Porque será que tudo vai dar ao BES?


Já em 2004, quando se falou no negócio dos submarinos, aquele que teve condenados pelo pagamento de luvas na Alemanha, mas que em Portugal ninguém terá recebido, pelo que o caso acabou encerrado, o esquema teria sido feito através da Escom, que pertencia ao BES.
Sabe-se agora que cerca de 7,8 mil milhões de Euros transferidos para offshore entre 2011 e 2014, tiveram origem no BES. O próprio presidente do BES terá retirado algumas centenas de milhões de Euros nas últimas semanas.

Parte significativa das transferências efectuadas em 2015, dizia respeito à venda da PT à Altice. Convém referir que a PT caiu pela exposição à Rioforte que pertencia ao universo BES. Mas vinha de longe a intromissão do GES na PT, basta recordar a OPA da Sonaecom à PT, travada pelo conluio entre governo, BES, CGG e alguns capitalistas quase sempre falidos ou com falta de liquidez, mas encostados ao Estado.
E aqui, seguramente não por acaso, entra também ao barulho a CGD. Isto é muito mais grave que os SMS de Centeno. Boa parte do crédito mal parado foi concedido no tempo da gestão política de Armando Vara. É para isto que serve um Banco publico? O anterior governo foi conivente, pois enquanto accionista não denunciou o esbulho nem colocou um ponto final na bandalheira que existe no sistema financeiro português. À qual o actual governo também não se pode eximir de responsabilidades. E muito menos os partidos políticos que têm sido verdadeiros parasitas…
Paulo Núncio, secretário de Estado do anterior governo e para já, responsável assumido pela não publicação das listas de transferências, foi advogado da Petróleos da Venezuela, tendo esta empresa efectuado as transferências para o Panamá, através do BES. Não deixa de ser curioso que a empresa estatal Petróleos da Venezuela, tutelada sucessivamente pelos governos bolivarianos de Chavez e Maduro, surja nestes esquemas. Mas também conhecemos a proximidade entre o BES e o governo de José Sócrates e também entre este e o antigo presidente Hugo Chavez.

Comments

  1. Rui Naldinho says:

    Porque será que em Portugal tudo o que cheira a corrupção, tráfico de influências, fuga ao fisco, vai dar ao BES, BPN, BPP, EFISA, BANIF, CGD, PSD, CDS e PS?
    Porque será que em Portugal o BPN foi há oito anos, e ainda anda tudo a passear, numa boa? E já agora o BPP?
    Porque será que Ricardo Salgado foi o presumível agente corruptor no negócio dos submarinos e nem sequer há acusados?
    Porque é que Ricardo Salgado foi o agente corruptor de Sócrates, com a conivência de Granadeiro, Zeinal Bava, Lalanda de Castro, Hélder Bataglia, Carlos Santos Silva, etc, mas apenas estão preocupados em condenar José Sócrates, como se o nosso “pinóquio” fosse o UCDT – Único Culpado Disto Tudo?
    Tenho pena de morrer sem ver o desfecho desta Triologia?
    E cheira-me que esta gente só vai ser “condenada no além” não por crimes, mas por já estarem atrasados para uma futura reencarnação.

    • martinhopm says:

      Vai dar à banca e aos partidos do renomeado ‘arco da governação’, acolitados ou não pelo seráfico CDS. Motivo(s)? Estarmos asfixiados pelos interesses da classe dominante que, qual ‘polvo’, tudo domina e que não abre mão das suas numerosas prebendas. Claro que tem a prestimosa ajuda de alguns vassalos. Aqui posso referir os grandes escritórios de advogados, alguns políticos, etc.

  2. Filipe says:

    Porque tudo vai dar ao Sócrates ? O que indigna o POVO é a constante frase que deve existir separação de poderes , entre justiça e poder político . Mas , o povo já com a cara cheia de lama ainda consegue perceber que é uma abismal treta a frase , vejamos ; Os tribunais superiores em Portugal ALBERGAM uma quantidade de gente partidária que já pertenceu a constantes governos nas chefias de delegações , como na PSP ou PJ . E , até foram demitidos por incompetência . Agora voltaram ao palco da justiça para decidir contra quem os meteu na rua , e esta ? “Quis uma coincidência que Santos Cabral, demitido da direcção da Polícia Judiciária, em 2006, pela mão de Alberto Costa e José Sócrates” , este Santos Cabral é um dos metidos na rua e agora PRESIDENTE de uma secção Criminal no Supremo Tribunal de Justiça . Que grande separação de poderes , ora estão com um pé na justiça ora estão com um pé no governo . Mandem mais lama para a cara do povo !!””A carta “anónima” dirigida à Polícia Judiciária no início de 2005, que incriminava o secretário-geral do Partido Socialista, José Sócrates, e que deu origem ao processo Freeport, foi escrita por sugestão da própria PJ. Na verdade, a carta nunca foi anónima, já que o seu autor sempre foi conhecido dos investigadores policiais e chegou mesmo a participar em reuniões com inspectores da PJ.” In: https://www.oa.pt/upl/%7B3af163ea-2926-48e2-9371-485dae005348%7D.pdf … “Recurso de Sócrates nas mãos de ex-director adjunto da PJ Presidente da Relação admite ter havido problema no sistema informático, mas garante que a distribuição do processo não foi prejudicada.” In:https://www.publico.pt/2015/02/02/sociedade/noticia/recurso-de-socrates-nas-maos-de-exdirector-adjunto-da-pj-1684821… ” Até hoje, Paulo Silva é o único inspetor das Finanças a trabalhar com o DCIAP como instrutor de processos. Isso, no entanto, não o tem ajudado a progredir na carreira. Pelo contrário. A última referência que lhe é feita no “Diário da República” relativa a uma promoção remonta a 2003, quando ascendeu ao nível 2 do grau 4 da categoria de inspetor tributário, correspondendo-lhe um salário bruto de cerca de 2500 euros, o que não chega a 1500 euros líquidos por mês. Acima do nível 2 existem as categorias de inspetor tributário principal (que vai até 2883 euros brutos por mês), assessor (2935 euros) e assessor principal (3089 euros).O facto de o inspetor estar afastado das suas funções habituais na Direção de Finanças de Braga desde 2005 tem-lhe trazido dissabores, na realidade. Isso levou-o no final de 2012 a contestar internamente a forma como foi avaliado nesse ano e no ano anterior, em relação a 2011 e 2010.”…”Em 2013, Paulo Silva pôs o Ministério das Finanças em tribunal. E a 28 de novembro de 2014, uma semana depois de ter detido José Sócrates, o inspetor tributário ganhou o processo. Um coletivo de juízes decidia a seu favor. ” In:http://expresso.sapo.pt/sociedade/2017-01-15-O-cacador-de-tubaroes…”Jorge Rosário Teixeira, prestes a completar 50 anos de idade, foi o responsável pela detenção de Duarte Lima.
    Quando anos Fernando Negrão foi chamado para dirigir a Polícia Judiciária, o agora deputado social-democrata chamou para seu adjunto Jorge Rosário Teixeira, a quem entregou a direcção do combate à corrupção.” In:http://expresso.sapo.pt/actualidade/jorge-rosario-teixeira-o-homem-que-deteve-duarte-lima=f688567… Quem correu afinal ou tirou Sócrates da vida política ? O António Seguro evaporou e … temos mais : “O juiz do Ticão foi contemporâneo e apoiante de António Costa, o candidato do PS a primeiro-ministro, que integrou a lista vitoriosa à presidência da associação académica da faculdade.” … “” …o primo Vítor Alexandre, ex-diretor-adjunto da Polícia Judiciária, e hoje a sua sombra, sobretudo quando se trata de fazer diligências pelo País fora a pretexto de casos em andamento ou recolher informações de pessoas que nele confiam…. ” … “O outro polo de afetividade de Carlos Alexandre é o Alandroal, terra da mulher, cuja família possui casas e propriedades com inquilinos de respeito: sim, as senhorias das sedes do PS e PCP no concelho alentejano são a esposa e uma cunhada.” In:Artigo publicado na Revista VISÃO nº 1175 de 10 de setembro de 2015….”em Novembro de 2005 – falavam de manobras de bastidores para a substituição do então procurador-geral da República (PGR), Souto Moura.
    A PJ gravara os maçons Abel Pinheiro e Fernando Marques da Costa, assessor do Presidente da República Jorge Sampaio, a discutirem a possibilidade de Rui Pereira, também maçom do Grande Oriente Lusitano (GOL) e hoje ministro da Administração Interna, poder vir a ser o futuro PGR. Na altura, o caso provocou um verdadeiro terramoto político, mas publicamente foi dado como adquirido que o procurador do inquérito, Rosário Teixeira, ia pedir ao juiz a destruição das intercepções telefónicas. O Ministério Público (MP) não juntou as transcrições ao processo, mas também não pediu a sua destruição. As escutas ficaram sob a alçada do TCIC e a SÁBADO sabe que contêm várias informações com importância política: a preparação da candidatura de Mário Soares às presidenciais de 2006 e os acordos de cavalheiros na maçonaria para um pacto de não agressão à candidatura; as negociações da formação do governo liderado por Santana Lopes e aquilo que o PSD estava disposto a oferecer a Paulo Portas, o então ministro da Defesa que queria a pasta da Administração Interna, mas que nunca conseguiu convencer os social-democratas; e a discussão da liderança do CDS-PP pós-Paulo Portas, nomeadamente os alegados convites feitos por Portas a António Pires de Lima.
    É com informações como esta que Carlos Alexandre lida todos os dias no Ticão. “In : /site/bradasarmas/…”Insídias num ninho de víboras:
    Repare-se nestas duas páginas da revista Sábado de hoje que tratam de um assunto mais grave do que parece: o juiz Carlos Alexandre alvo de uma insídia insuspeita, vinda de quem menos se esperaria, o DCIAP.

    ONDE VAI PARAR TUDO ?

Deixar um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s