Histórias de Vampiros

O primeiro livro de vampiros que li foi o “Crepúsculo”. Quis lê-lo pois eu gosto de ler e tinha ido ver o filme ao cinema. Como gostei da história e sei que os livros são sempre melhores que os filmes, comprei-o e li-o em duas semanas. Como deve saber, o livro de Stephenie Meyer é um romance entre um vampiro e uma humana. Os livros dessa saga (Crepúsculo, Lua Nova, Eclipse e Amanhecer) falam de um amor impossível em que um dos lados vai ter que ceder, ou o vampiro se afasta da humana, ou a humana é transformada em vampiro. A humana, Bella Swan, quer ser uma vampira, mas o seu namorado, Edward Cullen, recusa-se a transformá-la, até ao quarto livro, em que Bella está grávida, mas a filha é meia-humana, meia-vampira e durante o parto Bella tem que morrer, por isso é transformada, vivendo grandes e perigosas aventuras enquanto vampira.

A segunda colecção de livros de vampiros que li foi “Marcada”, uma saga de P.C. Cast e Kristin Cast. Essa saga apresenta os livros “Marcada”, “Traída” e “Escolhida”. Na 1ª história, Zoey, uma rapariga como qualquer outra, está na sua escola, quando aparece um vampyro que a marca. Depois de marcada, ela tem de ir para uma escola chamada Casa da Noite, senão morre. Um aluno vampyro que não vai para uma das casas da noite existentes não resiste à mudança e morre. Na Casa da Noite também pode morrer, se o seu corpo rejeitar a mudança. Lá, Zoey faz amigos, inimigos e conhece o seu futuro namorado, Eric Night. Zoey é uma rapariga muito especial, ela possui o poder de controlar os cinco elementos, uma coisa que só a deusa dos vampyros, Nyx, conseguia. Zoey consegue salvar o ex-namorado e os amigos, depois de um ritual de espíritos ter corrido mal. No segundo livro, Zoey e os amigos deparam-se com o mais horrível acontecimento, a melhor amiga de Zoey, Stevie Rae, morre e Zoey descobre que a sua orientadora e amiga, Neferet, é má. Vão acontecer muitas coisas na vida de Zoey. Não sei o que se passa no terceiro volume porque ainda não o li.

A terceira colecção de livros de vampiros que li foi a saga “Sangue Fresco”, da autoria de Charlaine Harris. No primeiro livro, “Sangue Fresco”, Sookie Stackhouse, uma humana que lê mentes e trabalha num bar, conhece o vampiro Bill, apaixonando-se por ele e ele por ela. Sookie e Bill vão viver muitas aventuras juntos, pois na cidade está a ocorrer um surto de assassínios a mulheres que já conheceram vampiros e saíram com eles, deixando o vampiro beber um pouco do seu sangue ou bebendo um pouco do sangue do vampiro. Sookie fica a saber que o seu patrão, Sam, está apaixonado por ela e que ele é um metamorfo, ou seja, transforma-se no animal que quiser. Também conhece Eric, um vampiro que se sente atraído por ela. No segundo livro, “Divida de Sangue”, Sookie e Bill vão a Dallas ajudar uns vampiros que lá vivem a encontrar o seu «irmão». Aí, depara-se com uma perigosa organização que mata vampiros e seus amigos(as)/namorados(as). Também não sei o acontece no terceiro volume, Clube de Sangue, pois também não o li.

Não sei bem porque é que os vampiros estão na moda. Talvez seja pela mesma razão que os feiticeiros estiveram; é simplesmente giro para ver. Seja como for, os escritores de hoje em dia gostam muito de mudar o que era mau, como as bruxas e feiticeiros, que transformavam princesas em sapos, e passaram a ser heróis de 17 ou 18 anos que lutam para matar o feiticeiro mais poderoso de todos, que é mau e, por acaso, também é imortal. Também transformaram os vampiros, que sugavam o sangue das vítimas até à última gota e que não podiam aparecer ao sol, em deuses gregos que tentam integrar-se na sociedade, que se apaixonam pelo que deviam ser as vítimas e que não podem estar ao sol ao pé de humanos porque a sua pele brilha. Mas uma coisa é certa, as pessoas gostam mais deles assim.

Salomé Correia, 12 anos

Comments

  1. Luis Moreira says:

    Salomé, que maravilha, escreves lindamente e vieste aqui mostrar que as nossas jovens têm mérito para terem um país e uma vida bonitas. Quando quiseres escreve, eu “sou o feiticeiro chefe” ninguem me leva a sério, a minha sobrinha que tem 6 anos não acredita que eu sou um “monstaro” (como ela diz) e a mais pequenina a Nôno dá-me beijos para eu não ficar triste…

  2. Pedro says:

    Vê o que diz o “Tio” Luís e continua a escrever. Tu consegues.


  3. Os vampiros não estão na moda. Sempre estiveram, embora, de vez em quando, mais recatados.
    Agora, porque têm presença assídua nas artes já é outra história.

  4. Salomé says:

    obrigada pelo convite Luis, vou pensar em escrever mais vezes.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.