6000 manifestantes em Madrid, diz o governo

Por isso 1400 polícias devem chegar.

Foto do El Pais.

Comments

  1. tem muitos generais de pacotilha says:

    Tejero Moliña inda há-de ter uma rua en castilla
    Já na república da catalunha deve haver outras….


  2. Greve nos Portos diz-se barril de pólvora a explodir – e restauração não aceita cartões (SIBS) – Victor Bento acha bem a recusa dos comerciantes e a taxa de pagamento por cartão de crédito

  3. lNascimento says:

    A vergonha de jornaleiros de merda, a comentarem em direto, até dá nojo…para quando ,como na Grécia, começarem a levar nas fuças?Ontem, houve uma merda de garota na SIC/N, que, em direto de Madrid, afirmou o mesmo; 6000mil pessoas!!!Eu por mim ,cada vez que me estenderem o microfone, vai logo pelos ares,…e nesta de sabado,a ferver como ando,ainda vão ao banho, no cais das colunas….jornaleiros/as de merda!!!!!….


  4. Respeito à pancadaria, em palavras do ministro do interior, “a polícia actuou esplendidamente” e em palavras da delegada do governo, “a polícia actuou de maneira correcta em defensa do Estado de Direito”. Pronunciam-se como tediosos cimentos. Que se pode esperar disto……


  5. A fragmentação política da Europa do Sul e do Norte de África iniciado com o processo da Guerra da Jugoslávia, mergulha a identidade europeia numa crise sem precedentes. A possibilidade de emergirem ditaduras militares nos regimes democráticos ocidentais, fragiliza países como a Espanha, Itália, Grécia, isola Portugal no contexto das relações internacionais, como um eixo atlântico sob a direcção das Forças Armadas Espanholas. O alerta dado ao nível europeu sob a crise económica e social acaba por ter impacto grave junto dos meios militares e da Administração Interna. A presença de quadros do Estado Maior das Forças Armadas no programa Prós e Contra e as criticas ao modos operandi, à falta de estudo das propostas e dossiers governativos e o péssimo discurso político do 1º Ministro Passos Coelho, assim como o exemplo dos estaleiros de Viana como um exemplo sem nexo dada a viabilidade da empresa, a quantidade de encomendas e os postos de trabalho e a insegurança que tais actos originam.
    A costa portuguesa é patrulhada por fragatas espanholas, e nós temos submarinos de ataque que pertencem a quem ? Os próximos 3 meses serão decisivos, dado que um Estado de Direito não pode aguentar taxas de desemprego de 15-25% . O conflicto armado não tem uma localização com apoio internacional. O Irão não é o Iraque e as forças internacionais estão mais incomodadas com a China do que própriamente com o Irão, a Arábia Saudita, o Iémen, a Síria, o Libano, Egipto, Líbia.
    A desestabilização do Mar da China e obriga a Rússia e os EUA a intervirem no contexto político, apesar de Pequim seguir uma política de expansionismo e nacionalismo, evidente na reforma do aparelho-militar-industrial e no projecto espacial chinês. A saída de Obama da Casa Branca é o trajecto para um novo vietname ?

Trackbacks


  1. […] animada pelas televisões. – escreve Jorge Almeida Fernandes no Público sobre o 25-S, trocando a realidade pelos seus desejos. Facebook Filed Under: curtas Tagged With: 25-S, Jorge Almeida Fernandes « O nosso […]

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.