Pacheco, o SMS, uma memória selectiva e porque raio veio agora com isto?

Pacheco Pereira lembrou-se ontem na Quadratura do Círculo que recebeu a 11 de Março um SMS onde, supostamente, os deputados do PSD deveriam estar “calados até à noite para não prejudicar as negociações do Governo” na cimeira europeia em que o executivo levou o PEC IV e que foi vetado pela oposição a 23 de Março.

Hoje tem sido um fartote em blogues e redes sociais a análise do tema, os potenciais engulhos que este ‘caso’ pode provocar no PSD, cuja direcção é claramente um brutamontes com um lápis azul em riste.

Luís Paixão Martins decidiu, no seu blogue, divulgar o conteúdo da mensagem. Rezava assim: A Direcção do Grupo Parlamentar solicita aos senhores deputados que aguardem pelo final da reunião dos chefes de Governo da zona Euro para comentar as respectivas conclusões, a situação financeira do país e as novas medidas de austeridade anunciadas pelo governo.

Pacheco Pereira, no mesmo programa televisivo, lança a suspeita: “Algum acordo deve ter havido e também não percebo o que aconteceu naquelas 48 horas. Eu acho que os portugueses e os jornalistas de investigação devem exigir saber o que aconteceu naquelas 48 horas”.

Eu também acho isso. E também gostava que os portugueses exigissem ao senhor deputado que esclareça porque escolheu exactamente este momento para denunciar tão incómoda mensagem. Ou então, não. Encolhamos os ombros e continuemos a nossa vida. Já bastará de irrelevâncias inúteis.

Comments

  1. Augusto says:

    O que o portugueses devem exigir, é que Passos Coelho os esclareça de vez.

    Afinal , esteve reunido na vespera de Socrates ir para Bruxelas negociar o PEC IV, a fazer o quê.

    Estiveram a tomar chá, e a cortarem na casaca dos vizinhos, como duas meras quadrilheiras?

  2. O momento que o PSD atravessa demonstra as suas fragilidades, aos poucos está em queda. Lutas internas, listas para deputados com recusas, o Nobre, etc.

  3. Não basta apelar à ética. É preciso ser praticante. Pacheco Pereira, por mera coincidência, denuncia um SMS que recebeu da direcção do PSD, um dia depois de não constar das listas de candidatos a deputados. Ao que parece depois de um mentiroso compulsivo [Sócrates], temos um mentiroso por estratégia [PPC], e um mentiroso por omissão [PP]. Fazendo jus a toda a ética que apregoa, só se lembra da reunião entre o primeiro-ministro e o líder do seu partido após o afastamento da bancada parlamentar. Isto não é a “espinha dorsal de um caracol”, é a o carácter de uma osga. Para memória futura, estes são primus inter pares, a nata que nos governa há quase 37 anos.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.