Amor…Sobre o Tempo que Passa:

Tenho um velho hábito de blogger: passear pela blogosfera e ler as novidades nos meus blogues preferidos. O hábito tornou-se quase “profissão” quando no Aventar, juntamente com o JJC, ficamos responsáveis por fazer uma revista semanal de blogues.

Regressado às lides, comecei a deambular, pé ante pé, desenhando a próxima edição do “Destra Sinistra”. De repente, dei de caras com um momento sublime e que diz muito, mas mesmo muito, sobre o seu autor.

Apenas o conheço da blogosfera e de uma ou outra aparição na televisão. Habituei-me a lê-lo com a atenção devida e merecida pela excelência da sua escrita. Sempre olhei para ele com o respeito devido aos seres a quem reconheço uma superioridade intelectual rara. Mas foi com verdadeiro espanto e comoção que li esta sua prosa. De um amor tocante pelo outro. De uma coragem só possível a alguém superior. Fica a minha pequena, comovida e simbólica homenagem, através desta cópia do seu post, a este grande Senhor da blogosfera portuguesa e que justifica, palavra por palavra, aquilo que escrevi anteriormente sobre a importância e o papel de um blogue.

Não é todos os dias que alguém, como José Adelino Maltez, assume com coragem um momento de dor e perda como este. A mim, tocou-me fundo:



Comments

  1. maria monteiro says:

    que ternura

  2. Luis Moreira says:

    Poiś é, viu-se bem como tu és com a tua patroa, em Coimbra…e ela contigo!

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.