Jorra

jorra

Começa bem, o palhaço

Scolari estreia-se com derrota

Um Carro à Patrom

like-a-fucking-bossLike-a-boss, grande, potente, pujante, tamanhescamente proporcional à capacidade do intelecto.
Razão tem o Ricardo.

PS vota de novo com o Governo

A regra de ouro dos donos de Portugal mantém-se inalterada.

Salgado é o Patrão

E o Padrão, quem é?

Auto-avaliação

O secretário de estado que se avaliou a si próprio. Esta gente não pára de nos surpreender com tanta honestidade.

A lavagem

ULRICH
A nossa extrema-direita andava muito encolhida nesta fase ulrichiana da vida portuguesa. Pudera, o homem passou todos os limites.

Mas como se contenta com pouco espevitou-se hoje com as tiradas do homem no parlamento.

O nojento pseudo-moralismo de Ana Drago, insurge-se um, enquanto Helena Matos, mais sábia, copia um artigo do Económico e um cowboy dispara: Como destruir Ana Drago em 3 passos.

A base do raciocínio comum é fascinante: Ulrich é um “criador de postos de trabalho”, não recebe lições de moral de ninguém e Ana Drago não pode ter razão porque defende “os assassinatos de Lenine e seus comparsas” (o analfabetismo político é sempre fascinante).

Criador de postos de trabalho? nem vou fazer contas aos despedimentos no BPI. Fernando Ulrich é um filho d’algo, por acaso da junção de duas das famílias que têm Portugal como sua propriedade, à custa dos favores que obtiveram do estado ao longo de décadas. Não fosse fosse isso e estaria provavelmente a aguentar baldes de massa num andaime qualquer. [Read more…]

É oficial

Álvaro Santos Pereira é parvo e toma os outros por parvos.

Às turras com os eufemismos

O eufemismo (do grego: euphemismós, emprego de palavra favorável) não é um arquétipo português, embora, instalados nessa generalização de que somos “um país de brandos costumes”, essa figura de retórica se tenha tornado, mais do que familiar, um vício do nosso quotidiano de atitudes, declarações, gestos, proclamações…

Esta linguagem eufemística estende-se, praticamente, a toda a comunicação nas mais variadas áreas. Até nas dicotomias. Nos maniqueísmos. Tantas vezes para disfarçar disfemias, no seu significado inicial grego: palavras de mau agoiro.

eufemismo

Ao fim de mais de 20 anos, resgatei um livro que procurei anos a fio sem nunca ter imaginado onde se encontrava, um sótão, onde, em determinada idade, foram lançadas à pressa algumas coisas que pesavam em mais uma mudança radical na minha vida, mudança de relação, de cidade, do tamanho da casa, de hábitos, até de país por cerca de um ano. [Read more…]

Globalização da tortura

54 países colaboraram com a CIA num programa de repressão musculada accionado após o 11 de Setembro. Alemanha, Bélgica, Irlanda, Espanha, Itália, Dinamarca, Áustria e Finlândia contam-se entre os países que secretamente participaram numa acção que a Open Society Justice vem agora denunciar num relatório. Abertura do espaço aéreo a voos secretos, detenções e tortura questionam a legalidade dos métodos e a moralidade dos Estados. Apenas o Canadá apresentou desculpas a uma vítima apanhada na loucura persecutória, indemnizando-a, à semelhança do que aconteceu também na Austrália e no Reino Unido, onde tribunais condenaram os excessos contra cidadãos inocentes. Quanto aos EUA, a administração de Obama parece empenhada em prosseguir os seus programas de detenções secretas, usando métodos inaceitáveis à luz dos direitos humanos, e recusando-se a publicar o documentos relativos a esse programa da CIA. Mais informação aqui. Fonte: AFP, via Libération

Annette “Relvas” Schavan

Relvas, afinal, não está sozinho. Nem Sócrates. Nem quejandos flibusteiros.

ImagemA ministra da educação alemã, Annette Schavan, acaba de perder o título de doutor por, alegadamente, ter plagiado grande parte da sua tese.

Antes dela, Karl Theodor zu Guttenberg,  Silvana Koch-Mehrin e Jorgo Chazimar-Kakis, todos políticos do arco de poder alemão, haviam sido despojados dos títulos académicos por iguais razões.

Não adianta, sequer, comentar. Lá, como cá, há complexos que fazem parte da natureza humana na globalidade. Não são apanágio dum povo.

O que é apanágio dum povo é a forma como esse povo lida com a trapaça: exemplares, neste campo, os alemães.

Escreve-se na imprensa que a ministra vai recorrer da decisão. Nada que não esperássemos.

O Regresso:

ng2366999

A escolha de Carlos Abreu Amorim como candidato a Vila Nova de Gaia é uma excelente notícia.

O actual presidente da Câmara Municipal de Gaia, Luís Filipe Menezes, demonstrou estar atento aos sinais e ter “faro” político. Quando Marco António Costa decidiu não ir a Gaia, naturalmente, multiplicaram-se as vontades e as ambições. Qualquer solução interna seria, como se viu noutros concelhos de Norte a Sul, abrir uma guerra de consequências nefastas. Como se viu nos primeiros dias. [Read more…]

BPN, a fraude em reportagem, 1º episódio

Da  Grande Reportagem SIC que esta semana temos em modo folhetim destaco de ontem o debate na SICN. Algumas informações úteis:

– Tudo começa no perdão fiscal dado por Oliveira Costa à Cerâmica Campos. Ficou impune e esquecido. Para o bloco PSD/PS algo de perfeitamente normal, e que Constâncio não teve em conta na sua “avaliação” do personagem.

– A pena máxima a que se sujeitam os arguidos anda pelos 6 anos de cadeia. Assaltar um multibanco rende muito menos, mas pode dar 12 anos.

– A maioria dos que aceitaram falar com Pedro Coelho, o autor da reportagem, apenas pretendiam saber… o que ele sabia, do caso em geral e de si em particular.

– A recordação, por Pedro Santos Guerreiro, de como o caso BPN foi usado em contrapeso ao caso Freeport.

– Franquelim Alves assinou as contas da SLN, sabia de tudo e calou-se.

Convicção geral, e óbvia: ninguém cumprirá pena em tempo útil pelo caso do banco do PSD.  A menos que sejam apeados do poder, digo eu.

Os outros episódios.

Os mal amados

Portugal, por incompetência e negligência crónica dos políticos, é um exportador habitual de emigrantes. Ao longo dos séculos, e até ao presente, as crises provocadas pelos maus governos têm lançado o nosso povo na penúria e têm-no empurrado para fora das fronteiras, num sofrimento que “é bom ter pudor / de contar seja a quem for”, como disse o (grande) poeta e (grande) esquecido José Régio. Mais: ciclicamente, maus governos que não aguentam críticas têm obrigado a exilar-se centenas de pessoas a quem foi negado o direito da livre expressão e de viverem na pátria. [Read more…]

A 4ª escolha: subscrevo, especialmente hoje

É só rir!

4 escolha

O TGV dos vira-casacas

Ainda há dias apostava que a obra eleitoral havia de aparecer em 2014 e aí está ela. Que nem perfeitos vira-casacas, o PSD que fora um acérrimo opositor ao TGV (e ao aeroporto, já agora) acaba de ressuscitar a alta velocidade através do seu governo.

Como não podia recuperar o projecto anterior, se não para que é que se teria oposto, apresentam um projecto ainda mais confuso e que nem sequer é de TGV, apesar do acrónimo aparecer na notícia. É uma linha de mercadorias na qual pode circular o TGV desde que, na fronteira, lhe troquem os rodados. Uau!

O que já se sabia, e agora se comprova novamente, é que apenas importa que a obra, não importa qual, arranque no mandato certo, sendo este aquele em que o partido esteja no governo. Falta recuperar a obra do aeroporto para compor o ramalhete das próximas legislativas.

Em Portugal ganham-se eleições fazendo obras, mesmo que sejam a pagar por quem venha depois. Depois de três anos a penar aposto — mais uma aposta, que 2014 será ano de queimar dinheiro. Todo o esforço que estamos a fazer para nada. Será interessante ver como votarão os portugueses. Escolherão o carrasco ou o coveiro?

Calendário de Exames 2013

O Ministério da Educação e Ciência publicou o Despacho (pdf)  que define o calendário dos Exames Nacionais para 2013. Aqui ficam as datas mais importantes para os exames do ensino básico:

4º ano : Língua Portuguesa – 7 de maio, terça-feira; Matemática – 10 de maio, sexta-feira. Provas às 9h30.

– 6º anoLíngua Portuguesa – 20 de junho, quinta-feira; Matemática – 27 de junho, quinta-feira. Provas às 9h30.

– 9º anoLíngua Portuguesa – 20 de junho, quinta-feira; Matemática – 27 de junho, quinta-feira. Provas às 14h00

Álvaro não entende nada

O Álvaro das Economias pronunciou-se sobre a nomeação de Franquelim Alves, ex gestor do BPN, para secretário de estado, assumindo a responsabilidade da escolha e verberando a oposição, que acusa de baixa política e produção de insinuações e suspeitas.

Ó Álvaro, pá, não percebeste nada? Não foram insinuações, foram afirmações. Não são suspeitas, são certezas, são factos. E como podes vir acusar outros de “baixa política” depois de nomear para o governo da República um cúmplice dos responsáveis pelo inferno em que vivemos? Álvaro não sabe falar, yoh! Mas também não sabe pensar, yoh! Como podia saber governar? Yooooh!

Onde aprendeu Ulrich?

e aprendi com a igreja católica.

%d bloggers like this: