Quer comprar o estádio de Leiria?

Agora dizem que querem vender o estádio por causa da Troika, mas eu gostava que dissessem porque razão o construíram (por falar nisso, José Sócrates -sempre ele, o mago das contas para os outros pagarem- foi o impulsionador da construção destes elefantes brancos quando tutelava o desporto no governo de António Guterres).

Em Portugal cidade nenhuma pode ver a vizinha ter uma coisa sem o desejar também. Se uma lança uma marina, a cidade ao lado constrói uma maior, se uma autoriza um centro comercial, a vizinha autoriza dois e ambas dão, alegremente, cabo do comércio local, se se fala em TGV aparece logo quem proponha paragens de dez em dez quilómetros.

O mesmo se passou com os estádios, com as cidades a competirem entre si para terem, cada uma, o seu. Se a UEFA autorizasse, ter-se-ia construído um estádio por jogo já que não é possível jogar-se apenas meia-parte em cada estádio pois, se pudessem, era o que tinham feito, com Viseu, Pombal, Chaves e Santiago do Cacém, por exemplo, degladiando-se pelo “maior e mais moderno estádio do mundo”.

Está claro que, passada a euforia, em Chaves plantar-se-iam batatas e em S. do Cacém tomates que as pessoas veriam crescer comodamente instaladas nas bancadas.

Em Leiria nem isso, a pêra-rocha do oeste dá-se melhor um pouco mais ao lado. Com a construção do mamarracho e de uma ponte a armar ao modernaço, deram cabo do sky-line da cidade e do seu “castelo altaneiro”, defraudando também espaço público em zona privilegiada e aprazível.

Se alguém o quiser, acho bem que alienem o monstro. Mas não deviam esquecer que lutaram, e muito, pela sua construção.

Comments


  1. Portugal = pornógrafo.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.