Pensamento profundo

Com que legitimidade é que as pessoas põem no mundo crianças?

Comments

  1. Jose Oliveira says:

    Para colocar crianças no mundo não é preciso legitimidade nenhuma, basta uma trepa e zás… Isto é como os coelhos. Nem mais nem menos. Ora bem…..

  2. Paulo Marques says:

    Antes elas do que eu.

  3. Konigvs says:

    “Nove mil milhões de razões para não ter filhos”.
    Um artigo brilhante que um dia hei-de escrever… assim mais ou menos como o livro do Ega.

  4. Rui Naldinho says:

    A sua pergunta é pertinente. Essa questão já a coloquei a mim mesmo, dezenas de vezes, e em várias circunstâncias da minha vida.
    Nenhum de nós passa incólume por um casal de namorados, ambos toxicodependentes, ela grávida de alguns meses, com uma barriguinha já bem visível, completamente ganzados, snifados, sei lá, … ela a bater-lhe com estaladas na cara, perante a sua indiferença. Depois começa a insultá-lo, a seguir chora e morde as mãos…isto tudo em plena Rua de Sá de Noronha, no Porto, ali para lados do Restaurante Moinho de Vento.
    A notícia de ontem no Telejornal sobre a criança subnutrida, em Viseu, entretanto adoptada por um casal, “que resolveu dar com a língua nos dentes…”, voltou a regurgitar em mim, o mesmo pensamento.

  5. Paulo Só says:

    É uma das poucas coisas que somos livres, e responsáveis de fazer ou não. Aparentemente de não fazer, hoje, em Portugal. Crianças são apenas velhos por antecipação.

  6. Eu mesma says:

    Parece que não estou sozinha ao pensar “há gente que não distingue fazer filhos de ter filhos”. Por várias razões (bullying escolar, assédio moral no local de trabalho, crianças malcriadas que fazem birras épicas, para dizer duas ou três) tenho encontrado ao longo da vida “gente” que dá vontade de olhar para eles/elas e dizer “a sério que a tua mãe prosseguiu com a gravidez quando soube que estavas a caminho?!” É que a malta que se mete a fazer filhos deve pensar que o abono de família é algo chorudo, só isso explica a rapidez com que se metem a pôr novos seres humanos (?) neste planeta, para depois não se darem ao trabalho de os/as educar, com os óbvios resultados que todos nós conhecemos.

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.