Lázaro

Há escritores, esses bons amigos, que nos abrem portas ou retiram pedras para o lado para vermos a luz, como o australiano Morris West (1916-1999), um dos romancistas “mais populares” do século XX:

Sempre me interroguei sobre Lázaro. Transpusera os portões da morte. Quereria regressar à vida? Agradeceu a Jesus Cristo por o trazer de volta? Que tipo de homem foi depois? Como foi que o mundo o viu? (Uma Visão Sublime, 1996)

(Ressureição de Lázaro, Rembrandt, 1630/31 )

Comments

  1. Amadeu says:

    Como é possível que as interrogações acerca do caso sejam o que foi fazer depois, se agradeceu, etc ?

    Mas já um homem morto há 4 dias, à ordem dada à beira da caverna onde tinham depositado o cadáver, sai cá para fora, embrulhado em panos de múmia, vivinho da Silva, vai à sua vida como se nada tivesse acontecido, isso não merece nem sequer a mínima curiosidade.

    Vão-se catar !!!

    Grande enredo para um filme de zombies.

    Não há registo científico de nada semelhante, mas isso não interessa nada.

    Não vão ao médico não …

    • Maria do Céu Mota says:

      «Amadeu» é um nome bem bonito, mas no seu caso é ironia do destino. Não me leve a mal.Reparei agora!

      • Amadeu says:

        E até andei em colégio de padres. Ironia mesmo. Mas juro que não fui eu quer escolhi o nome.

        • Maria do Céu Mota says:

          Claro que não foi o Amadeu!!! Se fosse, que nome escolheria? Já sei… Nicolau! Acertei? O meu nome já faz mais sentido, não é ? E pode tratar-me por Céu! LOL 🙂

  2. Maria do Céu Mota says:

    Há coisas que nem toda a gente compreende. Não se apoquente, esqueça, Amadeu!”Viva o pai Natal!”

  3. Eu acrescento duas perguntas:
    Quanto tempo viveu depois de ser “acordado”?
    Valeu a pena?
    Não interessa se viveu mais cinco, dez, ou vinte anos. Hoje em dia, dir-se-á sempre que morreu há dois mil anos. Pois, a vida é curta. Ressuscitado, ou não.

  4. Amadeu says:

    A Maria também não compreende, certo ? Aceita pela fé.
    Já Lutero dizia a razão é a prostituta do diabo.

    • Maria do Céu Mota says:

      E se eu lhe dissesse que não está em causa se aconteceu ou não, se acredito ou não, a mim interessa-me, naquelas palavras, a ideia de aproveitarmos da melhor forma esta vida que temos , lhe darmos valor, sermos melhores, porque não temos outra vida. Só esta! Não temos a sorte de Lázaro!!!!

      • Amadeu says:

        Concordo em absoluto consigo, mas para isso os Lázaros e as carochinhas, os Cristos e as pombas feias não são precisos. São poeira mental de séculos de trevas.

  5. maria celeste ramos says:

    Morris West – também tenho livros dele – alguém leu ??
    quento a ser “lázaro ou não” se calhar os filmes de ficção – científica ou outra, têm de ser reais ou o quê ?? os comments de hoje são como o fogo do país – nefasto

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.