Incompetência deste governo

Há muitos sinais, ou antes, há muitos e variados factos que provam a incompetência dos boys que nos dirigem.

No Ministério da Educação, um ex-comentador, voltou a provar que afinal é possível repetir os erros do passado: fazer, nos concursos, um trabalho ao nível de Maria do Carmo Seabra.

Mas há mais.

São ainda milhares os alunos sem professor nas nossas escolas públicas.

Verdade!

Há mais de 40 000 professores desempregados em casa!

E há milhares de alunos nas escolas ainda sem professor!

Alguém entende isto?

 

Comments


  1. Não… eu não percebo.


  2. olha, eu gostava de perceber como é que é possível haverem professores e alunos vítimas das ameaças dos filhos dos “feirantes” nas escolas públicas, e nada acontecer porque parece haver uma espécie de discriminação positiva para as comunidades “feirantes”, que resulta numa máfia de ameaças e de mêdos não denunciados. Se é isto a escola pública acabe-se depressa com ela porque os contribuintes andam a pagar triplamente para as “comunidades feirantes”: rendimentos mínimos, habitação social e ensino gratuíto. Se disto resultasse uma comunidade integrada com filhos que aproveitassem estas benesses todas, era fantástico, mas o que se vê é bulling, ameaças não denunciadas por mêdo, e, noutros lugares, escravização de mendigos e seres humanos débeis, actividade em que as “comunidades feirantes” parecem “especialmente especializadas”. Para não falar dos imensos impostos que as comunidades feirantes devem pagar ao Estado pelas vendas que fazem, e que se calhar não assim tão irrelevantes…

    isto é politicamente incorrecto, sobretudo para as doutoras da cc socias que ganham 4000 euros e não lidam directamente com estas comunidades? Eu sei que é. Ponham aí muitos “don’t likes” que o país vai concerteza avançar economicamente.


  3. joao diz:

    20/09/2012 às 16:45

    olha, eu gostava de perceber como é que é possível haverem professores e alunos vítimas das ameaças dos filhos dos “feirantes” nas escolas públicas, e nada acontecer porque parece haver uma espécie de discriminação positiva para as comunidades “feirantes
    TEM TODA A RAZÂO _ OS PROFESSORES NÂO PRESTAM E VOCÊ O DEMONSTRA QUANDO ESCREVE haverem – não sabe os tempos dos verbos não lhe ensinaram ou copiou ???


  4. ó dona celeste! Não foi o João que escreveu isso! Na sua ânsia de tagarelar nem reparou que não foi o João! E se por acaso há profs que escrevem mal, a culpa foi das doutoras da educação, essas sumidades parasitas e outras “cientistas da educação” e “cientistas sociais”, inúteis “sumidades” que exploram os portugueses nos seus confortáveis lugares no ensino superior público, que os formaram! Ou quem é que forma os professores que a sra ataca?

    “Maria Celeste Ramos diz:
    20/09/2012 às 16:45

    olha, eu gostava de perceber como é que é possível haverem professores e alunos vítimas das ameaças dos filhos dos “feirantes” nas escolas públicas, e nada acontecer porque parece haver uma espécie de discriminação positiva para as comunidades “feirantes
    TEM TODA A RAZÂO _ OS PROFESSORES NÂO PRESTAM E VOCÊ O DEMONSTRA QUANDO ESCREVE haverem – não sabe os tempos dos verbos não lhe ensinaram ou copiou ???


  5. ou está preocupada por eu ter verbalizado algo que todos pensam mas ninguém exprime, dado o politicamente correcto instalado neste país? Vá ler o artigo do Zizek sobre o tema.

    aqui o tem (espero que leia tão bem inglês como ostenta escrever o português…):

    http://www.leninology.com/2010/12/courageous-assault-on-hegemonic.html


  6. aliás esse é o anti-Zizek artigo mas eu estou do lado do Zizek, que por acaso até é acusado de ser marxista. Porque é muito fácil o blá, blá, blá, para encaixar bem no politicamente correcto, de quem não lida directamente com as situações. E é isso que o Zizek no artigo dele exprime.


  7. ” essas sumidades parasitas e outras “cientistas da educação” e “cientistas sociais”, inúteis “sumidades””

    quanto a isto gostava de retirar todo o exagero pois, num primeiro momento, pensei que a senhora era uma “cientista social” e daí o meu linguajar agressivo, que de resto era escusado.


  8. uma coisa é certa: enquanto o Estado não puser um travão definitivo a todas as formas de chantagem e bulliyng nas escola, este país não avançará e os alunos que querem aprender – e que são a maioria – estarão totalmente prejudicados para o seu futuro por culpa dos alunos agressores e chantagistas que impedem as aulas e causam um clima mafioso e doentio de mêdo, deviam ser expulsos do ensino público como acontece em França. É, em França! Porque é obrigação fundamental do Estado proteger os alunos, os professores e funcionários, desses alunos agressores e mafiosos que impedem todos os outros de avançar e criam as raízes da corrupção no tecido social, corrupção fundada na chantagem e no mêdo.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.