Nas Caldas da Rainha

2013-02-12 14.14.06

Os lindos pavilhões anexos ao Hospital Termal das Caldas da Rainha. Situados no  Parque D. Carlos I, encontram-se hoje num inacreditável estado de abandono. Embora jamais tivessem servido as termas, neles estiveram instaladas unidades militares, escolas e liceus. No nosso país existe a mania do erguer mais e mais betão, votando-se o património ao abandono, ao miserável e suspeito desleixo.

Este conjunto arquitectónico entra na segunda década do século XXI com janelas escancaradas, vidros partidos, telhados danificados. A ruína é evidente e teme-se aquilo que todos já imaginam. É isto, o Portugal do progresso.

Comments

  1. Sarah Adamopoulos says:

    Sim, são lindos estes pavilhões e é horroroso pensar que ninguém parece interessado em preservá-los. A identidade material dos lugares não vale nada para os que se obstinam no progresso – no entanto, muitas vezes são os próprios proprietários que assim agem

  2. Maquiavel says:

    Temo que este conjunto arquitectónico não entre na terceira década do século XXI.
    O que me custa é ver que noutros países estimam o que (não) têm, enquanto no Tugal dos pequenitos se deixa cair o fabuloso património que ainda sobra (e só por milagre sobra)…

    • Nuno Castelo-Branco says:

      Maquiavel, tenho a certeza daquilo que diz. Infelizmente não há forma de dar remédio a esta situação que há muito já ultrapassa a catástrofe.

  3. carlos rolo says:

    Perguntem ao Fernando Costa putativo candidato a presidente da camara de Loures e actual presidente vitalício das Caldas da Rainha (graça às zonas rurais que compõem o conselho e que o homem domina como ninguém, uma palmadinha nas costas aqui, um abraço ali e já está) de quem é a culpa. Quem o ouve falar na TV o leva preso, Loures terá a sua oportunidade para conhecer o homem. Venham às Caldas para ver como uma cidade que tinha potencial para ser das melhores da zona oeste é um amontoado de cimento sem espaços verdes à excepção do magnífico Parque D. Carlos I.

    • xico says:

      Os pavilhões do parque, tal como o parque, são propriedade do Hospital,logo do estado. Fernando Costa tem muitos defeitos e muitas omissões, mas esta não é uma delas.
      A culpa de Fernando Costa ter ganho eleições foi da oposição que pouco tem feito para o tirar de lá.

  4. João Riqueto says:

    Os Pavilhões do Parque. É uma das principais referências da cidade e do concelho. O estado a que este património chegou deve envergonhar todos os caldenses. Se o Lisbonense foi recuperado, porque não este?
    Aqui está um caso em que a sociedade civil pode e deve intervir objectivamente.
    Não entendo o silêncio sobre o assunto, por exemplo do historiador Dr. João Serra, um homem da terra, mas cuidando de outro património, lá para os lados de Guimarães.

  5. carlos rolo says:

    De facto sabemos todos que o parque e os pavilhões são propriedade do Hospital. Como todos sabemos, que só a guerra de egos e de poder entre Fernando Costa e Vasco Trancoso, ex todo-poderoso presidente do Conselho de Administração do Centro Hospitalar das Caldas da Rainha, desde 1999 e os seus sucessores, levaram a que os pavilhões estejam no estado lastimável em que se encontram. Houvesse dividendos a retirar para estes senhores e aquele magnífico património já teria a dignidade que merece.
    O Lisbonense foi recuperado por privados. Perguntem aos caldenses o que se diz à boca cheia da relação entre o presidente da camara e os homens do cimento ao longo de décadas.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.