhos únicos mas tão somente opções – as quais têm vantagens e inconvenientes -, e o que devemos fazer é ser capazes de escolher aquelas que resolvem problemas no curto prazo e abrem horizontes mais largos no médio e longo prazo.

É um homem de trabalho, conhecedor, realizador, com uma ideia correta sobre Portugal e o seu futuro. Corajoso e empreendedor. Fala pela positiva. Será um excelente Presidente da República, mas acima de tudo é cidadão português certo neste momento. Um momento em que o país precisa de encontrar um rumo, de definir uma estratégia de médio e longo prazo baseada em compromissos transversais aos ciclos governativos e que precisa de se organizar de forma bem mais eficiente. Para isso, Portugal tem de contar com um Presidente da República consciente que promova esses entendimentos e seja capaz de sugerir um rumo e uma visão estratégica para o país.

Infelizmente, num país dominado por uma Comunicação Social muito pouco livre – sendo assim também ela largamente responsável pelo momento que vivemos e pelas limitadas escolhas -, as candidaturas independentes dos partidos e dos interesses instalados não têm o mínimo de tempo de antena. Isso limita fortemente a liberdade e a democracia, pois os cidadãos são afastados das propostas e do debate necessário para escolhas responsáveis, conscientes e verdadeiramente livres. É o que acontece com a candidatura de Henrique Neto que é, de facto, diferente e merece a sua atenção.

A Marisa é uma mulher muito séria, coerente, honesta, determinada, muito trabalhadora e muito corajosa. Conheço bem a terra de onde é originária (Alcouce, em Condeixa-a-nova), as suas raízes e motivações cívicas e políticas (tivemos há alguns anos uma conversa/entrevista aos microfones da Rádio Regional do Centro, para um programa que eu fazia nessa rádio). Apresenta uma candidatura que faz sentido, tem um programa e uma lógica que a distingue de todas as outras. A Marisa está a fazer o seu percurso político e estou convencido que terá o seu momento no futuro.

Nota breve: apoio a candidatura de Henrique Neto e aceitei fazer parte, com muito gosto, da sua Comissão de Honra.

Comments

  1. Nascimento says:

    Por acaso hoje viu-se quem é que teve boa imprensa no debate co Sampaio da Novoa. Haja vergonha ao afirmar-se que H. Neto tem má imprensa. Durante anos este senhor andou sempre a dizer mal da politica em Portugal,participou em programas vergonhosos com gente de altissimo gabarito como Medina Carreira,etc. Sério? Salazar também o foi tadito, e consta que só usou um par de botas e que usava sempre a mesma mantinha para se agasalhar á noitinha! Cavaco idem,”humilde”,”estudioso” “obediente”,”trabalhador” ,bla´, blá,blá,,,, enfim, uns belos saloios tugas. Tudo gentinha que SABE O QUE É A VIDA!!!UI…a alegria de eleger gente desta estirpe. Durmo tão descansado….


  2. Nascimento, o Medina também faz parte da “Comissão de Honra”. Pelas personagens se percebe o objectivo. Ler para crer:

    Comissão de honra e mandatários | Henrique Neto – Por uma nova república
    http://www.henriquenetopresidente2016.pt/comissao-de-honra-e-mandatarios


  3. “Furacão. Henrique Neto admitiu conhecer esquema de fraude

    Empresário pagou em 2008 os 30 mil euros que não declarara ao fisco. Empresa de que era sócio devia mais de 433 mil euros
    Henrique Neto, administrador da Iberomoldes que chegou a ser constituído arguido na Operação Furacão, mas não foi acusado, porque pagou o que devia ao fisco, confessou no depoimento que consta do processo ter “consciência” de que estavam a ser criadas ou usadas empresas “para aumentar os custos” da Iber Oleff – sociedade que foi visada na investigação e da qual era sócio – e de que havia “distribuição de “dinheiros” a alguns sócios que não chegavam a ser declarados”.

    A Iber Oleff – Componentes Técnicos em Plástico, nascida de uma parceria entre o grupo alemão Olho Tecknik e o grupo Iberomoldes, foi uma das empresas que recorreram aos serviços do grupo Finatlantic, que visava obter vantagens fiscais atractivas para os seus clientes. O esquema que levou, em Junho, à acusação de 30 pessoas num processo nascido da Operação Furacão, terá lesado o Estado em mais de 36 milhões de euros (36 639 21 euros) e passava por ocultar os rendimentos através da transferência de dinheiro para entidades sedeadas em paraísos fiscais e no Reino Unido.

    A casa e empresa de Henrique Neto foram alvo de buscas no final de 2007. Nessa altura, o ex-deputado socialista adiantou à imprensa não ter razões “para suspeitar” que estariam “em falta”. Admitia, contudo, poderem existir “questões pontuais na relação do grupo com o Estado”. Dois meses depois, a 13 de Fevereiro de 2008, admitiu aos procuradores Rosário Teixeira e Ana Catalão ter “tomado conhecimento da intenção da sociedade Iber Oleff de aderir a um esquema que visasse a diminuição de resultados ou lucros”. Mas acrescentou não saber pormenores sobre como iria funcionar,

    Nesse depoimento, o empresário viria também a confessar “ter recebido alguns montantes monetários, tendo-os utilizado, pelo menos em parte, em benefício próprio”. Nesse mesmo dia, o administrador da Iberomoldes remeteu às finanças os rendimentos não declarados e pagou o imposto num total superior a 30 mil euros: 22 621, 94 euros, relativos ao ano de 2002, e 8174 euros, relativos a 2005. Um dia depois, foi a vez de a Iber Oleff pagar o que devia às Finanças: 433487 euros. Por terem pago, apesar da resistência do juiz Carlos Alexandre, quer o empresário, quer a empresa, viriam a beneficiar da suspensão provisória do processo, livrando-se de uma acusação por fraude fiscal qualificada.

    No final de 2002, a sociedade Iber Oleff entrou em contacto com a Finatlantic, com vista à criação e/ou utilização de uma sociedade suíça, uma no Delaware, EUA, uma no Reino Unido e outra sedeada no Belize. De acordo com os autos do processo que o i consultou, parte dos montantes que circularam entre as sociedades offshore entre 2002 e 2005 foram transferidos para as contas da sociedade DTA (Belize) e SITAR (Delaware), abertas no Banco Fiduciário Internacional (BFI) até serem finalmente divididos pelos três administradores, consoante a participação que tinham na Iber Oleff: Henrique Neto viria a receber 85 mil euros em 2003 e 17 083 euros em 2005. Interrogado pelos procuradores do Departamento Central de Investigação e Acção Penal (DCIAP), disse nunca ter ouvido falar do BFI, nem da Finatlantantic, nem do cabecilha da empresa, Diogo Viana.”

    10/07/2013

    http://www.ionline.pt/371705


    • Bom, se isto é verdade, o que dizer do texto que li do J Norberto Pires?

      • Eu aventarei ... says:

        Que o Norberto Pires é doutor em robótica mas aprendiz em feitiçaria política.

  4. Paulo Vieira da Silva à presidência says:

    Vou lançar um abaixo assinado para promover o Homem Especial, Paulo Vieira da Silva, a futuro candidato.
    Ele tem 4 anos para aprender a escrever e a deixar de censurar comentários qui no Aventar.

  5. Joam Roiz says:

    J. Norberto Pires só falou na candidata Marisa Matias para disfarçar.

  6. Elsa says:

    Qualquer candidato que mereça o apoio de Nuno Crato é um mau candidato. Nuno Crato = Henrique Neto. Neto aceita o apoio de Crato, porque ambos não têm vergonha na cara. Neto é um troca-tintas.

  7. Ferpin says:

    São opiniões do autor. É nessa matéria faço minhas as palavras da Dra Rute remédios.


  8. Aditamento ao link do meu comentário de ontem:

    Segundo o ionline, Daniel Bessa e João Salgueiro também fazem parte da comissão de honra.


  9. Depois da entrevista com Sampaio da Nóvoa até tinha vergonha de continuar a apoiar o H. Neto.


  10. Ena, tanto “novoeiro” acossado, cocem-se pois, a comichão quer dizer alguma coisa. Mas não vai passar e o melão vai ser dos grandes. Ups…

Trackbacks


  1. […] outros candidatos realço Henrique Neto, um homem sério, capaz, coerente, com experiência demonstrada e que apresentou um discurso focado […]