Mais um


A vida tem destas coisas. Poucos dias depois da morte de um sinistro fascista, morre alguém que lhe fez frente. Pedro Ramos de Almeida (1932 – 2012) passa à História como um lutador pela liberdade. Foi preso e torturado pela PIDE, mas a tudo sobreviveu. A célebre Fuga de Peniche, vergonha do regime, ficará para sempre ligada à sua memória.
Mais um anti-fascista que nos deixa nestes tempos em que tão precisados estamos de relembrar esses anos. À família, mas em especial ao Nuno, um grande abraço.

Comments

  1. maria celeste ramos says:

    Não conheci nem nunca ouvi falar de Pedro Ramos de Almeida mas, velho por velho que lutou pela Liberdade e andou de Aljube em Aljube, foi o meu querido amigo de adolescência João Pulido Valente, médico, que andava pelo alentejo no fim dos anos 50 + 60, a tratar gratuitamente quem dele precisasse e era rabujento e activo, e à semelhança dos irmão “Portas” , este tinha o seu irmão Francisco no lado oposto, também médico, e já não sabendo nada de nenhum deles, serão ambos mais velhos do que eu – E quanto a Vasco Pulido Valente, hitoriador, e escritor de pequenas e mordases críticas à situação e governo, nunca conheci, mas está vivo, e bastante velho e gosto e o ler quando encontro o que escreve – mas como podemos escolher os “nossos” velhos ?? – começo a perceber

  2. Pedro Leite Ribeiro says:

    Oswaldo Payá, “menos um”? Tristes…

  3. Pisca says:

    Quem copia dos jornais, depois dá nisto, o Pedro Ramos de Almeida não esteve na fuga de Peniche, de qualquer maneira é de louvar o post, o Nuno já alertou para a facto

  4. Tito Lívio Santos Mota says:

    sem esquecer a esquecida Helena Cidade Moura que também morreu no mesmo dia que ou “outro”.

    RIP

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.