Quer é tacho…

-A entrevista de Fernando Nobre ao Expresso, sobre a qual já escreveu o Carlos Fonseca, em post abaixo, vem confirmar a posição que assumi enquanto eleitor do Distrito de Lisboa, não sei ainda em que partido votarei nas próximas legislativas, se é que votarei, poderei até repetir a abstenção das presidenciais, o PSD, por muito que me custe fazer esta afirmação, é que não receberá o meu voto, apesar de preferir Pedro Passos Coelho como primeiro-ministro a José Sócrates. 

-Mas acrescento, nesta altura dificilmente Fernando Nobre conseguirá ser eleito presidente da Assembleia da República, salvo se o PSD vier a obter uma maioria absoluta, de todo improvável, com tiros deste calibre no pé, o Passos Coelho arrisca até a perder uma eleição que estaria ganha à partida, afinal os erros de estratégia não eram um exclusivo de Manuela Ferreira Leite. Telmo Correia afirmou esta semana na SIC-N que teria dificuldade em votar num antigo apoiante do BE, o que poderá indiciar uma eventual abstenção do CDS/PP, e alguma divisão interna no PSD, relembro que o presidente da A.R. é eleito por maioria absoluta entre os deputados, em voto secreto, poderá levar à repetição do espectáculo degradante que foi na legislatura anterior, o lamentável episódio da eleição do Provedor de Justiça, o que obrigará Fernando Nobre em coerência com a posição que agora assume, a renunciar ao mandato de deputado, defraudando assim os incautos eleitores de Lisboa que nele votarem.

-Fernando Nobre, um homem cujos méritos pessoais e percurso em prol da sociedade, ninguém contesta, entrou na política pela porta grande, apesar do 3º lugar nas presidenciais em Janeiro passado, teve ao seu lado milhares de pessoas desiludidas com a política em geral e com os políticos em particular, conseguiu em poucos dias desbaratar a credibilidade que alcançou, revelando graças à sua total inabilidade política, onde estão os spins do PSD? tornar-se um vulgar politiqueiro, daqueles a quem o povo costuma dizer, quer é tacho…

Comments


  1. O FMI já ganhou as eleições…


  2. Convém não diabolizar o FMI, palavras de Mário Soares esta semana, que diz cobras e lagartos da U.E., mas não do FMI, talvez por ser dirigido por Dominique Strauss-Kahn, provável candidato socialista às eleições francesas…


  3. Entre Fernando Nobre ou Ferro Rodrigues… hummm deixa lá ver qual é que quer mais tacho, o das mordomias de Paris ou das operações na selva?
    Se não fosse trágico, isto era cómico.

    Eu embirro com o homem (excepto quando fala de ovnis ou quando pede tiros na cabeça) mas para vocês (e são tantos por essa blogosfera fora) até parece que o Dr. Fernando Nobre foi acusado de pedofilia por algumas crianças.


  4. … Se alguém for capaz de indicar um político, um, que não ande lá para ganhar a vida… dê-lhe um nome.

    Por que carga de água embirraram com o Fernando Nobre, se, quando muito, ele é igual a todos os outros. Que culpa tem ele de que tivessem alimentado expectativas de ser uma espécie de Jesus Cristo?… Quantos exemplos há de pessoas que “desertaram” da “esquerda” e deram um passinho ou um passão para a “direita”?…

    Por que não o acusaram, por altura do convite do BE, e da respectiva aceitação, se, já nessa altura, o homem deveria ser contra as estruturas partidárias?…

    Por que é que toda a gente tem que ser de “esquerda”, e por que é que, mesmo que houvese pessoas de “esquerda”, seriam as detentoras de todo o humanisno e de toda a solidariedade?…

    Não há ninguém de “esquerda”: há quem pense ser, e há pessoas a quem dá jeito parecer que são. O dia-a-dia mostra-nos isso; o uso dos dois “catecismos”, o prático e o teórico. Entre-se, por exemplo, na área da Cultura, e verão como lá se encontram bandos de medíocres e segregacionistas, destituídos de sentido crítico e de conhecimento; que segregam por sexo e por partido, e que têm a desfaçatez de dizerem que são de “esquerda” e solidários… Vão ao Chiado, e olhem como a “esquerda” posa, como dar ares de ser o que não pode ser.

    Já noutros espaços citei o caso de Saramago, essa invenção do Partido Comunista; que o fez nascer, que o engordou e promoveu, acabando por vê-lo virar-lhe as costas… e ouvindo-o dizer, inclusive, que a “esquerda” era tonta, e que o melhor era votar em branco.

    Eu não estou a fazer a defesa do Fernando Nobre —pessoa que nunca me inspirou grande confiança —olho sempre de soslaio os excessos de voluntarismo, porque não o consigo ver desinteressado. As pessoas ou não têm mais que fazer ou andam à procura de qualquer coisa —como é que, pessoas que não cuidam dos pais nem da família, andam, agora, a distribuir sopas e roupas aos sem-abrigo?… O que está por trás disto? Não creio que seja, apenas, a Segurança Social.

    Se o Fernando Nobre fôsse, de facto e verdadeiramente, dado às causas dos necessitados, de qualquer tipo, ficaria onde estava, não vinha para a política; porque saberá que, na política, vive-se da usurpação e não da dádiva. desde a “esquerda à “direita”.

  5. Cidadão Honesto! says:

    Realmente a política cega as pessoas, mesmo aqueles que nos pareciam honestas. O dr. F.Nobre não poderia ser diferente, mesmo porque se meteu numa selva de oportinistas e mentirosos de toda a ordem. Há,no entanto, alguns que pretendem ser honestas no que fazem e dizem que vão fazer. Mas destes é preciso estar a pau, porque se apresentam como hienas esfomeadas, capazes de devorar o ininigo sem lhe despir o velo. Não é fácil descobrir as razões de tanta ganância, soberba e vontade canina de ir ao pote de múrias. Portugal não poderá aceitar milhares de capangas camuflados de “PPD´s” só porque estão desempregados. E depois, donde vêm os euros para lhes pagar? Será que os milhões negociados vão cheger para os PPDS? Duvido.
    Contudo, a resposta está nos banqueiros e empresários, porque o Estdo não fabrica empregos, como pretendem os comunistas & Co. É preciso pôr o povo a trabalhar e a produzir para a Nação e exportar produtos de qualidade a preços ecessíveis. Tá bô?
    Cidadão Honesto (acreditem que é verdade).

Trackbacks


  1. […] os perigos da eventual vitória do PSD, partido em que não irei votar, pelas razões que expliquei aqui, Passos Coelho poderá não ser a melhor solução para Portugal, mas será sempre um upgrade se […]

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.