Águeda: a autarquia em que os direitos cívicos do cidadão ficam à porta


gil-nadais

Já vos aconteceu terem sido bloqueados pelo vosso presidente da câmara municipal depois de lhe terem endereçado algumas perguntas pertinentes na sua página num post relacionado com um assunto de interesse municipal? A situação não é de todo vulgar mas aconteceu-me durante este fim-de-semana. Fui bloqueado pelo excelso Dr. Gil Nadais poucas horas depois de ter feito algumas perguntas pertinentes bem como algumas críticas (colocadas com um espírito de elevação e boa educação) na sua página em relação a este assunto que já me motivou a escrever aqui no Aventar.


Ao longo de meses, sempre que o presidente da Câmara Municipal de Águeda, o Dr. Gil Nadais colocou no seu perfil e na sua página pessoal posts relacionados com a evolução do dossier da instalação da empresa indiana Sakhti no Parque Empresarial do Casarão, manifestei vontade de o questionar em relação à política ambiental da empresa em questão e à inexistência (a empresa indiana confirmou a sua instalação no referido parque no ano passado; o último estudo de impacto ambiental relativo ao Parque Empresarial do Casarão foi realizado há 7 anos atrás em 2009) de um estudo ambiental que comprove que a actividade desta empresa no referido parque empresarial, parque que dista a menos de 3 km do leito do Rio Águeda, não irá afectar o maior curso hídrico da região. Em relação a estes assuntos cheguei inclusive a questionar se esta empresa, cuja actividade foi devidamente licenciada pela Câmara Municipal, tinha algum plano de prevenção para evitar o derrame de óleos e a contaminação dos solos e dos lençóis freáticos de óleos e outros resíduos, contaminação essa que provocará um decréscimo na qualidade da água e na qualidade de vida de milhares de cidadãos do concelho de Águeda. Ao mesmo tempo, na sua página denunciei com um enorme senso de civismo os abusos que estão a ser cometidos (com o mais alto patrocínio do município) em relação a alguns cidadãos do concelho (a empresa tem excluído automaticamente todos os candidatos acima dos 40 anos) no processo de recrutamento que a empresa tem vindo a levar a cabo nos últimos meses.

Nestas ocasiões, o Dr. Gil Nadais não só teve o descaramento de não vir a público esclarecer-me e realizar a devida prestação de contas da sua actividade, como teve o ordinário dislate de me negar o acesso à sua página com o objectivo expresso de me segregar. E isso aconteceu, curiosamente, depois de um dos seus antigos assessores de comunicação ter vindo, através do seu perfil, responder a um dos meus comentários.

Compreendo que em ano de eleições autárquicas, alguns autarcas (mesmo aqueles que serão impedidos pela lei de se recandidatar como é o caso de Gil Nadais) tenham a necessidade de menosprezar, achincalhar e abafar todas as vozes dissidentes e varrer para debaixo do tapete os problemas que possam vir a gerar confusões no futuro. Compreendo que em ano de eleições autárquicas, certos autarcas (como é o caso de Gil Nadais) tenham necessidade de carregar os munícipes com obras, com festas (neste plano, o município de Águeda está no topo das autarquias que mais esbanjam) e com a indispensável propaganda que visa só e somente a manutenção do status quo do regime vigente. Esta tipo de comportamentos são comportamentos naturais de uma estirpe que tem como objectivos principais a sua perpetuação ou a perpetuação dos seus boys no poder.

O que não compreendo é uma coisa na estratégia de comunicação do presidente da Câmara Municipal de Águeda: o porquê das suas páginas apenas servirem para este promover um certo culto de personalidade ao invés de servirem como uma ferramenta de interacção com os cidadãos do seu município. Nas suas páginas, não faltam diariamente as queixas de dezenas de munícipes. Faltam sim as respostas. No meu caso particular, faltou a educação e o bom senso. O que não me estranha nada. Aquele que há 12 anos atrás fez uma campanha negra contra o PSD, acusando o PSD\Águeda de ser um sistema bem oleado, nunca me iludiu em relação ao facto de pretender um dia formar um sistema do mesmo calibre, o que veio efectivamente a acontecer, não fosse o próprio Gil Nadais um produto genuíno da escola do PSD\Águeda, eleito em 2005 pelo Partido Socialista por razões que não interessa agora escalpelizar.

Para finalizar, resta-me dar uma pequena lição de democracia ao Dr. Gil Nadais: para se haver democracia, os detentores de cargos públicos devem pautar-se, na sua relação com os cidadãos, pelos princípios do respeito pelas várias expressões e opiniões, pelos princípios consagrados na nossa constituição no que concerne aos direitos, liberdades e garantias que esta concede aos cidadãos e com base no diálogo construtivo e na tolerância, bases e princípios que o Dr. Gil Nadais, autarca totalitário e intolerante, incapaz de ouvir e de dialogar com todos aqueles que tem um pensamento divergente do seu, não compreende, não respeita, não aceita e não executa.

Comments

  1. Alberto Marques says:

    Não se trata de uma “medida” inédita, da parte de quem “trata” da página do Presidente…

    • Efectivamente. Mas a estratégia agora passa por achincalhar-me em praça pública, tecendo considerações sobre a minha actividade profissional e fazendo relembrar o meu passado político porque um dia apoiei o Albano para a Junta de Aguada de Cima…

Deixar um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s