Renegociações danosas à moda do Pàf


UPNRS

 

Durante a governação de Passos & Portas, Sérgio Monteiro, o ex-Secretário de Estado das Infraestruturas, Transportes e Comunicações, foi o responsável pela política de privatizações do Governo de Direita. Nessa época, Passos Coelho apresentou a renegociação de nove parcerias público-privadas rodoviárias como um dos casos de sucesso do famoso “corte nas gorduras do Estado”. A renegociação da concessão da A23 foi exibida como um exemplo de boa gestão pública, com Passos Coelho e Sérgio Monteiro a alegaram que o Estado pouparia 32,2% da verba gasta nessa PPP, o que representaria um valor bruto de 588 milhões de euros.

Agora, através do Jornal de Notícias, descobre-se que essa renegociação implicou a entrega de 717 milhões de euros das receitas das portagens à Scutvias, a concessionária privada que explora a autoestrada da Beira Interior. Ou seja, com esta renegociação, o Estado teve uma perda líquida de, pelo menos, 129 milhões de euros.

Segundo o artigo do JN, as receitas das portagens foram ainda subavaliadas e a poupança para o Estado foi empolada, o que significa que a perda real para o erário público poderá ser ainda muito superior – o JN refere que a perda final poderá chegar aos 300 milhões de euros. Isto vindo do Governo da malta que é regularmente promovida na comunicação social como grandes peritos em negócios.

Irónico, não é?

via Uma Página Numa Rede Social

Comments

  1. democracia says:

    comentários de adeptos da Paf a dizer, baseados em argumentos delirantes, que também isto é por culpa do sócrates e / ou da geringonça em 3, 2, 1…

  2. carlos pinheiro says:

    E este senhor ficou no Banco de Portugal, a ganhar uma fortuna, só para vender o Novo banco. Não foi assim? Alguém se lembra quanto é que ganha e alguém sabe o que é que já fez de palpável e visivel para vender bem o Novo Banco?

  3. O clássico exemplo páfiano de puxar o cobertor para tapar a cabeça e ficar com os pés ao frio. O problema é que cada puxadela do cobertor custa dinheiro, mas vá, os contribuintes e o estado social estão cá para isso não é?
    Quero ver como é que os direitolas vão por um spin nesta notícia. Foram apanhados de surpresa, visto que a esmagadora maioria dos media portugueses é descaradamente de direita. O gabinete de reformulação noticiosa e de redistribuição de culpabilidade Páfiana deve ter alugado uma 4×4 e estão agora todos no Algarve a tentar usar o cartão de estudante da Universidade de Verão do PSD para entrar no Hilton de Vilamoura com desconto, confiantes que nada vai acontecer na silly season.
    Eu próprio tive que ler duas vezes a notícia pois da primeira vez estranhei não ter visto nenhuma referência à Gerigonça, Sócrates ou aos malefícios do “regime soviético de esquerda”. Mas vá lá, é o JN. Sejamos francos, há bem piores..

  4. doorstep says:

    Ómessa!!! Então uma golpada destas não é mesmo de perito???
    E a Sra. Procuradora Geral non capisce? E a outra sra. procuradora, paladina da anti-corrupção, viúva de um brilhante jurista especializado em direito fiscal, então essa sra. também não dá fé? Será temor atávico? Ou cegueira selectiva?

  5. E este gajo recebe balurdios para estas cenas.

  6. António Ramos says:

    A serem provados estes negócios ruinosos, há que actuar judicialmente. Já é mais que tempo dos políticos serem julgados pelos seus actos. Então, Procuradoria Geral da República? Não actua? Uma vergonha.

Deixar um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s