O PS é permeável aos grandes interesses económicos. Qual é a novidade?

Ontem, ou talvez até na Quinta-feira, recebi uma notificação de um jornal, penso que do Diário de Notícias, que fazia referência à tensão no seio do PS, a propósito das declarações de Catarina Martins. Fui espreitar, curioso, e percebo que fui enganado. Afinal, era apenas Francisco Assis a exigir que o seu partido defendesse a sua honradez. E todos sabemos que Assis é tão representativo deste PS como Pacheco Pereira do PSD passista.

Como ainda não tinha ouvido as declarações da líder do Bloco, aproveitei a deixa. Vou a ver e a senhora não diz nada de novo. O PS é permeável aos grandes interesses económicos? Oh my fucking God, por esta é que eu não esperava! Qual é mesmo a novidade?

Toda a gente (que não anda a dormir) sabe que o PS é permeável aos grandes interesses económicos. São célebres as danças de cadeiras, de Pina Moura a Jorge Coelho, como célebre é o romance entre José Sócrates e Ricardo Salgado, apenas para citar alguns exemplos. E o caso das rendas da EDP não é caso isolado na vigência deste governo.

Então, qual é a novidade?

A novidade é que o Bloco, tal como o PCP, está a endurecer o discurso. Mariana Mortágua já o tinha feito no Parlamento, com a excelência a que nos habituou, e agora foi a vez da coordenadora do BE. A diferença é que, pelo menos até ver, não existem oportunistas irrevogáveis entre os parceiros parlamentares do PS, sedentos de poder e de promoções pessoais. O que vem apenas confirmar que tanto o Bloco como o PCP são partidos mais responsáveis que o CDS-PP. Mas isso também não é nenhuma novidade, pois não?

Comments

  1. Ana A. says:

    Deve estar na hora de marcar um “rendez-vous” na Mealhada…a Bem da Nação!


  2. Sempre a mesma ladainha!

    Se o BE tivesse estado com as patas no POTE tanto tempo quanto o PS hoje líamos, dito por alguém que nunca teve acesso directo ao POTE, “O BE é permeável aos grandes interesses económicos.

    Salafrários são TODOS iguais… a única diferença é que uns já se lambuzaram no POTE, outros não!

    • ZE LOPES says:

      Não há que enganar! V. Exa. mostra não ter feito serviço militar na marinha! Aposto que na guarnição do saudoso “Barracuda”! A sua profundidade de pensamento é impressionante!!

    • ZE LOPES says:

      Uma questão para profunda reflexão, como é apanágio de V. Exa.: não terá sido o Universo criado por um salafrário?

      Sugiro ate´é a V. exa., como especialista em salafrice, que partilhe connosco a sua vasta experiência editando um ,livro autobiográfico que poderia intitular-se “O caçador de salafrários”.

  3. antero seguro says:

    O PS nunca engana, está-lhe no ADN.

  4. Rui Naldinho says:

    Não há novidade, João, nesse sentido estético que queres transmitir-nos.
    Mas há novidade, olhando para o passado recente. Aquela “surpresa sempre repetida”, do é agora que vamos mudar, para repetirem as mesmas asneiras do costume.
    Sim João, há PS casmurro, seguro do seu discurso bonacheirão, sempre abrangente, do tipo “porreiro pá”, deu no que deu, na tentativa de fazer a espragata!
    Chama-se a isso, tentar comer em vários tabuleiros, fingindo que se é tudo e o seu contrário.
    Como sabemos pelos resultados eleitorais na Europa, essa política dos socialistas e sociais democratas, deu no que deu. O seu definhamento total, cuja recuperação para valores do início de século, é tão difícil como pagar a dívida. Passarão vários anos até vermos um partido socialista maioritariamente. E mesmo o nosso, só se reabilitou em parte graças á Geringonça.
    O PS nunca conseguiu entender que a direita através dos seus agentes e da sua massa crítica, domina a economia em todo o seu esplendor. E o PSD, mais até do que o CDS são os seus interlocutores políticos. Apenas se servem do PS, amiúde, para colocar uns gajos no poleiro, para que estes lhes desenvincilhem alguns imbróglios, em face a uma nova conjuntura política desfavorável. Foi aquilo que aconteceu recentemente. Caso contrário tratam o PS como um partido de frouxos. Xuxialistas. Politicamente correto. Uns bananas.
    Se contarmos os eleitos do PS em cargos presidenciáveis ou de administração, com poder executivo, vou repetir, com poder executivo, nas energéticas, nas telecomunicações, bancos privados, seguros, saúde, vias de comunicação, transportadoras, enfim, no PSI 20, e os compararmos em número, com os eleitos do PSD, a disparidade é brutal.
    Assim sendo, qual a razão para o PS não assumir de vez essa rotura e tratar destes assuntos como um verdadeiro agente regulador e fiscalizador do Estado. O contribuinte.
    Eu não renego o capitalismo, nem a economia de mercado. Até hoje ainda não consegui encontrar um sistema mais eficaz, que o capitalismo. Mas quero um capitalismo regulado. Super regulado. Com olhos de mosca. Fortemente fiscalizado pelos agentes que devem evitar os seus abusos. Mas acima de tudo, evitar o seu aventureirismo no chamado capitalismo de casino.
    Mariana Mortágua tem razão. Catarina Martins, idem.
    O PS se quiser, pode entregar-se de alma e coração ao PSD numa coligação pós 2019. O seu destino está traçado e de novo virão anos duros.
    A falta de vergonha paga-se caro. E serve-nos depois, os Trumps, os Farage, as Le Pen, desta vida.

  5. que vergonha, aventar. says:

    a culpa é do vieira e do Benfica.

  6. JgMenos says:

    Haveria de ser impermeável?
    Ou a estupidez como arma política…para esquerdalhos.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.