Salgueiro Maia, o maior português do séc. XX

Há uns meses atrás, o Aventar lançou uma petição para salvar a casa onde nasceu Salgueiro Maia, em Castelo de Vide. Uma casa que, como se pode ver pelas imagens, está em avançado estado de degradação.

Entretanto, com o vírus que nos afectou em Outubro, perdemos as centenas de assinaturas que já tínhamos reunido e tivemos de começar tudo de novo. Muitos dos que assinaram inicialmente não voltaram a fazê-lo.

Passados todos estes meses, sentimos que cumprimos o nosso dever de homenagear aquele que, na minha humilde opinião, foi o maior português do século XX. Nas palavras de Sophia de Mello Breyner,

Aquele que na hora da vitória
respeitou o vencido

Aquele que deu tudo e não pediu a paga

Aquele que na hora da ganância
Perdeu o apetite

Aquele que amou os outros e por isso
Não colaborou com a sua ignorância ou vício

Aquele que foi «Fiel à palavra dada à ideia tida»
como antes dele mas também por ele
Pessoa disse

Em sete meses, reunimos mais de 600 assinaturas. Como é nosso dever, serão endereçadas à Assembleia da República, à Câmara Municipal e Assembleia Municipal de Castelo de Vide e à Associação 25 de Abril. Ainda não é tarde para salvar a Memória da Revolução.

Obrigado a todos.

Comments

  1. António Soares says:

    …Então,o maior não foi o Mário Soares?Que até tem
    fundação e tudo?!!…

  2. Luis Moreira says:

    Salgueiro Maia foi chamado cedo. Devemos-lhe gratidão eterna.

  3. António Soares says:

    Eu estava a ironizar…Luís!!!

  4. Silvino Silva says:

    Salgueiro Maia foi um dos traidores à pátria do golpe de Estado militar de 25 de Abril de 1974 (a que chamaram eufemisticamente “Revolução dos Cravos”), na sequência do qual se instalou o regime chulocrata em que vivemos até hoje. Considero-o indigno de qualquer registo de memória. Viva SALAZAR!

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.