Mais um


A vida tem destas coisas. Poucos dias depois da morte de um sinistro fascista, morre alguém que lhe fez frente. Pedro Ramos de Almeida (1932 – 2012) passa à História como um lutador pela liberdade. Foi preso e torturado pela PIDE, mas a tudo sobreviveu. A célebre Fuga de Peniche, vergonha do regime, ficará para sempre ligada à sua memória.
Mais um anti-fascista que nos deixa nestes tempos em que tão precisados estamos de relembrar esses anos. À família, mas em especial ao Nuno, um grande abraço.

Comments

  1. maria celeste ramos says:

    Não conheci nem nunca ouvi falar de Pedro Ramos de Almeida mas, velho por velho que lutou pela Liberdade e andou de Aljube em Aljube, foi o meu querido amigo de adolescência João Pulido Valente, médico, que andava pelo alentejo no fim dos anos 50 + 60, a tratar gratuitamente quem dele precisasse e era rabujento e activo, e à semelhança dos irmão “Portas” , este tinha o seu irmão Francisco no lado oposto, também médico, e já não sabendo nada de nenhum deles, serão ambos mais velhos do que eu – E quanto a Vasco Pulido Valente, hitoriador, e escritor de pequenas e mordases críticas à situação e governo, nunca conheci, mas está vivo, e bastante velho e gosto e o ler quando encontro o que escreve – mas como podemos escolher os “nossos” velhos ?? – começo a perceber

  2. Pedro Leite Ribeiro says:

    Oswaldo Payá, “menos um”? Tristes…

  3. Pisca says:

    Quem copia dos jornais, depois dá nisto, o Pedro Ramos de Almeida não esteve na fuga de Peniche, de qualquer maneira é de louvar o post, o Nuno já alertou para a facto

  4. Tito Lívio Santos Mota says:

    sem esquecer a esquecida Helena Cidade Moura que também morreu no mesmo dia que ou “outro”.

    RIP

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.