Ela tem um projeeeeeeeecto

Tenho andado ocupadérrima, mas numa lufa, lufa… que nem dá p’ra descrever! Foi por isso que nem deu p’ra escrever qualquer coisinha… tá a ler? É que, sei lá, pus-me a pensar porque que é que ninguém pensa nos problemas dos pobrezinhos e essas coisas ( eu também ainda não tinha pensado )? De repente veio um flash… tá a ler? E se eu me pensasse ?… é isso: pensasse nos pobrezinhos (é assim que se escreve? ou é com s? ) “prontos” também não importa, afinal são só pobrezinhos, não é ? Já é muito bom eu pensar neles, olhem só de pensar neles ficam logo menos pobrezinhos, porque pensar em alguém já é uma riquezaaa, não acham? Assim como pensar em apadrinhar alguém de … sei lá um país paupérrimo, cheio de gente paupérrima, a gente nunca manda nada, porque dá uma trabalheira ir aos correios e essas coisas, mas “prontos” pensa, pensa e só por pensar eles todos ficam-nos monteees de agradecidos!

Não era disto que queria escrever. Queria informar-vos sobre um projecto, importantíssimo, interessantíssimo, explendidíssimo! Eu vinha reparando que ultimamente ninguém me convida para nada, nadica, népias. “Bem se calhar aquela desbocada da Tábata deu em espalhar que eu tinha menos dívidas que ela… ” – pensei eu –  “estou queimadinha, vão ficar a pensar que não prevejo grandes rendimentos para os tempos mais próximos“. Fiquei, p’ra morrer! Foi então que bateu a ideia: vou pensar nos pobrezinhos! Delineei logo um projecto: um “refúgio de montanha”, com comida, lareira e paus, para pobrezinhos que quisessem esquiar no fim-de-semana.

Fui a correr falar com o srº. presidente da câmara. Não é que ele achou o máximooo! Além de me garantir um subsídio para o meu projecto também quis aderir e disse logo que não se importava nada de ser também presidente (“honorário” , entenda-se) e que um primo de um amigo dele que é presidente da junta teria – certinhamente – o maiorrreee, gosto em ser o tesoureiro. Tesoureiro? perguntarão vocês e perguntei eu. AH! pois é. Estes projectos de solidariedade precisam de ser bem geridos: dinheiro é dinheiro. E as coisas agora já não são como dantes. Tudo tem que ser muito limpo e claro ( Por causa de uns malandros que… bem se abotoaram. Agora… oh )Foi então que o presidente da junta ( o primo do amigo do presidente da câmara) me telefonou a dizer que também já tinha gestor de projecto: a cunhada dele. É óptima! Acabou há pouco o curso de Direito e está muito por dentro destas coisas porque, na faculdade, até  integrou a “comissão da queima “. “Comissão da queima”? – até fiquei com calor. Eu a pensar que já ninguém me voltaria  a telefonar e afinal… Sou presidente de uma associação de solidariedade social sem fins lucrativos. Às vezes, espanto-me a mim mesma, ’tá a ler ? A quantidaaade – e qualidade -de pessoas que consegui mobilizar para o meu projecto, drs. e draaaas do melhooorrr.

A cabana, lá na neve, está o máaaximo. Só não a inauguramos já, porque estamos à espera que o sr. primeiro ministro tenha um furinho na agenda para poder estar presente. E, por enquanto, também não queremos que os pobrezinhos comecem já a enxovalhá-la toda… que horror! Ficou tão gira! Foi um bocadito cara, mas “prontos” também foi por causa do SUV que tivemos que comprar para a associação  poder levar lá os pobrezinhos, é que alguns são tão pobres que nem carro têm. ’tá a ler?

Maria Pissarra

Comments

  1. mariazeca says:

    😉

  2. jorge fliscorno says:

    Que girooooo, quase parece aquela fundação, ai como é o nome mesmo?


  3. Girérrimo, tá a bere (lere quédezere)?

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.