O mais baixo magistrado da nação

Sem o auxílio do bolo-rei, as declarações de Cavaco Silva têm outro sabor. De acordo com o vídeo, Cavaco não manda fiscalizar o Orçamento de Estado, porque nenhum outro Presidente o tinha feito. Ficamos, ainda, a saber que Cavaco, mesmo que entreveja alguma inconstitucionalidade num Orçamento, prescindirá da sua função de defensor da Constituição e dos cidadãos. E assim se confirma que o Presidente da República é, actualmente, o mais baixo magistrado da nação.

Comments


  1. Ficamos esclarecidos: o presidente da Travessa do Possolo prefere ter um Orçamento insconstitucional do que não ter Orçamento nenhum. Em contrapartida, eu preferia não ter presidente nenhum do que ter esta coisa a fazer de conta que dirige o meu país.

  2. maria celeste ramos says:

    Consta que fez economia tendo feito todas as “cadeiras” e por acaso gostava de saber as classificações e ver se foi ou não um craque – o que não quer dizer tudo á claro
    Trabalhou na CGD e ensinou na universidade
    Mas o que é que isso afinal quer dizer ?? eu tive tão maus professores (todo nós tivemos)
    Afinal o que é que ele aprendeu ??
    Foi meu Director de Curso onde leccionava, o sub-reitor da Lusófona que há dias falou à TV a defender Relvas – até o conheci e bem
    Não me apetece falar mais daquele supermercado do ensino onde me preocupei apenas vom os meus aludos do Dia e do post-laboral – que até me davam opinião deles de muita coisa perguntando discretamente – e eu claro não podia (ou devia) “morder” já que putros alunos haveria que seriam “olhos e ouvidos do rei” e não queria xatices pois que já me bastava os cábulas – e nem sempre se está no sitio certo para a critica certa e certeira e os alunos não são burros – só são cábulas
    Os alunos não são burros – só são cábulas e nem me interessa falar dos seus problemas familiares (alguns que me contavam) porque dei aulas a pobres e ricos e ciganos e africanos, a jovens na idade certa para aqule grau escolar e a meninos de 40 anos – todos misturados nas mesmas turmas – e não era fácil mas mas era fascinante – até tive um terrível skin-head que não podia resolver a escola não resolver e resolvi au abandonando a turma – o director de turma prof de matemática xatiou-me mas nada conseguiu e até foi quase logo a seguir “convidado pela direcção da escola a sair”- e saíu mesmo – a mim ninguém me explusou mas estava preparada para isso pois que estou sempre pronta ao entrar numa porta a deixá-de forma a poder sair – sempre fiz isso em tudo – e tive gente “meiguinha” para comigo por ser assim – mas só me interessavam os alunos – o resto era comigo e cumpria as regras escolares ESCRITAS e convencionadas – algumas que furei é claro mas xatiava-me regimes militaristas (sou filha de militar) – adorei todos os anos em que ensinei e todos os alunos mesmo um em especial que me encaganitava e era estudante-trabalhador – stwart(é assim que se escreve ???) da TAP – o bonitão que as “meninas olhavam ?? – era um cagão-parvalhão que nunca entrava a horas e cumprimentava menina a menina em vez de chegando tarde, entar sem ruído e sentar-se, e dar beijinhos às alunas no fim da aula – cagão parvalhão com talvez 30 anos – parvalhão – felizmente que não tive muitos parvalhões
    Tenho saudades das escolas por onde andei e dos meninos e da maravilha que é a juventude e os que sendo mais velhos, quere aprender algo mais
    Mas que lindo este exercíci do som do homem do palco a desafiar a platei – lindérrimo – lindérrimo – não sei a que propósito vem este espectáculo hoje, e filmado no Pavilhão atlântico ?? – prender quem ouve e colabora e se sente “unido”
    lindo – é um espectáculo e não as porcarias que têm assolada as TV- não dei pela inf de quem é o grupo – e assim vão passando imagens dos olímpicos portugueses – agora Nalson àvora – vou ver melhor – quando ganho sinto que trago uma nação atrás – fico vidrado a ver a reacção e acebi por chrar mesmo não gostando de o fazer em público –
    MAs que belo programa a PUXAR para CIMA – os “anti-relvas” – são 22H- 8 julho 2012

    etc – este v/artigo sobre PR – ai ai

  3. Konigvs says:

    Eu pergunto-me para que serve porem o presidente a fazer jurar cumprir a constituição se depois cagam em cima dela.
    A outra velha, a Ferreira Leite, falou em suspender a democracia por seis meses foi um escândalo, agora o tribunal constitucional do nosso país fala em suspender a constituição por dois anos, e anda agora a opinião pública a discutir alegremente que o chefe do governo comprou os estudos, como se tivesse sido uma coisa nova.


  4. “Deixava de haver orçamento…” e depois?!?
    Faziam outro… Para alguma coisa estes energúmenos têm que servir! Realmente acho que os jornalistas têm que começar a andar com bolo-rei nos sacos para lhe oferecem uma fatia antes das perguntas…


  5. Magistrado?
    lol.


    • Não é só o juiz que é magistrado. Segundo a definição no Dicionário Priberam da Língua Portuguesa, magistrado é um «cidadão revestido de autoridade superior judicial ou civil». Portanto, o Presidente da República também é magistrado.


  6. Ele devia esta na cadeia, tal como o Soares, e Sampaio, pelas responsabilidades na maior desgraça que sucedeu ao país, muito pior que o terramoto de 1755: a entrada no euro. Sem moeda própria, francamente, não estou a ver como vamos sair desta alhada (ser uma província pobre num canto da Europa, com um ministro das Finanças enviado por Bruxelas, talvez). Sem dinheiro não há orçamento. Portugal não tem o primeiro, o segundo é retórico.

  7. Luís says:

    Este parolo com a sua falta de visão política e assessorado por criminosos da pior espécie, causou danos de tal maneira graves ao país que só podem ser comparados com as invasões francesas.
    Para enriquecer os amigos políticos, e não só, criou verdadeiras oligarquias de criminosos que hoje vivem de forma pornográfica de rendas e de “negócios” e monopólios que arruínam os portugueses.
    A destruição das pescas, da agricultura, dos transportes ferroviários, dos “centros de decisão” em Portugal que rapidamente foram vendidos a estrangeiros, a desregulamentação da banca, as fraudes sucessivas nos fundos europeus para a formação profissional, a ausência total de leis dos solos, as urbanizações selvagens que destruíram as nossas praias, o início das PPPś ruinosas como a Ponte Vasco da Gama e as privatizações das riquezas dos portugueses, os incomportáveis aumentos na função pública para ganhar as eleições, o pai do famoso “monstro”, etc. tudo isto o saloio fez para satisfazer a sua pindérica vaidade.
    O seu perjúrio em relação à Constituição não passa de mais uma demonstração de falta de princípios deste sujeito que envergonha os portugueses que ainda têm vergonha na cara.
    O seu triste exemplo de falta de princípios éticos e morais foi depois seguido por outros que sempre tiveram nele o apoio necessário para as suas malfeitorias.
    Ao fim e ao cabo este tipo não passou de um chefe de quadrilha de futuros malfeitores hoje reciclado em “Padrinho”.


  8. do PRIBERAM:
    xexé
    (origem obscura)
    s. m.
    1. Mascarado carnavalesco que representa um velho ridículo, trajando casaco de seda, calção e meia, e armado de uma grande faca de pau.
    adj. 2 g. s. 2 g.
    2. [Informal, Depreciativo] Diz-se de ou pessoa mentalmente senil. = CHECHÉ, GAGÁ
    3. Diz-se de ou pessoa ou coisa ridícula ou nojenta.
    – Condiz com a figura?

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.