Um PEC muito consensual

O governo do partido no poder, o BES, apresentou um Plano chamado PEC. Em princípio não é grave, os planos apresentam-se, não se cumprem. Mas uma parte lá se alcança.

O PEC engendrado pelos dirigentes do BCP tem como medida mais inovadora privatizar. Em Portugal não há memória de se terem privatizado empresas que dão lucro ao estado, quando se privatiza é tipo banca e seguradoras, que só dão prejuízo.

Vão então privatizar os CTT. Acho bem. Uma empresa que tem centenas de balcões espalhados pelo país está mal gerida, e nada como um privado para acabar com tal regabofe.  E as oficinas da CP: está mal, toda a CP devia sair das mãos do estado, uma cambada de incompetentes que prejudica os negócios da sucata e mantém em funcionamento linhas que ninguém utiliza.

Infelizmente também ainda não é desta que se privatiza a CGD, ao contrário do que preconiza a ala BPP do partido no governo.

Outra medida salutar será a do congelamento dos salários, que deve ser encarada à luz das alterações climáticas, um esforço necessário para ajudarmos a arrefecer o planeta.

Ao que consta os benefícios fiscais, esse fantástico mecanismo que permite a quem sabe poupar nos impostos, vão ser reduzidos. Está mal: a tendência BPN ameaça abandonar o governo, e pese embora o seu pouco peso, pode abrir uma brecha insanável na coligação Mota-Engil.

Eu gosto muito deste governo.

Comments

  1. carla romualdo says:

    Muito, mas mesmo muito bem aventado

  2. joão figueiredo says:

    Em contraciclo, deveria a coligação no poder, a PT/REN/EDP/GALP – R, nacionalizar o Benfica, o que significaria devolver ao domínio público a autêntica e verdadeira joie de vivre. Isto, na medida em que a visita do papa já está sobejamente nacionalizada, e o triste fado do povo português nunca deixou de ser um desígnio nacional.

  3. Isabel Sousa says:

    Estão a privatizar,não privatizando…não privatizam,privatizando;é tudo uma treta para nos distrair.na educação tb estamos bem,pelo menos para quem pode comprar os livros das criancinhas;cm são todos generosos resolveram dar material escolar no valor de meio tostão que os alunos nem precisavam porque já os tinham comprado.Fui hoje para receber aquilo a que tinha direito e que já não tenho(reduziram para metade a comparticipação dos livros,escalões à parte,porque pelos vistos recebem a mesma comparticipação, os que tem mais e os que tem menos)mas tenho o direito que antes não tinha de comprar material escolar no valor de 6.50 QUE BOM Contas à parte foram uns 30 euros que meteram ao bolso …Isso,distraiam esta gente toda com os assuntos de sempre…que não deixam de ser importantes,mas o futuro de um país faz-se com gente informada e culta…ou então regressamos ao passado:só irá para a escola quem puder pagar…ha isto não tem nada a ver com privatizações pois não?…peço desculpa

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.