Bandex: Fome

Os Bandex têm brincado, e gozado, com a política à portuguesa. Desta vez, com o auxílio do grande Futre, é a sério e a doer. Como a fome.

Comments

  1. Rodrigo Costa says:

    Talvez fosse interessante o Futre, tirando partido dos seus relacionamentos privilegiados, aconselhar os respopnsáveis dos grandes clubes de todo o Mundo a concentrem-se e deixarem de pagar as barabaridades que são pagas aos futebolistas e treinadores.

    Feitas as contas, por alto, os salários de uma equipa de topo exigem o desvio de recursos de áreas prioritárias, embora eu compreenda que, com o tempo, o desporto tenha vindo a assumir foros de prioridade, que ainda não compreendi, ou compreendi porque vai ao encontro da necessidade de diversão e de escape, o que beneficia, largamente, o interese dos poderes ou dos governos, que pagam, com privilégios, a federações que não sobreviveriam sem a cumplicidade dos estados.

    O Futre é o Português-malandro-típico; dá-se-lhe o rés-do-chão e ele sobe ao último andar —Gostaria de saber o que pensa, hoje, Dias Ferreira, a prpósito da sua “invenção”. Infelizmente, uma vez mais, o invento ultrapassou o inventor. Acontece. O senso é que prescindia.

    Quanto às preocupações sociais… eu repito o que, muitas vezes, digo: que seria da desgraça, se não houvesse desgraçados!…

    Não há euforia de pobre que não tenha pobreza na ementa.