O Mário Crespo não tem razão

Depois de tudo visto e ponderado Mário Crespo não tem razão.

Qualquer pessoa, incluindo o primeiro ministro tem o direito de almoçar em paz e se dirigir a um amigo ou conhecido e dizer-lhe que há uns quantos gajos que são um problema. O que no caso do Mário Crespo, em relação a Sócrates, até é verdade!

Mário Crespo, não pode, pelo facto de ser jornalista,  ter privilégios e utilizar uma coluna num jornal para se queixar que o primeiro ministro se referiu a ele como um problema. Se Mário Crespo acredita no que alguem lhe disse sobre o comportamento de Sócrates, só tem que tratar do assunto pessoalmente, ou tomar as medidas necessárias para se defender. Por exemplo, tratar do assunto nos tribunais!

Quando a conversa de Sousa Franco foi transcrita num “pasquim” onde escrevia uma determinada jornalista, que almoçava no PABE, muitos confrontaram-se com o facto de um jornalista poder utilizar o que ouve, sem contraditório, sem saber o enquadramento da conversa, sem saber se se trata ou não de uma bravata, ou se é uma conversa privada, o que é mais que suficiente num estado de Direito!

Ou os jornalistas são bufos? Ouvem, recebem umas encomendas e transformam tudo em notícia, isto é, publicam ? Acusam porque alguem ouviu dizer, ou porque alguem lhes deu um papel roubado, ou porque alguem achou um papel ou tropeçou num telefonema, ou num fax como o caso do Público, via DN?

A dignidade, a reserva, a privacidade já não contam face  à ganância do sensacionalismo a qualquer preço?

Aonde nos levará isto ? Há poucas coisas tão parecidas com o fascismo como a “bufaria” a qualquer preço, onde vale tudo. Lembram-se quando Portas, estava no gabinete de Tomaz Taveira a fazer-lhe uma entrevista e ouviu um telefonema com Miguel Cadilhe, então ministro das finanças, e publicou o telefonema privado no jornal sem pedir autorização aos próprios?

Tenho que começar a ter cuidado com o que digo aos meus amigos? Tenho que baixar a voz nos restaurantes? Não posso dizer mal de Sócrates em público? Tenho que voltar a olhar em volta antes de emitir uma opinião?

Antes eram os agentes da PIDE agora são os jornalistas?

Comments

  1. Carlos Loures says:

    Agora, sem ironia – Serviço Público! Excelente e honesto texto, sobretudo vindo de ti (que adoras o Sócrates!) – mas não devemos lançar mão de tudo para atacar os adversários. A posição do Mário Crespo é insustentável à luz da deontologia da sua classe profissional.

  2. António Soares says:

    Não deves ter espelhos em casa…pede um a Fernando Charrua,à M.M.Guedes,ao Moniz,e a tantos outros que há por aí….Cego é, quem não quer ver ,nem deixa os outros verem!!!!

  3. Octávio V Gonçalves says:

    Um post obscurantista que parte de uma falácia de base e que se traduz na confusão propositada entre vida privada e vida pública.
    Sempre que a vida privada se ocupa, em pessoas com funções públicas de relevo (veja como nas democracias adultas se faz o exame da vida privada dos candidatos a lugares públicos – onde Sócrates nunca chegaria onde chegou em Portugal), de temas ou assuntos, de cuja discussão ou decisão, possam resultar consequências públicas (interferência nos critérios jornalísticos de uma empresa privada – “problema a solucionar”), estes deixam de ser privados. Isto é do mais elementar.
    Se Sócrates sai com esta ou com aquela namorada (apenas para dar um exemplo), isto sim é do domínio da sua vida privada, porque não tem nenhuma relevância para a organização social e a vida de outras pessoas que decorra do exercício da função de primeiro-ministro.
    Calar jornalistas e controlar empresas de comunicação social tem relevância pública e política inquestionáveis, pelo que tudo o que lhe esteja associado ou contribua, directa ou indirectamente (mesmo no mais recôndito de qualquer alcova), para esse resultado tem interesse público.
    Acontece que Mário Crespo foi supostamente acusado de “debilidade mental”, não por qualquer actos ou imputações da sua vida privada, mas em consequência da sua intervenção pública enquanto jornalista e cronista. Logo, a sua reacção não pode, nem deve ficar remetida à sua vida privada, mas denunciada no quadro do contexto que originou a reacção “privada” de Sócrates. Gritar, num local público, sobre temas públicos é vida privada? Quando um marido bate, num local público, à esposa, isso é assunto privado? Calar um jornalista ou condicionar a comunicação social é assunto privado?
    Se o ilustre postador ouvir uma conversa privada (daquelas em surdina e não tonitruantes para impressionar e intimidar) em que se giza um assalto a um banco ou um homicídio, não a denuncia?
    Nas figuras públicas, as situações, como a que Mário Crespo descreve, devem ser denunciadas exactamente para que qualquer cidadão que não controle o poder, possa continuar a ter conversas privadas e conversas públicas sem ter que ser “solucionado”.
    Perante a vergonha e a desfaçatez que é a actuação chavista (esse pelo menos é frontal e não recorre ao esgoto da sua “rapaziada”) deste primeiro-ministro e no actual quadro do que as escutas do processo “Face Oculta” revelam, o seu post é um nojo que apenas suporta a perpetuação na política de gente desqualificada e atrevida que medra à custa do erário público e de pessoas política e moralmente desleixadas, como o ilustre postador.

    • Luís Moreira says:

      O exemplo das democracias “avançadas” onde os jornalistas cheiram e espiam o bacio dos políticos não é exemplo nenhum.Exemplo é o Blair estar a responder em tribunal por causa do Iraque, mas isso é exemplo de que o meu amigo Octávio nunca se lembraria…

  4. Luis Moreira says:

    O Octávio, não lê o Aventar. todos os dias tenho aqui um texto contra Sócrates. E logo às 15 horas outro a favor da Manuela Moura Guedes,Moniz, José Manuel Fernandes .Poucos têm criticado tanto Sócrates quanto eu, mas isso não quer dizer que as pessoas não tenham direito à sua vida privada. Ou trocamos Sócrates pelos Mários Crespos?

  5. Luis Moreira says:

    António Soares, vemos tanto e tão bem, que eu até já coloquei um “anúncio” aqui no Aventar para alguem que queira escrever a dizer bem do Sócrates…


  6. É o que eu tenho dito! A culpa vai ser dos jornalistas que se andam a intrometer nas ‘mafias’ dos alegados políticos corruptos (para ser meiguinho!). E as provas que vão sendo divulgadas vão acabar por se tornar magníficos materiais inúteis… banais! E ninguém faz nada!

    • Luís Moreira says:

      O problema meu caro, é que os jornalistas não investigam não fazem o trabalho de casa que dá muito trabalho. Fazem parte da pocilga. Ou é mau o Sócrates andar a mentir-nos e é bom os jornalistas fazerem o mesmo? A liberdade de expressão é monopolio dos jornalistas?

  7. Fernando Moreira de Sá says:

    É uma tremenda injustiça o que alguns comentadores aqui escreveram sobre o Luís Moreira. Se alguém na blogosfera portuguesa, com educação e lisura, escreve diariamente contra Sócrates é o Luís Moreira.

    O que não o obriga a concordar com tudo.


  8. Luís Moreira :
    O problema meu caro, é que os jornalistas não investigam não fazem o trabalho de casa que dá muito trabalho. Fazem parte da pocilga. Ou é mau o Sócrates andar a mentir-nos e é bom os jornalistas fazerem o mesmo? A liberdade de expressão é monopolio dos jornalistas?

    Concordo. E todos nós sabemos do poder da comunicação social! Aliás, concordo com quase tudo. Mas, a questão é que neste país não se faz nada! Fica tudo em águas de bacalhau, porque todas as classes estão, em algum ponto, comprometidas. E por causa disso, o desfile degradante continua…

  9. Luis Moreira says:

    A crise é de ética! Fundamentalmente de ética. Não aos políticos, não aos jornalistas, não aos tribunais, não aos gestores que se vendem por milhões…quando ninguem acredita em ninguem estamos a caminho do abismo! Mais do que a óbvia má preparação de Sócrates para governar, e que eu todos os dias aqui denuncio, como o Fernando comprova, é o caracter desta gente que não serve!

  10. António Soares says:

    Luís Moreira,vamos olhar bem para o espelho…Não achas,que já era tempo destes políticos,fazerem aquele tempo de nojo,que (parece) que diz a constituição?

  11. Octávio V Gonçalves says:

    # 11
    Peço desculpa se fui algo rude na minha apreciação do seu post (embora os argumentos que utilizei me pareçam válidos), até porque confirmo que estamos de acordo relativamente ao essencial.
    Fica apenas uma correcção: quando me referia às democracias avançadas, não estava a pensar em jornalistas, mas, mais propriamente, no sistema de escrutínio do Senado Norte-americano. Nunca escrevi nada favorável à devassa jornalística da vida privada, embora nos “casos relativos a Sócrates” o que tem ocorrido, regra geral, são referências a factos (às vezes até à exaustão, é verdade, mas por culpa da inércia e falta de coragem das autoridades em valorá-los) com relevância pública.
    Mas, sinceramente retiro a qualificação de “nojo” e aceite as minhas desculpas.

  12. Luis Moreira says:

    não há problema nenhum quando estamos de boa fé, que é o caso!

  13. Maria** says:

    e o dignissimo henrique monteiro também puxa a sua brasa á sardinha de mário crespo lol: O sr Henrique monteiro de.

    http://bit.ly/cUsRt4

  14. Maria** says:

    e mário crespo enganou-se ou foi enganado hein??
    http://apombalivre.blogspot.com/2010/0

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.