Não fiz nada de mal, mas por favor não contem a ninguém

“Na noite de uma quinta para sexta-feira o senhor primeiro-ministro telefonou-me e pediu-me por tudo para não publicar uma notícia sobre a sua licenciatura”, contou o director do Expresso, acrescentando que estiveram “mais de uma hora ao telefone”, e que questionou várias vezes José Sócrates se “queria fazer algum desmentido ou correcção”.

Mas não, o primeiro-ministro pedia apenas, e reiteradamente, para que o texto não “fosse publicado”. “Antes disso”, contou ainda Henrique Monteiro, “já várias pessoas, políticos e não políticos me tinham manifestado incomodidade ou estranheza por notícias que tinham saído, mas por notícias que ainda não tinham saído foi a primeira vez”.

O engraçado é que ainda na segunda-feira vimos o licenciado ao Domingo com a maior lata deste mundo afirmar que não se tinha provado que tivesse havido qualquer favorecimento nesta anedota.

Pelos vistos não se provou, mas preferia que não se tivesse sabido.  Como se não fossem tantas as oportunidades que tem de demonstrar a qualidade do seu inglês técnico:

Comments

  1. Luis Moreira says:

    Os factos com Sócrates não contam, nem os números, nem as estatísticas, nem a fome que por aí grassa, nada, o homem não vê, não ouve e não compreende!

  2. maria monteiro says:

    parece que só anda, todo o resto dele está ligado à máquina …. se não há quem a desligue temos que esperar por algum apagão

  3. Carla Romualdo says:

    “this act is a act that we do”

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.