A grande lição do 15 de Setembro para quem ainda não se demitiu

Ontem estive frente a frente á policia de choque nas escadas do parlamento. Foi incrivel. por trás voavam garrafas, pedras e petardos. pela frente os polícias que levavam com os detritos no capacete e nada faziam. Manifestantes a pedirem “juntem-se a nós, por nós voces e pelos vossos filhos”. os olhos não mentem e os polícias também os têm. por de trás das viseiras acrilicas eram várias as lágrimas e notória a vontade de tirar escudo e capacete e passar para o outro lado da barricada. Faltou só um bocadinho assim para fazer história. Esta é a estória que não vem nos jornais.

Roubado no facebook

Comments

  1. maria celeste ramos says:

    Pois eu vivi o 25 abril e o 1º primeiro de maio que não se esquece jamais – na rua sem ninguém a impedir nada – só “pessoas” de todas as idades como ontem – todas juntas e a sorrir a toda a gente

  2. António Maia Correia says:

    LP Mateus ‏@LPMateus
    Não há ideologia que galvanize mais os portugueses do que a do nacional-garantismo. Não há manifestação em Portugal que não a perfilhe.

  3. leopardo says:

    é. tal e qual a revolução francesa.
    só que os cofres estão vazios e para comer mais só mesmo comendo-nos uns aos outros.
    querem milagres? é melhor irem manifestar-se para Fátima

  4. Lagartices says:
  5. Rodrigo Domingues says:

    As pessoas pediam para eles tirarem os capacetes enquanto outros atiravam pedras à cabeça! Uma manifestação de vontades deveria ser pacífica e os civis deveriam ter impedido os prevericadores de fazerem essa tentativas de agressão… Não o fizeram. Os polícias mantiveram um grande nível…. Era necessário toda esta demonstração sim,daquela forma não! Enfim…


  6. Que eu saiba a manifestação acabou na Pr. de Espanha. Ali, civis, já eram poucos

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.