CDS: PP quer dizer Partido do Pote?

Portugal é um país pequenino e não só – nem sobretudo – no tamanho. A forma desavergonhada como o clientelismo e o nepotismo são praticados e alardeados deveria ser escandalosa, mas é considerada tão natural que Sílvia Ramos, uma dirigente concelhia do CDS-PP de Beja, pôde afirmar, depois das eleições, o seguinte:

Este é o Momento…de se correr atrás de lugares…uma coisa eu informo o CDS Beja irá estar nos devidos lugares proporcionalmente ao nosso peso político e porque temos isso legitimado pelos votos que obtivemos.

O portuguesinho no seu melhor está patente neste monumento ao chico-espertismo de uma classe política que se dedica a distribuir cargos públicos pelos seus apaniguados, mal consegue abocanhar o poder.

Será esse mesmo chico-espertismo que levará à próxima atitude que consistirá em explicar o que se queria mesmo dizer, com argumentos tão profundos como “as minhas palavras foram mal interpretadas” ou “o que disse foi retirado do contexto”. Fico a aguardar, quase fascinado, como será possível descobrir virtudes em expressões como “correr atrás de lugares”. Espero a melhor das ajudas para que me ajudem a descobrir que leis nos permitem confirmar que há lugares legitimados pelos votos, para além dos que resultam, exactamente, dos votos.

Para além da notícia, podem ler aqui as declarações completas, para que não fiquem retiradas do contexto.

Comments


  1. Concordo com a senhora, o CDS/PP não elegeu qualquer deputado em Beja, é um partido irrelevante no Baixo Alentejo, logo deverá ter a respectiva e merecida proporcionalidade no acesso ao pote, neste caso…0!!!

  2. a.marques says:

    Adaptação moderna dos Lusíadas + 1

    I
    As sarnas de barões todos inchados
    Eleitos pela plebe lusitana
    Que agora se encontram instalados
    Fazendo aquilo que lhes dá na gana
    Nos seus poleiros bem engalanados,
    Mais do que permite a decência humana,
    Olvidam-se de quanto proclamaram
    Em campanhas com que nos enganaram!

    II

    E também as jogadas habilidosas
    Daqueles tais que foram dilatando
    Contas bancárias ignominiosas,
    Do Minho ao Algarve tudo devastando,
    Guardam para si as coisas valiosas…
    Desprezam quem de fome vai chorando!
    Gritando levarei, se tiver arte,
    Esta falta de vergonha a toda a parte!

    III

    Falem da crise grega todo o ano!
    E das aflições que à Europa deram;
    Calem-se aqueles que por engano…
    Votaram no refugo que elegeram!
    Que a mim mete-me nojo o peito ufano
    De crápulas que só enriqueceram
    Com a prática de trafulhice tanta
    Que andarem à solta só me espanta.

    IV

    E vós, ninfas do Coura onde eu nado
    Por quem sempre senti carinho ardente
    Não me deixeis agora abandonado
    E concedei engenho à minha mente,
    De modo a que possa, convosco ao lado,
    Desmascarar de forma eloquente
    Aqueles que já têm no seu gene
    A besta horrível do poder perene!

    E mais outro:
    Um poema da “mente”, só/mente!

    POEMA da ‘MENTE’…

    Há um Ministro que mente…
    Mente de corpo e alma, completa/mente.
    E mente de modo tão pungente
    Que a gente acha que ele mente, sincera/mente.
    Mas mente, sobretudo, impune/mente…
    Indecente/mente.
    E mente tão habitual/mente, tão hábil/mente,
    Que acha que, história afora, enquanto mente,
    Nos vai enganar eterna/mente.

    Nota: Não sei quem é o autor… com tal mente

  3. torcato guimaraes says:

    o fundo da questão, i.e. o facto de ir para a vida pública com a cabeça nos interesses pessoais demonstra uma cultura que nos levou à bancarrota; MAS o que acho interessante, é ter escolhido alguém que NUNCA teve vida pública, de uma distrital que NUNCA ELEGEU um deputado para INICIAR a BANDEIRA ANTI-BOY; A MESMA CRÍTICA não vi em nenhum momento quando pessoas LIGADAS ao sector financeiro, das telecomunicações, da construção civil dizerem o mesmo e SEREM de facto nomeadas para esses lugares. REFIRO-ME em concreto a ministros do PSD/CAVACO e seu papel nas empresas públicas, e do PS/Guterres/Socrates e seu papel nas empresas públicas e institutos. LOGO, o que ESSA MENINA DIZ vale ZERO (não deixando de ser asqueroso)…porque não importa o que diz (intenção) mas o QUE È FEITO. PAROLOS há em todos os partidos, MAS GENTE NOMEADA por TACHO conheço só 2, pois FORAM OS QUE GOVERNARAM.

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.