Enquanto houver…

– uma mulher vítima de violência doméstica faz todo o sentido o dia 8 de Março!
– uma mulher encostada num canto da sociedade faz todo o sentido o dia 8 de Março!
– uma mulher que não possa ir à escola faz todo o sentido o dia 8 de Março!
– uma mulher a ser explorada por um patrão faz todo o sentido o dia 8 de Março!
E…
E…

Martinho da Vila para vos desejar um FELIZ dia da MULHER!

Dia Internacional da Mulher…no Aventar:

A questão parece simples sendo verdadeiramente complexa: a Mulher precisa de um dia internacional? A Mulher ocidental certamente que não mas existe mundo para lá do nosso quintal.

Independente da opinião de cada um sobre a matéria, a realidade é simples: o dia existe. Por existir, entendeu a equipa do Aventar (por maioria) que o mesmo merece um Aventar especial. Assim decidido, cada um fez o seu trabalho e amanhã, excepcionalmente, os machos deste espaço folgam.

No dia 8 de Março temos um Aventar exclusivamente no feminino. Elas ditam as regras, escrevem as postas e nós remetemo-nos à nossa verdadeira insignificância, quietinhos, a salivar pelo dia 9 e a gastar as balas nas caixas de comentários.

Vai ser um Aventar diferente. Estilo “turma do bolinha” ao contrário: menino não posta!

8 de Março de 2010

Não és HOMEM…

não és nada!

Os golos da máquina benfica…

e o do Paços de Ferreira.

Bom jogo na Luz, velocidade, técnica, empolgamento, espectáculo do público, ausência de tempos mortos e opositor de mérito.

O Benfica entrou e resolveu o jogo em quinze minutos. Com 2-0 o Paços acordou e tentou reequilibrar. Coelho, guarda-redes do Paços de Ferreira evitou a goleada, mas o Paços nunca baixou os braços e tentou tudo para conseguir o empate. Ainda conseguiu o 2-1 mas este Benfica é uma máquina de jogar futebol e as diferenças vieram, naturalmente, ao de cima.

Com os empates do FC do Porto e do Braga o caminho está mais aberto mas é preciso que a equipa encarnada não se deslumbre. Jesus sabe-o e tenta manter as cabeças frias e focadas. O público aquece, como seria de esperar. Afinal, o Benfica ainda está em duas frentes.

http://rd3.videos.sapo.pt/play?file=http://rd3.videos.sapo.pt/VNhcP0OKL70eBtRqYAlH/mov/1

.

http://rd3.videos.sapo.pt/play?file=http://rd3.videos.sapo.pt/bZZqW9QRObsJblfszGr5/mov/1 [Read more…]

Espalhemos o amor e a amizade pelo Senhor!


Neste blogue, espalhamos o amor e a amizade pelo Senhor!
Gente de todas as cores, de todas as ideologias, de todos os clubes, unidas num só objectivo: homenagear o Senhor!
E não te esqueças: se não reenviares o link deste «post» para pelo menos 10 pessoas, não acreditas no Senhor nem mereces o ar que respiras. Pior: se não reenviares para 15 pessoas, terás muito azar na vida. Algo de mal te acontecerá durante a próxima semana. Mas se reenviares o «link» para 20 pessoas, acredita, a vida irá sorrir-te. A ti e à tua família e amigos.
Felizmente, este é o teu dia de sorte. Como foste o 1.000.000 leitor deste blogue, neste momento exacto, terás direito ao sorteio de um automóvel. Basta que reenvies o «link» deste post para 100 pessoas.
E podes não acreditar, mas Bill Gates está a distribuir a sua fortuna e a desfazer-se de muito do seu dinheiro. Podes ganhar 2 cêntimos por cada vez que entrares neste blogue: escreve www.aventar.eu, entra no bogue, lê o blogue, volta a sair e volta a entrar. Se fizeres isto 1000 vezes, podes ganhar muito dinheiro!
Anda lá, tira 60 segundos da tua vida e reenvia o link deste post. Será que Satanás vai conseguir parar esta corrente de amor?
Vais ver: dentro de uma hora, vais criar uma multidão de crentes a orar a Deus. E depois sentes o espírito de Deus a entrar na tua vida. Deixa Ele fazer o que Ele gosta, quando tu não estás a fazer nada Ele está.
Reencaminha este mail com o título: www.aventar.eu

Nota: Envia a 10 pessoas em dois minutos e vais sentir o Espírito Santo a fazer luz na tua vida dentro de uma hora.

Sócrates em moçambique, Liberdades cá, PCP refém do sindicalismo, PSD procura Chefe

A viagem de Sócrates para Moçambique não só lhe permitiu a ele uma distanciação dos problemas daqui, mas também a nós uma distanciação dele. Foi a meu ver uma visita positiva, embora sem resultados espectaculares, tendo em conta que o português e a CPLP estão a tornar-se uma mais valia económica, e todas as viagens de todas estas personalidades aos diferentes paises desta área são sempre apports para reproduzirem e majorarem essa mais valia. O Instituto Camões ja mediuo valor económico da língua portuguesa e chegou à conclusão que 17‰ do Produto Interno Bruto de Portugal está relacionado com ganhos da língua.
No parlamento,  em Lisboa a Comissão de Ética continua reunir-se mas uma coisa já conclui e por ora só ouviu quase personalidades ligadas ao PSD.
Conclui que “não há duvidas em Portugal que a liberdade de expressão existe, ainda que com o Governo de Sócrates tenha piorado, mas todos concordam que nao ha em Portugal um problema generalizado de liberdade de expressão”. Já aqui o tinhamos dito. O problema da imprensa é de manipulação, não é de liberdade, mas isso já vem de trás, e todos os partidos têm responsabilidades nisso, desde o PCP no tempo do PREC, recorde-se o documento Veloso,ao CDS, passando pelo PSD e pelo PS. [Read more…]

Os Políticos de Ontem e de Hoje – “Ficou capado o Morgado”

Tive um despertar tranquilo. Todavia, a meio do pequeno-almoço, fui assaltado por súbito turbilhão de pensamentos acerca da comparação do desempenho de políticos, do período pós 25 de Abril. Revivi as diferenças ao longo do tempo com perturbadora turbulência, o que me deixou confuso entre ‘o como e quem está no presente’ e ‘o como e quem esteve no passado’.

Nos dias de hoje, o espectáculo político oferece-me o Sócrates e as suas coléricas crispações, o Pereira de insinuação ligeira, o Assis que aos chefes diz sempre ‘sim’, o Branco a guiar mesmo manco, o Rangel da ruptura no papel, o Passos do coelho sem cansaços, o Portas das caminhadas tortas, o Louçã que dá aulas de manhã, e o tio Jerónimo cujo apelido Sousa completa o ortónimo. Os traços do espectáculo, porém, não se ficam por aqui. Há ‘chats’ em ‘real-time’ de deputados com cidadãos, como paradigma da acção política dos tempos actuais; os deputados atendem telemóveis e teclam de vez em quando. No fundo, todos eles vivem a era das tecnologias, das telecomunicações, dos formatos e dos conteúdos – conteúdos vazios, acrescento, porque na hora de votar é obrigatório seguir as orientações dos líderes. E aqueles que transgridem esta última regra lixam-se, a menos que se trate de gente alegre, muito alegre. [Read more…]

Os 4 golos do Sporting

0 – 1
http://rd3.videos.sapo.pt/play?file=http://rd3.videos.sapo.pt/RZmZlO1l21yuorH45pZU/mov/1 [Read more…]

Os bufos ordinários

Bufo real

A bufaria está aí, já há novamente coragem ( credo!) para se fazerem primeiras páǵinas de jornais com “notícias” encomendadas, não notícias, e outras coisas que cheiram muito mal. Podem crer que quando se perde o respeito a quem manda, quando investigados e investigadores são irmãos gémeos, a soma é igual a zero.

É neste contexto que aparecem os bufos, fazem de conta que estão muito bem informados que sabem coisas que mais ninguem sabe, os mails privados andam numa roda vida, os telefones estão sob escuta, se não houver nada, pode-se sempre dizer que o gajo tem uma amante ou coisa que o valha. Mas o bufo tem sempre alguem que espera alguma coisa dele e ele, o bufo, não aguenta sem fazer o serviço ao seu senhor, que lhe paga as contas. Mesmo que o seu senhor não queira nada, ou pelo menos que espere que tenha cuidado, o bufo, não aguenta, informa, telefona, olha pelo buraco da fechadura, para onde vou eu se me tiram o tacho? Como se vão lembrar de mim se não der nas vistas?

Quando se abriram os ficheiros da PIDE lá estavam as informações, cartas miseráveis, gente sem o mínimo do decoro, capazes de usarem documentos pessoais roubados ou inventados para agradar a quem, na maior parte das vezes, mesmo PIDE, lhe tinha um asco assinalável.

A bufaria aparece quando o grande irmão se torna omnipotente e omnipresente, tudo sabe, tudo controla, todos dependem de si, directa ou indirectamente, a pessoa deixa de ser um ser humano para ser um contribuinte, um eleitor !

É a isto que o PS nos leva, quem não se portar bem leva com a bufaria, não andamos todos a bufar contra os boys ? O que nos impede de informar a PGR em vez de bufar? Com nome, morada e provas?

É fácil bufar, tão fácil que até se exorbita na encomenda!

Mulher

Ideal de mulher, rara na sociedade capitalista

Para a nossa neta May Malen, de três meses e três dias, e para o meu bebé, Maria da Graça

Quem saiba de gramática e sintaxes, dir-me-ia que escrever esta palavra, este substantivo, ficava pendurado por não ter artigo, adjectivo qualificativo, estar no meio de uma frase ou revelar a intenção de colocar a palavra no meio, como se diz no castelhano castiço, da nada e da coisa nenhuma. Ou dicionário que me apoia diz ser uma pessoa adulta do sexo feminino.

E os problemas começam. O que será sexo feminino. Sabemos que o substantivo sexo representa órgãos genitais diferentes dentro da mesma espécie do género humano ou diferença física ou conformação especial que distingue o macho da fêmea. E os problemas continuam entre macho e fêmea. Não deve ser preciso consultar o dicionário para nada. É necessário deixar falar ao coração, aos nossos sentimentos, as idades de vida. A mulher começa por ser a pessoa que nos amamenta, que satisfaz o apetite do corpo que cresce. Matar essa fome que o crescimento causa. A energia do se desenvolvimento, precisa ser alimentada com litros de leite para os décimos de centímetros que a criança usa na vida até a sua autonomia total.

Autonomia heterogénea: ou gatinhar, ou se agarrar ao corpo dos pais porque confia

[Read more…]

Para o PEC, este conselho

No momento do PEC, aqui deixamos um conselho velho de dois milénios. Ao governo e toda a oposição.

Tim Burton e a Alice

Não digam nada a ninguém, a sério, mas eu gosto de cinema. Só que nos últimos três anos devo ter ido, talvez, duas vezes. A culpa: da falta de tempo e, igualmente, da transformação das salas de cinema em call centers onde todos atendem o raio do telemóvel e falam para o vizinho, se calhar efeitos do iPod, como se fossem moucos. Isso e não ser permitido fumar.

Hoje regressei. Fui ver a Alice do Tim Burton com a minha filha. Sim, fui fazer de Pai já que ela, ao contrário dos pais, vai todas as semanas (ou quase) ao cinema arrastando as duas amorosas velhinhas que nos substituem neste tipo de obrigações. A miúda viu-se um pouco às aranhas pois o desnaturado do Pai nem reparou que a fita era para maiores de 12 e ela apenas conta metade. Mas gostou e foi ela que escolheu o filme (não meti colher, quer dizer, se calhar… um pouquinho, vá lá). Já o Pai, adorador confesso das loucuras de Tim Burton – eu sei Zé, tal como tu, principalmente no verão, pareço um contraio imberbe de camisola Tim Burton – ficou maravilhado com a coisa.

Por isso, venho por este meio solene, aconselhar o visionamento de Alice no País das Maravilhas de Tim Burton mas…quando chegar em DVD e em casa. Sossegados, com uma manta pelas pernas, um cinzeiro fresquinho ao lado e um Milka de chocolate de leite. Pois, e hoje é dia grande para o cinema.

Biografia de Costa Martins (1938 – 2010), Capitão de Abril

Foi um dos Capitães de Abril, fundamental na revolta que devolveu a Liberdade a Portugal em 1974. Morreu ontem, na queda da avioneta em Montemor-o-Novo. Um acidente estranho com interpretações diferentes por parte das autoridades.
Nasceu em 1938 em Silves. Esteve 3 vezes preso, durante a Ditadura, por manifestar a sua oposição ao regime, e recebeu ordem de expulsão do país, que devia ser concretizada no dia 28 de Abril. Foi um dos principais organizadores do MFA na Força Aérea. No dia 25 de Abril, teve a seu cargo a ocupação do Aeroporto de Lisboa e a interdição do espaço aéreo português. Fê-lo sozinho, sem o apoio de ninguém, visto que os reforços só chegaram mais tarde.
Durante a III República Integrou o II, o III, o IV e o V Governos Provisórios, entre 1974 e 1975, como Ministro do Trabalho.
Em 15 de Janeiro de 1976, em plena Assembleia da República, foi acusado pelo deputado António Arnault, do PS, de se ter apropriado indevidamente de dinheiro proveniente da campanha «Um dia de Trabalho».

[Read more…]

O Health Cluster Portugal!

De vez em quando, muito de vez em quando, aí cai uma boa notícia. Desta vez é o Prof Lobo Antunes, neurocirurgião, que em entrevista à VISÃO nos fala do cluster da saúde de que é vice-presidente.

“É uma iniciativa nortenha sobretudo do Dr. Luis Portela (Presidente da Bial) e permite congregar vários parceiros: laboratórios de investigação, indústria farmacêutica e de instrumentos, grandes hospitais, universidades. É uma plataforma que beneficia todos. Daí que suscite grande expectativa.”

E isto funciona como? “Por exemplo, quando um laboratório tem em curso um projecto, pode interessar a uma empresa saber que há um grupo a investigar nessa área. Estabelecemos pontes para que a ciência passe a ser aplicada, como nos casos de novos produtos ou medicamentos. Destes saberes e interesses economios diferentes podem criar-se mais – valias para o País.”

Vale a pena lembrar a cientista Elvira Fortunato que ganhou o mais elevado prémio europeu da ciência o ” European Research Council” que distinguiu o seu trabalho na electrónica transparente e em Dezembro recebeu o maior prémio dos US na categoria de investigação na área do “paper-e”. É directora de investigação na UNL. Pois esta fantástica investigadora não conseguiu encontrar entre os nossos empresários e gestores quem se interessasse pelas suas inovações, estando uma grande empresa Brasileira a desenvolver industrialmente um dos seus produtos.

É mais fácil ganhar dinheiro em monopólio e no mercado interno dos serviços e à sombra do Estado!

A orca que matou a treinadora


O vídeo está no YouTube e noutros sites. As imagens são impressionantes. Uma orca atacou a treinadora, Dawn Brancehau, num parque temático da Flórida. Só por si, o facto de ser notícia demonstra que estamos na presença de um caso muito raro, por isso a questão que me traz aqui é outra.
No meio da tragédia pessoal, o que me interessa neste «post» é levantar a questão da utilização dos animais para o divertimento do ser humano. E dentro desta área, podíamos abordar espectáculos mais bárbaros, como a tourada, o circo ou as corridas de cavalos, ou outros que à partida parecem menos violentos, como os «shows» com orcas ou golfinhos ou os passeios de póneis. Os próprios Jardins Zoológicos, que retiram animais do seu «habitat» natural e os confinam a uma prisão para sempre. Maior ou menor, o grau de sofrimento do animal nestes espectáculos é sempre considerável. O sofrimento, a ansiedade, o desconforto, o «stress».
Poderia recordar aqui o artigo 10.º da Declaração Universal dos Direitos dos Animais, que Portugal assinou – 1. Nenhum animal deve de ser explorado para divertimento do homem. 2. As exibições de animais e os espectáculos que utilizem animais são incompatíveis com a dignidade do animal.»
Mas claro que todos sabemos isso. Sabemos mas, mesmo que concordemos, não praticamos. Acredito que não seja fácil explicar a uma criança as razões pelas quais não deve querer ir a um circo. Acredito, mas da minha parte, quando chegar a altura, é o que vou tentar fazer.

Como nasce um Oscar

oscars-0703

O Telegraph, um dos mais importantes jornais britânicos, apresentou há um ano uma foto-galeria de 12 imagens sobre o processo de nascimento de um Oscar. Desde a moldagem, passando pelo banho de ouro de 24 quilates. Assim se faz um Oscar.

A edição 82 dos prémios do cinema de Hollywood é na próxima madrugada.

Pensamentos XXXVII e XXXVIII

XXXVII

Tábuas da mesma árvore,

umas fazem um barco, outras um caixão.


XXXVIII

Pintar uma víbora de cor-de-rosa

não muda a cor do seu veneno.


Conheça o primeiro Caderno de Pensamentos do Sr. Anacleto da Cruz.

Porquê reinventar a roda? – A reintegração do Galego no universo da Lusofonia (Memória discursiva)

Numa sessão organizada pela Associação Galega da Língua, realizou-se em Santiago de Compostela, no dia 27 de Janeiro passado, o lançamento do livro “Jaboc”, do escritor brasileiro Otto L. Winck, prémio da Academia de Letras da Baía. A obra, cujo título é um anagrama de Jacob, o autor aborda o processo criativo e a tortuosa relação arte-literatura/literatura-arte, relação inserida num contexto social específico, pois, como o autor reconhece, existe algo de autobiográfico na construção da personagem central do livro. Uma das minhas fontes, foi o Portal Galego da Língua onde se publicou uma reportagem sobre este evento.

Contudo, não é do romance de Winck que me vou ocupar hoje, mas sim do que foi dito nesta animada sessão de lançamento, com vigorosas intervenções do autor e apaixonadas réplicas vindas do público. Presidindo e intervindo estava junto a Winck o intelectual galego Carlos Quiroga. Foi bolseiro de investigação da Fundação Calouste Gulbenkian e do ICALP, actual Instituto Camões. Actualmente é professor titular da cátedra de Literaturas Lusófonas na Universidade de Santiago.

Falou-se sobretudo da cultura galega e da sua inserção no universo lusófono. Diga-se que Otto Winck está a preparar a sua tese de doutoramento com um tema muito interessante – «a construção da identidade nacional galega», estando por isso muito identificado com os problemas culturais da Galiza. O vídeo é uma pequena amostra do que se passou nessa sessão tão vivamente participada:

[Read more…]

Renascer

Para Alejandra, el el día de su cumpleaños…

Nascí, es primera palabra del libro de Charles Dickens, David Copperfield, escrito entre 1849 y 1850. Esa palabra que da título al primer capítulo del libro.

Tu también, apenas que muchos años después, casi ciento y sesenta e cinco años después, más o menos. La edad de una Señora nunca se dice, especialmente si es Toro Iturra de Iribárren. Las Toro adoran quitarse la edad, las Iturra, no podrían hacerlo mejor. Tú, no serás igual, eres demasiado moderna, fuerte y valiente [Read more…]

8 de Março, Dia da Mulher

O DIA QUE NÃO DEVERIA CONTINUAR A EXISTIR
.

É amanhã o dia que, mundialmente, se consagrou ser o da Mulher.

Na realidade não deveria existir tal dia, uma vez que o facto de existir, por si só, coloca a mulher numa posição de inferioridade.

Existe o dia da árvore, o dia do doente disto e da doença daquilo, da protecção deste e daquele aspecto, e por aí fora num chorrilho de dias consagrado a este ou aquele. Existem esses dias dedicados, desde que se viu que seria preciso proteger alguma coisa.

A Mulher não deveria precisar de um dia destinado a lembrarmo-nos dela. Não há um dia dedicado ao Homem. Não é preciso. [Read more…]

Apontamentos de Óbidos (2)

(Óbidos vista das suas muralhas)

Retornar

O Nuno contou aqui a sua África. Permitam-me que lhes conte a minha.

Sem o ser, porque nasci em Angola e para cá vim anos antes do 25 de Abril- também eu sou um retornado,  sociologicamente falando.  Mas a minha África é uma África contada. À excepção de uma esporádica temporada já depois do 25 vivida na Guiné-Bissau, o meu passado  africano foi vivido em Lisboa.  Na calçada dos Poços dos Negros seguimento da Calçada do Combro,  ou na Buraca, Miratejo, Barreiro, Amadora ou Queluz. Bairros de lata, sociais ou simplesmente prédios de gente humilde, onde viviam familiares e amigos. No Rossio onde se juntavam aos magotes. A África dos sábados ou domingos em que se almoçava pela tarde fora cachupa ou funge e se ouvia as histórias dos mais velhos .  M;ussulo,  Maianga,  Rangel, Huíge, Benguela, Lobito,Quitexe, Malange, são lugares que conheço de ouvido como a palma da mão. Tudo sítios que visitei em Lisboa.

[Read more…]

nÃO sEJAS dURO dE oUVIDO – Março 2010 #1

Foram geniais e nós, todos nós, devíamos exigir o seu regresso. Rápido e em força. Que saudade…

[Read more…]

Para começar…

Em tempo próprio, quase em simultâneo com a estreia nas salas portuguesas de “Alice no País das Maravilhas” de Lewis Carroll numa realização cinematográfica de Tim Burton, chego hoje, no mundo das aventuras da blogosfera, ao Aventar. Cabe-me, por isso, antes de mais, agradecer o convite para participar neste espaço de escrita e expressar a minha alegria pela partilha que agora inauguro e a que darei continuidade mais frequente a partir de Abril. Depois da minha apresentação feita, gentilmente, pelo Ricardo Santos Pinto  (ver aqui) e da notícia de hoje do jornal Público (ver aqui),  devo ainda esclarecer, neste primeiro momento, que sou uma cidadã de esquerda e que a expressão do meu apoio a algumas políticas do actual Governo se deve, não a incondicionais defesas partidárias ou ideológicas mas antes, a considerações que ajuizo em termos de interesse nacional e governabilidade possível (isto é, viável)  no actual contexto económico-político europeu.  Depois desta pequena nota introdutória, quero agora partilhar convosco, de forma breve, uma reflexão que considero urgente sobre um novo e cuidado olhar que é preciso desenvolver em relação ao património histórico e etnológico que, no nosso país, tão incipiente tratamento e valorização efectiva merece… para o efeito, sugiro a leitura de 2 textos que servem, simultaneamente, para se relembrar a natureza dinâmica do conhecimento e o facto de, no século XXI, não ser admissível, num país que se pretende moderno e desenvolvido, ter uma cultura científica enfeudada a pequenos, tradicionais e escolásticos núcleos de poder que se esgotam na gestão das existências… um destes textos refere uma importante descoberta em território nacional (ver aqui) enquanto o outro nos remete para uma realidade arqueológica mediterrânica (ver aqui) que cultura e etno-história portuguesas não podem continuar a ignorar.