Não há uma partícula de Deus

Não é para chatear que escrevo este post!

Mas esta expressão, ‘partícula de Deus’, atrai-me desde que ouvi falar nela há cerca de um ano.

Hoje, é capa dos jornais. O JN escreve: “Estamos mais perto de conhecer a origem do Universo”.

É que, afinal, essa partícula dita de Deus, existe.

A “partícula de Deus” tem ainda outro nome: «o bosão de Higgs», ou seja, a partícula das partículas, que dá massa às outras partículas. “O bosão de Higgs foi teorizado para explicar por que é que a matéria existe. Acontece que o chamado Modelo-Padrão, actualmente a melhor descrição das partículas subatómicas e das forças que as unem, exige que uma partícula confira massa às outras. Sem ela, o universo que hoje observamos, com as suas galáxias, planetas — e nós —, nunca teria surgido.”

Tolentino de Mendonça, padre e teólogo, comenta sobre o assunto do seguinte modo: “A Teologia explica o porquê da criação, a Ciência o como. O «como» é do domínio da Ciência. Não há uma partícula de Deus. Não há um segredo de Deus na Física. O segredo e a partícula de Deus são mais do domínio espiritual, do sentido da vida e da finalidade da criação do que a causa física do Universo”.

É interessante a ideia de que existe uma partícula que confere massa às outras!

E que, sem ela, nós não teríamos surgido!

E, mais curioso ainda, que essa “partícula” seja, justamente, atribuída ou designada como «de Deus»!!

E, finalmente, ocorre-me ver-nos como partículas, «coisas» minúsculas, pequeninas, grãos de areia fazendo parte de um Universo infinito (ou finito), imenso. E, no entanto, somos tão importantes!

Uma partícula subatómica a fazer falta, faz uma diferença do «caraças»!! Pode um puzzle estar completo sem uma peça? Até irrita, incomoda, quando nos falta logo uma e apenas uma peça e não há meio de saber onde está… o puzzle deixa de fazer sentido. Não está terminado…

P.S.- Por outro lado (e isto só para quem acredita), não seremos partículas de Deus? Ups…

Comments


  1. Eu bem precisava de uma dessas partículas… a ver se me arranjava alguma “massa”, que é coisa que anda bastante em falta ultimamente! 😉


  2. É determinada esta urgência em encontar a presença de deus no universo, na criação!
    Porquê?
    Qual a importância de encontrar a presença de deus?
    O homem precisa desesperadamente voltar a saber se deus é a própria criação ou se deus se encontra fora da criação.
    Se deus é a própria criação, então o homem é deus e o pecado não existe, o homem é livre.
    Por outro lado se deus se encontra fora da criação, então o homem está dependente, o pecado é a não obediência e o homem condicionado.
    Esta é a questão colocada ao acelerador de partículas.
    As instituições religiosas sempre foram o garante de que deus estava fora do universo (da criação).
    É possivel que isso esteja prestes a mudar, sabemos o que significa, sabemos pois!


    • Dado que se refere a deus com letra minúscula penso que o significado que lhe atribui é o de “aquilo que desconhecemos”. É pelo menos deste princípio que vou partir.

      Assim sendo: não é uma gota do oceano o próprio oceano? Não contém a gota do oceano a mesma substância do oceano? Sendo uma tão infimamente pequena e o outro tão imensamente grande, são sem dúvida graus diferentes de uma mesma natureza.

      E o homem, infinitamente pequeno perante a infinita vastidão do universo, não será da sua mesma natureza?

      É imenso o que todavia desconhecemos e o bosão de Higgs não será com certeza a última descoberta a despertar no homem a ansia de conhecer a sua origem!


  3. um pequeno texto a “maldita partícula”…
    «Já agora, para arrumar o assunto divino de vez: não vale a pena dar importância à alcunha pela qual o bosão de Higgs é conhecido na imprensa. É marketing quântico. Uma falácia atribuída ao físico Leon Lederman e ao livro de divulgação científica publicado em 1993 de que foi co-autor, «The God Particle: If the Universe Is the Answer, What Is the Question?».

    Na verdade, a expressão era outra. E muito mais adequada: tendo em conta que os físicos já a procuravam há décadas, Leon Lederman batizou-a como «the goddamn particle», pois não havia meio de se descobrir o raio da partícula!

    O editor do livro convenceu-o de que a designação the god particle faria vender mais cópias e pronto, assim começou e floresceu a cantilena da ‘partícula de Deus’: a ressonância da expressão até pode ser tão profunda como um órgão de igreja tocado em manhãs solarengas de domingo, mas a sua origem é interesseira e totalmente artificial, nada a ver com a Física (ou a Religião).»
    in: http://bitaites.org/no-mundo-da-lua/descobriu-se-o-raio-da-particula/

  4. Cínico says:

    E se alguém se lembra de inventar uma outra partícula, talvez do diabo, que anule o bosão de Higgs?
    Com tantos malucos que há por aí a inventar armas cada vez mais terríveis …


  5. eu gostava que se encontrasse era a partícula da humanidade, tanta gente não sabe dela… esta sociedade não ter arranjado anda uma forma de viver em paz, dignidade e fraternidade é um embaraço para qualquer deus, religião ou principios morais.

  6. Sónia says:

    Apetece-me deixar uma “provocação”: Será que essa tal “partícula de Deus” apenas existe na Terra? Ou poderá existir “noutros lados” (planetas, etc) e de facto não estarmos sós no Universo? Poderá ser possível descobrir que há “Marcianos” ainda que não estejam propriamente em Marte? A meu ver, seria muito interessante ver/estudar formas de Vida diferentes!

    • MAGRIÇO says:

      Essa partícula foi a que permitiu a criação do Universo, não exclusivamente a vida, que só apareceu muitos milhões de anos depois dos planetas. E “partícula de deus” foi a designação que alguém lhe deu, mas sem rigor nem sentido científico. Quanto à existência de vida noutros planetas, basta pensar que existe um número imenso de galáxias e que só a nossa, a Via Láctea, tem milhões de estrelas que, muito possivelmente, são outros tantos sistemas solares como o nosso. O cálculo de probabilidades de outras civilizações alienígenas fica ao critério de cada um.


      • Concordo inteiramente!

        Além de que seria uma imensa e néscia veleidade da nossa parte acreditar que todo o universo existisse única e exclusivamente para nós!

  7. maria celeste ramos says:

    Que diálogo interessante o de “hoje”
    PS-quando não sabemos explicar mais nada até se diz “foi a vontade de Deus – por por vontade de Deus como cantou Amália – porque não enquanto nao se sabe mais designá-la assim ?? Acho a designação linda porque é, ainda, o inexplicável – as os físicos andam a “andar” sempre para a frente aqui ou em Marte ou algures- a eterna ânsia – que bonito – E Damásio que anda há anos à procura de como funciona o subconsciente, o que dirá desta partícula ?? e onde estará mais -Estará igualmente dentro de nós já que Sagan pelo menos disse que somos poeira do universo ? não sei – mas quando andei à procura do que havia num grão de polén de 1 micron de diâmetro e me apareceu um tetraedro “ornamentado-recoberto de película rendilhada” emocionou-me e depois ainda na sua composição química tinha bário e azoto e já não lembro que mais e fiquei a pensar no que “cabe” em apenas um micror, e nem havia microscópio electrónico e como tinha deixado a prática da minha religião – parei e pensei nisso e se não voltei atr´s em nada, fiquei com mais dados para pensar – entretanto a mulher de Sagam, bióloga” falou em “célula primordial” e foi criticada, designação e ideia que acho muito interessante -será por isso que “muitos” falam no sagrado da matéria ?? Porque não ? Não recordo o que disse ontem concretamente Mariano Gago mas disse bem

  8. maria celeste ramos says:

    Sagan – não é sagam – enganei-me a escrever – como sempre

  9. Nuno Ferreira says:

    Só para esclarecer que quem atribuiu o nome “particula de Deus” não foi o sr Higgs nem nenhum outro cientista. O físico Leon Lederman (prémio Nobel) queria chamar à partícula “that goddamn particle” só que os editores não deixaram e alteraram o nome para “God particle” (partícula de Deus), ou seja, quem baptizou a partícula como “partícula de Deus” foram os media que utilizam o termo como chamariz para as noticias porque de outra forma ninguém ligava nenhuma. Nenhum cientista que se prese gosta deste termo.

    • MAGRIÇO says:

      Exactamente! Esqueci esse pormenor. De facto, Lederman queria enfatizar a dificuldade em isolar a partícula, por isso empregou o termo “goddamn particle” que se poderá traduzir por “partícula maldita”, logo aproveitado por alguns para meter deus no assunto.

  10. José António says:

    Não seremos antes partículas da Natureza?
    Dessa natureza em que nada se cria, nada se perde e tudo se transforma?

    «(…)
    Um dia serei eu o mar e a areia,
    A tudo quanto existe me hei-de unir,
    E o meu sangue arrasta em cada veia
    Esse abraço que um dia se há-de abrir.»
    Sophia de Mello Breyner

    Saudações fraternais.


    • Caro José,
      obrigada por trazer para aqui esse poema de Sophia!!
      Para mim, ser partícula da Natureza ou partícula de Deus é a mesma coisa!!! Tudo se transforma-uma ideia muito bela… abraço

  11. João Batalha says:

    A maior parte dos seres humanos esquece-se que a biblia é um conjunto de alegorias e metaforas e que antigamente as historias se contavam com o intuito de instruir e educar as pessoas de uma tribo, clan ou uma nação, ate mais, com 8 intuitos, para explicar fenomenos naturais, contrular forças da natureza (deuses/sacrificios), para unir o aglomerado de pessoas, para registar acontecimentos historicos, e sem me estender mais termino com o meu objectivo neste texto, deus está em todos os homens, não no homem em si, está escrito na biblia sem possibilidade de contestação. Porquê tanta necessidade de encontrar a particula e chamar lhe deus? Para fundir a ciencia com a religião e assim manipular ainda melhor o leigo… acordem pessoas !!

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.