O Aventar não é (nem nunca foi) um blogue de Esquerda

Nunca é demais contar a História do Aventar, até porque começa hoje o mês em que comemoramos 8 anos de vida.
Recordo: vindo do 5 Dias, um blogue de comunistas e bloquistas, decidi criar um blogue que, ao contrário da maioria, fosse pluralista. Ou seja, com pessoas de Esquerda e de Direita e sem qualquer tipo de alinhamento ideológico definido.
Foi assim que comecei por convidar o Luís Moreira, que estava na área do PSD e que chegou a desempenhar cargos políticos de relevo durante os Governos de Cavaco Silva.
Depois dos restantes fundadores, dos quais só restam hoje a Carla Romualdo e o João Paulo Silva, o Aventar foi vendo aumentar o número de escribas, sempre com a preocupação de manter um certo equilíbrio. Ao fim de poucos meses, tínhamos gente como o Fernando Moreira de Sá, o Carlos Garcez Osório ou a Daniela Major, na área do PSD e do CDS, e gente como o João José Cardoso, o Fernando Nabais ou o Jorge Fliscorno, todos de Esquerda. Com a excepção do nosso Maior, todos os outros por cá andam.
Ao longo dos anos, muito mais gente entrou – de Direita, de Esquerda ou sem qualquer tendência. E a todos os que entram, só lhes pedimos que escrevam. O resto está justificado pelo simples facto de terem entrado.
Tudo isto para dizer que o Aventar não é de Esquerda nem de Direita. Nem portista nem benfiquista. Nem monárquico nem republicano. Nem católico nem ateu. É de quem escreve e de quem o faz diariamente. Sem ideologias nem linhas editoriais. Temos de tudo e até adeptos do Sporting.
Sempre foi assim e sempre assim será. Se há leitores que vêm ao engano, pedimos desculpa. Mas se é para se atirarem ao ar e pedirem a expulsão de alguém logo que vêem algo de Direita, o melhor é mesmo escolherem outro lugar – o que não falta por aí são blogues que dizem apenas o que os leitores querem ouvir.

Comments


  1. Será possível manter essa pluralidade tolerante durante muito tempo?… Já vi tantas “afirmações de princípios” que se esboroam perante o simples acenar de sinecurazinhas ou logo após o 1º confronto contraditório… Sei que é difícil, porque comecei a escrever no Jornal do Fundão, em 1964, com 21 anos e acabei a colaboração, sempre gratuita, há cerca de 3 anos…

    • Ricardo Ferreira Pinto says:

      No caso do Aventar, tem sido possível há 8 anos. E garanto-lhe, nunca houve uma única discussão interna por causa da política.

      • Rui Naldinho says:

        “Ah! Afinal você é que é o Dono Disto Tudo?”
        Nunca imaginei que você fosse o DDT do AVENTAR!
        Sempre pensei que isto fosse uma SARL, cotada na bolsa blogosférica, onde vários acionistas tentavam vender o seu produto, ao melhor preço.
        No inicio, eu olhava para o seu nome, “Ricardo”, e para as suas “narrativas” (onde é que eu já ouvi isto?), ainda desconfiei, de facto, pensava eu com os meus botões, … pois, o outro também é Ricardo, logo, este deverá ser no Aventar aquilo que o outro foi no BES. Mas olhava para o seu apelido, “Pinto”, e ficava de novo confuso, pois eu conheço o “Pinto Calçudo”, mas nunca conheci nenhum “Pinto Salgado”.
        Assim sendo comecei a desanimar.
        – Este não pode ser o DDT disto tudo. Tem que ser outro!
        – Mas quem?
        Ponderei telefonar ao Juiz Alexandrino, de Maçãs do Ribatejo, mas palpitava-me que seria em vão, pois ele só conta essas intimidades ao “Morning Post”, uma subsidiária do grupo COFINA em Londres.
        Foi ai que desisti de pensar no assunto, e passar apenas a ler e comentar no Aventar.
        Tenho tido sorte, apesar de tudo. Há quem leve mais porrada!

  2. Parabéns ao Aventar says:

    No Aventar também deveriam ser pluralistas nos comentários e não autorizar alguns autores de direita e de extrema direita de censurarem a torto e a direito.

    Lembra-se dum tal dinossauro palavroso de má memória ? Ou dum Paulo Vieira Egomaníaco da Selva, que nem saber escrever sabia e que plagiava textos de outras fontes ?

    Parabéns ao Aventar.
    Pelo fim da censura dos autores de meia tigela.

    • Ricardo Ferreira Pinto says:

      Sim, esses autores censuravam muito. A verdade é que acabaram por sair.
      A política geral é a da aprovação de todos os comentários. Não temos comentários moderados.
      Veja o exemplo de um dos actuais autores de Direita, que nos últimos dias tem sido praticamente insultado e, mesmo assim, não apaga nada.

  3. Jota says:

    E aquele deputado do CDS que tem um blogue com o titulo “À Vontade do Freguês” ?!


  4. Pois é verdade ! Até adeptos do Sporting … pelo menos por um posso testemunhar que lê este blog com o apreço de quem gosta de opiniões e pontos de vista diferentes … mesmo que (sobretudo quando) não coincidentes …


  5. Embora eu visite blogues que sejam de campo ideológico diferente do meu, até porque gosto de ouvir o contraditório e por vezes tenho de lhes dar razão, mesmo que genericamente a pensem diferente de mim, o que eu não gosto é de propagandistas de ideologias disfarçados de isentos e nisso o Aventar está de parabéns. Frontalidade doa ou não doa, mas sem hipocrisia é a característica que mais aprecio no Aventar.

  6. atento às cenas says:

    tudo bem mas acho que podiam arranjar uns tipos de direita menos toscos. não deve ser difícil e o aventar merecia

  7. Daniela Major says:

    Pequeno contributo para a História do Aventar e em especial resposta àqueles que acham que a verdadeira pluralidade não é possível:

    É de referir que eu já não partilho da grande maioria das posições políticas que tinha quando aqui entrei. Mas é também de referir que mesmo quando eu era de Direita nunca senti por parte de ninguém do Aventar algum tipo de pressão para não o ser. E lembro-me, também, que os meus camaradas de blogue que na altura discordavam de mim estavam sempre prontos a defender-me quando aparecia alguém menos correcto nas caixas de comentários. O Aventar é um blogue plural, sempre o foi e espero que continue a ser.

    O que me parece verdadeiramente preocupante é esta tendência cada vez mais constante em tratar assuntos de natureza política e social como sendo imutáveis e irreconcilíaveis. Agora só queremos ver, ler e ouvir o que nos agrada? Será assim tão difícil conceber que alguém de Esquerda tenha amigos de Direita ou que goste de ler textos de alguém de direita mesmo não partilhando da sua opinião? É por eu ser actualmente uma pessoa mais ligada às “esquerdas” que vou deixar de ler o Fernando Moreira de Sá ou o António de Almeida? Ou que me passaria pela cabeça achar que eles não têm lugar no blogue? É evidente que não e aliás, parece-me até uma coisa do senso comum democrático, esse pequeno pormenor da tolerância e do respeito pelos outros.

  8. Manuel da Silva Moutinho says:

    Parabéns e muitas escritas

  9. DCAC says:

    Gostei de saber mais pormenores sobre o Aventar e a sua “filosofia”.
    Sou leitor regular.
    De facto, a Liberdade é de direita ou de esquerda. E a responsabilidade é de onde? E a cidadania é de quêm?
    Agradeço aos autores e aos comentadores o prazer de ler o que escrevem a possibilidade de fazer cidadania pela dialéctica do pensamento.

Trackbacks


  1. […] Aventar é, desde o seu início, um blog pluralista, com autores de todos os quadrantes, políticos e não só. Quem lê o Aventar com continuidade, […]

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.