O caso A41 – Uma vergonha:

Ontem a maioria dos deputados na Assembleia da República demitiram-se das suas funções ao deixar passar algo vergonhoso, o caso da SCUT A41. Sobre o tema já muito escrevi AQUI e não me quero repetir. Fica apenas a divulgação da tomada de posição corajosa de Bragança Fernandes que afirmou em público o que muitos autarcas da A41/42 afirmam em privado:

http://sic.sapo.pt/online/flash/playerSIC2009.swf?urlvideo=http://videos.sapo.pt/iN89ZnkV69BvFP1dU1wa/mov/1&Link=http://sic.sapo.pt/online/video/informacao/noticias-pais/2010/7/autarca-da-maia-nao-exlui-hipotese-de-se-desfiliar-do-psd-devido-a-scut10-07-2010-04459.htm&ztag=/sicembed/info/&hash=FF3C1208-4291-4FCC-8A32-9B9AB0E99B57&embed=true&autoplay=false

Comments


  1. E do mesmo modo se poderiam contar outras histórias idênticas:

    Era uma vez a N109…
    Era uma vez a N16 – com milhares de curvas e contra-curvas, de largura insuficiente para cruzarem dois pesados… vai daí, foi construída, nos anos 90, uma IP – a conhecida IP5 – que veio permitir, qual artéria sanguínea, o desenvolvimento de todas as regiões que servia, além de passar a ser a principal entrada de todo o tipo de tráfego rodoviário vindo de Espanha e de toda a Europa.
    Mas tinha um defeito, esta IP5… tinha inúmeros pontos críticos que, por erro dos projectistas, depressa começou a ceifar vidas em acidentes. Resultado, limitaram-lhe as velocidades, pintaram-lhe mais traços contínuos do que o somatório de todas as outras vias existentes, colocaram-lhe pilaretes e barreiras de cimento, até lhe inventaram uma aberracção – a Tolerância Zero – coisa desconhecida em todo o mundo… e a IP5 tornou-se mais segura, mas, simultaneamente, mais inoperacional. Circular por ela era desesperante e quase proibitivo, com tantas limitações e tantas patrulhas da GNR e tantos radares, que o trânsito passou, não a fluir mas a arrastar-se penosamente!

    Vieram então uns senhores engravatados que decidiram construir uma outra IP5 – chamemos-lhe IP5(b) – perfeitamente paralela à existente, e todos os acidentes e constrangimentos ficaram solucionados! E passaram a chamar-lhe, pomposamente, A25…

    Então não é que agora vêm uns outros senhores engravatados, armados em chico-espertos, a querer impor portagens nesta IP5+IP5(b) ?…

    HEIM?!… Com que justificação? Com que autoridade? E onde está então a IP5 que existiu e serviu as populações e o tráfego internacional durante 20 ANOS?
    E onde nunca NINGUÉM pagou para circular?

    Se estes senhores engravatados, armados em chico-espertos, queriam construir uma autoestrada e portajá-la, então tivessem feito como é costume em todos os países da Europa (a começar aqui ao lado em Espanha):

    -Construiam a merda da autoestrada, chamavam-lhe A25 ou outra merda qualquer, e deixavam ficar a IP5 como estava!…

    Que raio de vigarice é esta, heim?!…

    Querem comer-nos por parvos?!…


  2. Fernando Moreira de Sá

    Gostaria que desse uma espreitadela ao que, sobre o assunto, postei AQUI:

    http://insustentavelbelezadosseres.blogspot.com/2010/07/era-uma-vez-uma-estrada-linda-de-morrer.html

    E continuo sem perceber o que andam a fazer os anedóticos autarcas dos concelhos atravessados pela IP5 (A25)… que não os vejo mexerem-se!

    Todos eles têm “coleira”, está visto, qualquer que seja o partido a que lambem as solas!
    Só palhaçada… e o povoléu ainda vota neles!

    Um abraço. E não desista.


  3. Ok, vou ler e não desisto. Obrigado e um abraço.

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.