Uns pedem pão, outros compram IPad

  

Dois mundos completamente diferentes coexistindo, no nosso tempo.

Enquanto que a Etiópia procura que todas as suas crianças tenham acesso ao ensino primário; enquanto muitas mulheres do Senegal anseiam pelo curso de alfabetização (querem somente aprender a ler e a escrever), agora que mais libertas de tarefas como moer milho (constato surpreendida que ainda há mulheres que moem milho); enquanto Moçambique luta por diminuir a taxa de mortalidade infantil e a Tunísia reduzir a de mortalidade materna; enquanto na África do Sul ainda não é possível garantir a todos o acesso a água potável;

os americanos ou nós, países mais desenvolvidos e ricos, esperámos exibir o último brinquedo tecnológico e, de preferência, ser o primeiro a comprá-lo para aparecer numa foto de jornal, na internet, no mural do facebook, etc.

Poucos acreditam que os Objectivos do Milénio sejam alcançados com sucesso. Não obstante “o mundo possuir os conhecimentos e os recursos” para concretizá-los, parece faltar o mais importante: determinação.

Determinação de quem lidera os diferentes países, incluindo Portugal.

Comments

  1. Gajo Republicano Laico e Mação... says:

    se constata que moer milho exige ou energia ou tecnologia auxiliar

    adeveria saber que as mós a água e a tracção de gaja ou de mula

    inda funkcionam no norte putogoês pa fazer broa

    a última que me alembro que fazia iste morreu em janeiro aos 100 anus de gripex

    as filhas sessentonas e oitentonas tã todas ou em burguesas lides ou em lares de terceira idade

    mas inda lhe restam umas quantas bizinhas nonagenárias quindam fazem broa
    com o milho que moem…


  2. Cara Céu, adorei o seu post! Bem melhor seria que houvesse apenas um mundo e não dois; mas infelizmente o que impera é o mundo do consumismo, do egoísmo e da indiferença!

    http://facedaletra.blogspot.pt/2012/01/o-culto-de-o-mais.html


  3. Ó #1, tire-me lá uma dúvida: V. Exa. é mesmo parvo ou gosta que por tal o tomem? Cada tolo com a sua mania, claro está. Mas olhe que brincar com coisas sérias poderá acarretar-lhe graves problemas… pense nisso, se conseguir…

  4. MAGRIÇO says:

    Ó Isabel, mais educadamente directa do que isso é impossível! Ainda estou a rir…


  5. O mundo é um só, mas a espécie humana sofre de uma doença grave: etnocentrismo, que nos casos extremos provoca egocentrismo…


  6. Felizmente que o excesso de alimento dá para tudo!

    E como aqui escrevi faz algum TEMPO… vamos lá a comprar mais e mais… ou não querem ver os “Sorrisos das Crianças” estampados nas suas ricas faces?
    (o vídeo da msg é este)


  7. Sabe Magriço, hoje estou um pouco para o agreste, mas não convém nunca perder a compostura! 🙂


  8. Voz, ainda não tinha lido esse teu post. Incisivo e certeiro como sempre! 🙂

    Realmente é inequívoca e inegável esta absurda proporcionalidade directa entre a quantidade de alimento e o grau de estupidez!

  9. maria celeste ramos says:

    Afinal há muitas variações de escrita, de relecionamentos e de pensamentos e de formas de escrever como se vê por este “aventar” mas de tão zangados agora prefiro ouvir o som da guitarra portuguesa de Pedro Caldeira Cabral que que com a sua música ao fundo deu uma interessante e erudita conversa sobre a evolução deste instrumento desde há 2 séculos e que acabou por ganhar identidade portuguesa pela forma como os tocadores lhe retiraram sons e a construiram, também – bonito – RTP2 – 05:00-05:20H de 11 abril 2012 – é de ver e ouvir e “apaziguar” – também se falou em silêncio e “ruído” e as palavras de hoje no aventar têm muito ruído


  10. Quem pode comprar Ipad na Europa hoje? Os níveis de emprego despencam, especialmente entre os jovens. A realidade muda.

  11. xico says:

    Se vocês quiserem um mundo equilibrado, vão ter que pagar mais do dobro no supermercado e acabar com os subsídios na agricultura, para que os produtores mais pobres do terceiro mundo possam pôr os seus produtos no mercado. Comparações destas, como foram feitas, são infantilidades. E comparar a América com os países pobres é uma falácia. Compare antes as elites dos países pobres com os deserdados da sorte desses mesmos países. A Índia tem bombas atómicas, tecnologias de ponta, casas de gente da classe alta com portas folheadas a ouro quando não maciças e crianças a morrerem de fome à porta dessas casas. A loucura pelas novas tecnologias não são causa do mundo desiquilbrado e fazem muito mais mal a quem vive na sua dependência.No dia em que verdadeiramente igualarmos os males do mundo vou ouvir muito choro e ranger de dentes vindo de quem aqui comentou e postou.


  12. E o caro Xico fala de barriguinha cheia, não é? E por estar tão cheiinha é que não consegue ver para além do exemplo que foi dado, não é? Com o devido respeito, infantilidade é achar que o mundo consumista está isento de culpa quanto à situação do mundo da miséria!

  13. xico says:

    Cara Isabel G
    Não tenho ipod nem ipad e nem faço a mínima ideia para que servem. O telemóvel que tenho nem fotos tira e tenho-o porque sou obrigado a tê-lo. Em lado nenhum disse que o mundo consumista está isento de culpas. Julgo que na China houve quem vendesse um rim para adquirir uma coisa dessas. Ficou certamente mais miserável apesar da tecnologia. Com o devido respeito continuo a achar a comparação infantil. E gosto de discutir ideias, não as barrigas dos outros.


  14. Caro Xico, com este seu comentário vejo que me enganei redondamente. Aliás, mais do que isso fiz das suas palavras um juízo errado. Interpretei mal a sua mensagem. Peço, por isso, com humildade, que aceite as minhas desculpas!

    Permita-me só dizer mais duas coisas: a primeira prende-se com a sua frase “Não tenho ipod nem ipad e nem faço a mínima ideia para que servem. O telemóvel que tenho nem fotos tira e tenho-o porque sou obrigado a tê-lo.”. Não é toda a gente que consegue, de um modo tão franco, “confessar-se” desse modo, já que artefactos desses são, para a maioria, os acessórios de uma personalidade que se pretende ter e não se tem. Só por essa frase, portanto, merece o caro Xico todo o meu respeito!
    A segunda tem a ver com as infantilidades: vai-me desculpar mas não consegui ainda compreender, incapacidade minha por certo, porque apelida assim os exemplos de desigualdade que foram dados.

  15. Gyver says:

    Os da etiopia que deixem de ser gananciosos, andar em guerras e comecem a trabalhar para viver. Tem um continente tão rico em materias primas e só fazem porcaria.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.