O que faz mal às pessoas

O SNS não será nem é sujeito a nenhum tipo de racionamento desta forma. Vamos ter é uma racionalização cada vez mais no sentido de só fazermos às pessoas aquilo que faz bem às pessoas

Fernando Leal da Costa é médico e secretário de estado. Já teve a lata de querer poupar nas terapias que prolongam por pouco tempo a vida de alguns doentes de cancroAgora pelo que se percebe descobriu que o Serviço Nacional de Saúde faz coisas que não fazem bem às pessoas. Não fazendo bem é suposto que ou fazem mal ou são placebos. Ora se isso existisse no SNS não era caso para poupar, mas sim para exterminar. Entretanto começamos todos a desconfiar que  Leal da Costa não é um placebo, faz mesmo mal às pessoas. Precisa de ser removido, com urgência, tal como toda a equipa ministerial de privatização da saúde.

Comments

  1. Konigvs says:

    Ontem fiquei a saber que este governo me cortou a isenção de pagamento de taxas moderadoras por doença crónica, que o mesmo país me tinha dado em 2010, apesar de continuar doente com a mesma doença crónica.

    Fiquei também a saber que terei de pagar 50€ para pedir nova isenção, que só me será atribuída se tiver uma incapacidade superior a 60%.

    Estes 50€ são o quê? Uma taxa moderadora para moderar os pedidos de isenção?

    Cambada de filhos da puta.

  2. Dora says:

    Estão, em força, a destruir o SNS.

    Os médicos de família são pressionados a só perderem, o máximo de 10 minutos, com cada paciente; nos hospitais, cada vez mais se pode às famílias que tragam pensos, medicamentos e outros itens; os médicos do SNS estão a ser aliciados a irem para o privado; espera-se cada vez mais tempo por consultas/tratamentos e cirurgias de urgência; o IPO está a abarrotar pelas costuras e as listas de espera são cada vez mais longas.

    Uma vergonha!

    Um cidadão desconta, durante décadas e décadas para o SNS. Tendo o cidadão sido, por exemplo, sempre saudável, chega uma altura em que precisa mesmo de um tratamento /cirurgia e é-lhe dito que vai ter de esperar. Com sorte, talvez não morra.

    Com sorte, talvez até tenha uns euros para pagar num hospital privado ou semi-privado. Com sorte, até pode ter um seguro de saúde.

    Uma vergonha o que está a acontecer ao SNS!

    A progressiva e rápida privatização de tudo para o qual os cidadãos descontam. E não é nada pouco!

  3. maria celeste ramos says:

    Como é que há tantas dívidas e todos os dias desde 2008 se descobram mais umas quantas ? quem faz as contas todas do que se “deve” e a quem ?? Hoje no jornal mais um pagamento principesco de 7.5 milhões de euros pagos a Sérvulo Correia para dar pareceres – Ou seja, desde que o Código de Contratação Pública entrou em vigor, o escritório de Sérvulo facturou 7.5 milhões para EXPLICAR a lei – claro CM – última página – última hora

  4. Nightwish says:

    Os placebos até podem fazer bem à saúde… Agora, este governo só faz a felicidade de quem se suicida.


  5. A questão é simples: se não há dinheiro, há racionamento, agora o Governo, ou outros, podem dar-lhe outro nome, que o facto não se move.

    • Dora says:

      Táxi,

      Não é o problema do dinheiro que se coloca, apesar de sermos bombardeados com essa estória há anos e anos.

      O problema são as opções de uma sociedade, de um Estado, de um governo.

      Chega de publicidade enganosa!

      Não compro esta ideia que me querem vender.

      Tornaram-me desconfiada.

  6. Dora says:

    Uma questão de opções: PPPs, BPNs, A. Borges, comissões de estudo, instituições, privatizações, etc….

    É para aqui que está a ir o balúrdio que o meu agregado familiar paga de impostos- directos, indirectos, por cima e por baixo.

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.