Turismo de Portugal: não vale tapar o sol com a peneira…

“Como forma de reagir às pressões a que está sujeito, o presidente do Turismo de Portugal vem agora a terreiro dizer que vai anunciar, numa pretensa operação de transparência, o montante das cauções das entidades a elas sujeitas em um “sítio” na internet.
Mas não basta!
O que interessa é que assuma as responsabilidades pelos males feitos.
Já Vera Jardim veio dizer que o Turismo de Portugal “borregou”. Que por negligência não cumpriu as suas funções. E tem de as cumprir integralmente.
Eis a razão por que se exige que cada qual cumpra as suas responsabilidades. Num País em que a culpa morre sempre solteira.
Os lesados poderão, por conseguinte, demandar o Estado por manifesta denegação dos poderes-deveres do Turismo de Portugal, I.P., na exacta medida em que ficarem lesados e se o seu ressarcimento não couber na exígua caução exigida, ao tempo, pelo instituto público. Neste como em outros casos.
De resto, isto exigiria do Estado, através do Ministro da tutela, uma imediata sindicância, a fim de garantir os direitos dos consumidores, sempre e só.
Às vezes não é de mais leis que importa. É de eficiência na acção administrativa corrente.
Não vale, pois, usar o marketing para dourar a pílula nem avançar com eventuais justificações menos fundadas para se eximir ao cumprimento das suas obrigações.
O Provedor do Cliente da APAVT não fala à toa. Sabe naturalmente o que diz.
Eis por que importa apurar tudo com a minúcia requerida.”
A Direcção Nacional da ACOP

Comments

  1. António Soares says:

    (Vera Jardim veio dizer que o Turismo de Portugal “borregou”.)Talvez,se Vera Jardim,fosse mesmo (Vera)não tivéssemos tantas borregadelas…

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.