A minha resposta ao mais velho Adão

POR JOAQUIM QUICOLA

Bom mais uma vez desculpa pelo atraso nos mambos e mujimbos, mas vocês sabem como é que é, não é? Entre o salo e o taxi, aturar os pulas, o molho dos supervisores, puxar pela gasosa, chupar cuca, tratar da mboa fixa e das outras variáveis, me complica muito esse mambo de blog. E depois tem a farra de sexta de feira. Tás a ver não?

Hoje, que sobrou tempo e disposição, quero, com todo o respeito, dar a minha opinião sobre as makas lá nesse quê de médio oriente, ou quê.

O mais velho Adão fez uma pergunta que é a realidade. A minha resposta é esta. Se eu fosse palestianiano, se barrassem o meu país e fizessem todos esses desaforos com o meu povo, eu movimentava a minha AK, como então? Foi o que eu fiz aqui em Angola com a Unita do Savimbi e os sul-africanos. Me alistei nas Fapla e fui no mato. Fazer como então? Essa é a realidade. Dizem que os muadiés do Hamas são terroristas. Eu não fiz a guerra colonial, mas era assim que os portugueses chamavam o MPLA. Os turras. Mas para nós, os guerrilheiros eram nacionalistas. É verdade que os anos passaram e esses muadiés do M tomaram conta deste país e agora estão a roubar sozinhos, o que me deixa muito fudido (peço desculpa), muito fudido mesmo (outra vez desculpa). Mas na época a escolha era aquela, não havia outra.

Eu era candengue, e quando vejo os candengues lá na tal faixa de Gaza ou quê, pegar nas pedras, nas Kalas, nos roquetes e mandar bala sobre os israelitas, estão a fazer bem, pois então. Se alistam no Hamas ou quê, viram terroristas e é mesmo assim. Os outros estão a ocupar a terra alheia assim sem mais, a explorar, a bater, a humilhar e a matar, tal como os pulas aqui no tempo colonial, e não pode fazer nada. Tem de ficar quieto, como então? Não. Há que reagir. Não foi o que os israelitas fizeram quando reclamaram a terra deles? Então?

Pode ser que o tal de Hamas se venha a tornar como aqui o M. Tudo muito bem. Pode ser que sejam uns filhos da puta para o seu próprio povo. Tudo muito bem. Pode ser inclusive, que depois de tomaram a sua terra, vão já querer ir na terra alheia e se apropriar do que não lhes pertence. Tudo muito bem. Mas isso é no pode ser que, no talvez vai ir-se tornar-se assim. São outros quinhentos. Nos quinhentos de hoje a circunstância é essa. A realidade é que esses tais do Hamas podem ser uns filhos da puta. Mas na verdade, são os filhos da puta patriotas disponíveis para lutar e nesse instante a realidade é essa.

Mas o cota Adão faz outra pergunta, e se eu fosse israelita? Como pensava? Sinceramente não sei. Na circunstâncias da minha vida, não tive os problemas que ele teve. Eu sempre estive do lado certo. Nunca tive dúvidas sobre o que fazer

Saudações a todos

Comments

  1. Um grande abraço caro Joaquim Quicola e cá te espero para uma cervejola.

  2. Luís Moreira says:

    Quicola, estás muito intelectual académico, pensar com cabeça memo!sheee…

  3. Joaquim Quicola says:

    Cumu é? mais velho Moreira, pensar é mesmo com o quê? Tu que és pula pensas como mesmo?
    Mas esse tal de académico é quem mesmo? Outro pula?

  4. Frederico Mendes Paula says:

    Mai nada! Quem fala assim não é gago!

  5. maria monteiro says:

    e que ninguém feche a porta porque… por aqui é que é o caminho

  6. Carlos Fonseca says:

    Cadengue Quicola, bebe aí uma ualua e dança um merengue por mim. Tu és politico cum cabeça, meu. Abraço.

  7. Luís Moreira says:

    académico, pula perigoso.Andas olho no tal de arquitecto?

  8. Carlos Fonseca says:

    Luís, sou pula, mas não perigoso. As miúdas da Guerra Junqueiro dizem que tu, sim, és um perigo. Dizem elas…

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.