As notícias da morte d’Os Truques foram manifestamente exageradas


ot

A ideia que fica é que são os Truques quem está a matar a imprensa portuguesa, não o contrário, Fernando. Aliás, o teu post refere isso, no final, quando afirmas que o irmão do Primeiro deu uma bazucada no jornalismo português. Não foi o único. Como as fake news e o clickbait, os jornalistas que se vêm prestando a este papel multiplicam-se, expondo desta forma o atoleiro em que está metida a grande parte da nossa imprensa. E não digo toda porque acredito que ainda existem muitos profissionais do jornalismo a lutar contra a corrente e a fazer um excelente trabalho. Mas até o melhor trabalho corre hoje o risco de ser reduzido a duas frases descontextualizadas, enganadoras e polémicas, para consumo rápido nas redes sociais.

Em todo o caso, e apesar da aparente esparrela em que caíram, parece-me que as notícias da morte dos Truques são manifestamente exageradas. Não digo que não possa acontecer, mas não me parece que um projecto destes caia por terra ao primeiro solavanco. Estão a fazer um excelente trabalho, nisso penso que concordamos, estão a pôr a imprensa em sentido e têm uma taxa de engagement capaz de fazer qualquer jornal, mesmo o JN com os seus quase 2 milhões de seguidores, ficar verde de inveja. A imprensa a perder leitores e vendas, os Truques a crescer em seguidores, alcance e impacto.

Se a identidade dos autores da página for revelada, pelo menos a daqueles que se reuniram com o jornalista do Expresso, suspeito que o grupo de Balsemão irá sofrer represálias. Poderá perder ainda mais leitores, sujeitar-se às consequências imprevisíveis da fúria virtual nas redes sociais e ver a sua credibilidade escorregar cano abaixo. Quem voltará a confiar num jornalista do Expresso para falar em off, sabendo que corre o risco de ver a sua identidade revelada para satisfazer o capricho de um qualquer director zangado? Parece-me, talvez esteja enganado, que o Expresso tem mais a perder do que os Truques. E o exemplo dado por Ricardo Costa, de cabeça perdida a fazer comparações disparatadas e imbecis com o KKK, Trump ou Steve Bannon é a prova disso mesmo.

Espero sinceramente que os Truques continuem a prestar o serviço público que vêm prestando aos portugueses. É importante haver quem escrutine a imprensa na era dos factos alternativos. Quem nos proteja da falta de rigor e de isenção que está a infectar o trabalho jornalístico. Serão de esquerda, como alguns os acusam? Talvez. Mas essa é uma acusação que vale muito pouco num país onde a imprensa é detida e controlada por militantes e pessoas próximas dos partidos de direita e do pensamento conservador e liberal. Uma acusação que teria alguma substância caso existisse imprensa de esquerda neste país, algo que, como sabemos, não passa de um mito.

 

Comments

  1. Rui Naldinho says:

    Excelente comentário.
    Como afirmei ontem, há sempre um Aventador para contrariar a visão de um outro Aventador. Todos os argumentos são válidos. Tanto de um lado como do outro. Cada um que os análise.
    Há algum mal nisso? Nem por sombras!
    Independentemente da opinião de cada um deles, falou-se nos “Truques da Imprensa Portuguesa”. Não fossem um incómodo, e ninguém se lembraria deles. Virão outros falar do tema. Quase certo.
    Pergunta-se:
    Então, porque é que na imprensa portuguesa levamos com doses maciças de escribas arregimentados, e não hà contraditório. Um desalinhado qualquer, que diga:
    – CALMA, QUE ISSO NÃO É BEM ASSIM!
    A resposta é óbvia.
    Esse/a gajo/a viriam estragar o esquema todo. E aqui aqui no nosso “newspaper”, diz o patrão, não vos pagam para isso. A nossa missão é a educação pró liberalismo. Queremos gajos com fé e não com dúvidas.

  2. M. Rodrigues. says:

    Se considerarmos o jornalismo de elite como sendo aquele que se distingue pelo share, audiência e clickbaits, então descaradamente notamos que o jornalismo duma forma geral, jornais, revistas e telejornais estão descarada e violentamente ligados a políticos sombra, políticos “inativos”, lobbies, interesses e… corrupção. Quando em Portugal se realiza uma sondagem de “encher chouriços” que “mostra” que a opinião geral dos cidadãos é a de que não existem grandes graus de corrupção no país, então… é só pensar um bocadinho. Aliás, um bocadão. Pois o sistema está muito bem montado.

  3. E eu digo e faço minhas as palavras do nosso amigo Albert Einstein “Infinitos só os universos e a estupidez humana”,porque tudo o resto tem principio meio e fim e serve para nos manter nesta evolução e progresso neste percurso mortal perante a eternidade que nos espera !!!

  4. Se essa é a interpretação que retiras do meu post (tu ou qualquer outro leitor), lamento pois não é isso que afirmo. Quem está a matar o jornalismo são exactamente os alvos do Truques (aliás, bastava clicar no link para o meu post sobre os Truques para se perceber perfeitamente a minha opinião sobre a página.
    Quando escrevo e volto o a sublinhar que um truques (do Expresso/Ricardo Costa) matou (vai matar) os Truques da Imprensa é apenas um dado que retiro da experiência e que, para melhor clarificar, vou explicar melhor: se a página era anónima tinha um motivo para tal. Os seus autores assim a fizeram para não ser perseguidos. E não é perseguidos nas redes sociais, com isso podem eles e qualquer um de nós. É a perseguição de que vão ser alvo nas suas vidas profissionais e pessoais. Porque esta malta não brinca em serviço. Primeiro vão procurar tudo sobre cada um dos autores, depois vão tresler o que eles escreveram e no final eles (os autores) vão calmamente desaparecer do radar para terem sossego. Vale uma aposta?
    Parece que estou a ver o filme:
    Qualquer dia um jornal qualquer vai publicar que “Autor da página Truques da Imprensa” atropelou um gato na Avenida 24 de Julho” e ninguém vai ligar muito. Até que o CM vai publicar que “Auto da página Truques da Imprensa odeia gatos e mata-os por prazer”, já um outro vai publicar que “segundo notícias vindas a lume na imprensa, autores da página Truques da Imprensa apanhados bêbados na 24 de julho a matar gatos” e por aí fora. E se a coisa for com gatos estão eles cheios de sorte..
    Repito aqui, João, o que disse no face do Aventar:

    “É o que normalmente acontece nestas coisas. É o resultado da acção do Ricardo Costa pois agora os autores vão ser perseguidos como é costume em Portugal, é a velha máxima de matar o mensageiro. Lamentável e mau, muito mau!”

Trackbacks

  1. […] jornalistas e bom jornalismo. O problema é que os casos se sucedem e multiplicam, todos os dias, e a forma como alguns jornalistas com nome na praça se expõem, ao invés de assumir responsabilida…, mostra bem ao que […]

  2. […] o Expresso do josegomesferreirismo, dos Panama Papers e do Wikileaks desaparecidos em combate e do Ricardo Costa de cabeça perdida a comparar a página Os truques da imprensa portuguesa com o KKK. O Expresso que patrocina conteúdos do Correio da Manhã que promovem o candidato autárquico da […]

Deixar um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s