Retrato musicado de António Marinho e Pinto

Porque eu só estou bem
Aonde não estou

O Antero de Quental e o António Variações eram gémeos?


Hoje, no Google.

O Baú das Músicas Portuguesas – VII

Um baú como este, cheio de discos mais ou menos antigos, diversificados e de géneros distintos, tinha que lá ter umas canções de um rapaz de Braga, cabeleireiro, que sonhava fazer uma música onde coubessem o Minho e Nova Yorque ao mesmo tempo. António, era o nome do rapaz.

Variações à venda

Uma parte da vida de António Variações vai estar em foco, hoje, no leilão de um conjunto de objectos que pertenceram ao cantor.

Manuscritos, fotos, roupas, cassetes são apenas alguns dos muitos elementos que fazem parte de mais de 200 lotes a leiloar no Centro Cultural de Belém, cenário daquele que é o primeiro leilão do espólio de um artista pop no país. Pode ser acompanhado na internet através do site "p4liveauctions.com".

 

 

A leiloeira P4 colocou a base de licitação entre os dez euros e os mil euros. Há um conjunto de 41 cassetes originais que estiveram na base do projecto "Humanos", muitas fotografias, moedas, roupas, adereços, peças de bijutaria e objectos que o artista usava na sua arte de barbeiro.

 

Um dia destes alguém se vai lembrar de fazer um museu com o espólio de Variações. Argumentos há muitos. Desde logo, por ser o primeiro verdadeiro artista pop português. Graças ao carisma, personalidade e, claro, também aquela  excentricidade que tanto espantou um Portugal moralmente atrasado.

 

O problema é que quando quiserem fazer o tal museu, pode ser tarde demais.