Uma Nova Geração de Fotógrafos

fotografia-arteA internet, o facebook, as câmaras fotográficas digitais e os telefones que também fazem chamadas telefónicas têm catalisado o surgimento de uma nova geração de fotógrafos um pouco por todo o mundo.
Portugal, que faz parte deste mundo e do outro também, não poderia ficar para trás; depois de um bizarro portefolio ter animado a discussão em torno da fotografia pós-moderna em Portugal, surge agora nos Açores uma nova vaga de talento, ultra-modernismo e avant-garde.
Tudo é mais-que-perfeito na mise-en-scéne: a criteriosa selecção de cenários, a inclusão avisada de adereços, o uso divertido do flash, a extasiante assertividade tipográfica, as verosímeis referências ao meio marinho, a pose sensual e malabarística, tudo.

Mais portugueses que não voltarão aos mercados

Desemprego: novo recorde de 16,5%, segundo o Eurostat

Gaia sempre à frente

Ninguém nos consegue parar – são 33349 que estão no mercado. De desemprego! É o concelho do país com mais desemprego! Será que este problema também se pode exportar para o outro lado do rio?

Um round com Heloísa em seu jardim

Heloísa – Em nome das pessoas que está a massacrar, exijo: seja homem e censure o banqueiro!

Passos – Eu nem conta lá tenho!

Heloísa – Tás aqui tás a levar senhor primeiro-ministro!

Passos – A senhora deputada veja lá como fala.

Heloísa – Prefere portanto defraudar uma vez mais o povo senhor primeiro-ministro!

Seguro – É só o que sabe fazer. Mas comigo, isso muda. Comigo e com o PS!, unidos num só punho cerrado!

E a culpa…

Abateu um viaduto novinho em folha (inaugurado há pouco mais de um mês!) que passava sobre a A13, junto a Almalaguês. O piso da mesma A13 abateu em alguns pontos. A “culpa”, diz a imprensa, é do mau tempo. Da chuva. É extraordinário como os media têm interiorizado este mecanismo de desculpabilização de responsáveis e camuflagem de problemas. Como lhes corre no sangue esta tibieza que os afasta do núcleo das mais claras questões, não vão incomodar alguém com poder de resposta.

E, no entanto, tudo isto é tão simples. Se abater uma encosta na serra, a causa é natural. Se abate um viaduto ou o piso de uma autoestrada, a culpa – mau grado a causa eficiente possa ser o mau tempo – é de má engenharia, má concepção e má execução. Se há apenas incompetência grosseira ou dolo – acompanhado das habituais habilidades – cabe a outras instâncias decidir. E pronto.

Regresso aos Mercados, o filme

Dúvida

Quando hoje vi o desfile de tomada de posse dos novos secretários de estado e os ouvi-los jurar que “cumprirão com lealdade” as funções que lhes são confiadas, assaltou-me uma dúvida: lealdade para com quem?

Boicote

Ao ser interpelado, no parlamento, sobre as declarações de Fernando Ulrich e sendo convidado, pela oposição, a condená-los, Passos Coelho limitou-se a informar que não tinha acções do BPI, nem nesse banco tinha qualquer conta. Boa. O boicote já começou a funcionar.

São Ulrich

Quando tudo parecia desmoronar-se, quando muitos de nós desesperavam, quando tantos se preparavam para desistir, eis que se fez luz e uma voz troou no deserto da austeridade oferecendo-nos a redenção, a esperança, a força que nos abandonava e, não exagero, a salvação.

Uma frase epistolar, apenas uma frase, dispensou-nos do conhecimento de novos evangelhos, de rituais encenados e complicados, de opulências púrpura e vestes douradas. Uma frase, uma simples frase, penetrou no coração dos povos e ofereceu-lhes aquilo que desde o início dos tempos procuravam: uma fé tangível, concretizável, transformadora, ao alcance de todos. Hoje não há quem no planeta, em momentos de dor e aflição, não junte o resto das suas suas forças e não grite bem alto

Se o Ulrich aguenta, porque é que eu não? [Read more…]

Alô gente do CDS, e do PSD também

Portugal precisa de um José Luis Peñas.

Depois da Tv Rural

museu

Uma sugestão a PSD/CDS: Museu do Cinema.  “Ó Melo, diz lá boa-noite aos senhores espectadores!”

O PCP tem memória

O PCP não consagrou o voto de pesar pela morte de Jaime Neves, que a AR aprovou com os votos do PSD, PS e CDS-PP.

António Filipe, em nome da bancada comunista, disse respeitar “os sentimentos de pesar da sua família, amigos e admiradores”, mas acrescentou: “Compreenda-se, portanto, que em coerência e honestidade, nós não nos podemos associar à homenagem da Assembleia da República ao major-general Jaime Neves”, que tomou “como é sabido uma posição explicitamente no sentido da ilegalização do PCP“.

Rematando, aquela figura comunista, consumou: “Independentemente do que se possa dizer da participação do major-general Jaime Neves no 25 de Abril, no Movimento das Forças Armadas, temos presente que, após os acontecimentos de 25 de Novembro, se foi possível evitar um gravíssimo confronto entre portugueses e se foi possível criar condições para que o regime democrático prosseguisse tal foi devido ao sentido de responsabilidade de personalidades como o general Ramalho Eanes, como Melo Antunes, como o marechal Costa Gomes e não tanto relativamente à posição assumida pelo major-general Jaime Neves“. [Read more…]

Olhò preço a que anda o “cavalo”, man!

Estado injecta hoje 4,5 mil milhões no BCP e BPI

Perdoai-me os meus «esquecimentos»

Vai em paz, filho, estás perdoado!

Ai Franquelim Alves…

fraquelimalves_0Escondeu a SLN da biografia, e também andou pela Jerónimo Martins. Temos homem.

 

A favor do regresso do TV Rural

tv-rural_sousa-velosoO regresso aos mercados e a garantia-agora-a-sério de que o próximo ano já não será de recessão contribuíram para que a maioria parlamentar ande mais desocupada. Assim, resolvidos que estão os magnos problemas da nação, os deputados do PSD e do CDS assumiram, agora, as funções de direcção de programação da RTP, a fim de combater a ociosidade, essa mãe de todos os vícios. [Read more…]

Anda tudo doido? III

Eu nem sou muito de sagas, mas todos os dias tenho encontrado notícias que me chocam ainda mais do que as outras, por revelarem crianças maltratadas por quem as deveria proteger.

Passou Janeiro, Ulrich!

Meu Céu Meu MarPassou Janeiro e não comprei absolutamente nada, não gastei dinheiro absolutamente nenhum para além de trinta cêntimos de pão. Consegui. Não me paguei a mim mesmo nenhum café, que adoro. Não me plantei peregrino e parvo no Merdia Market à babugem fosse do que fosse sem IVA, com respeito a todos os que o fizeram, falo de mim, o peregrino e o parvo seria eu. Não fui ao cinema, que adoro, nem ao teatro, que amo, nem à música, que idolatro. Não comprei coisa nenhuma, entrou dia, saiu dia, umas batas fritas, um bolo, um sumo, nada. Foram 31 dias vividos serenamente e em estado de combate, transformando a minha rebelião contra o Regime que Apodrece em Portugal em esvaziamento zen, em despojamento do meu Eu, num gesto concreto e num propósito reactivo como quem sintetiza o próprio sal e resiste ao Mega-Tributo a que nos submetem.

Jejuei todos os santos dias deste Janeiro, tomando apenas as duas refeições principais, regadas com meio copo de vinho tinto, broa, azeite, grelos cozidos ou couves, cavala em conserva, petinga ou atum ou salsichas. Estou vivo, mais leve, esvelto, e até mais belo, gracioso, com um brilho no olhar verdejante que muito me agrada. Corri para a minha praia, pisei a minha areia e bordejei as águas do meu Mar sempre que o clima o permitiu e mesmo quando chovia a cântaros. Passou Janeiro, espiritualizei-me, fui um pai omnipresente e solidário nas lides de casa, mantive o meu sorriso intacto, evitei demasiada virtualidade-net. Busquei o Sol. Emocionei-me na hora crepuscular, olhando, com o coração Menino e Impoluto, o Mar. [Read more…]

Obviamente calou-se

Heloísa Apolónia pediu hoje ao primeiro-ministro que censurasse o banqueiro Ulrich pelas suas declarações desprezíveis.

O mérito (pelos sucessos da política de austeridade)

está na coragem do Governo e na cobardia do Povo, disse com os habituais eufemismos (firmeza, honra, blá-blá) Nuno Magalhães esta manhã no Parlamento.

Povos que não aguentam:

o islandês. Sim, os parvos somos nós.

Tenham medo, muito medo

É em Espanha que começa a nossa 1789?

E o Zip-Zip não? E a Vaca Cornélia?

PSD e CDS querem o regresso do TV Rural

Passos e Seguro RUA

Uma petição encabeçada por Mário Soares e apoiada por deputados socialistas pretende obrigar o PS a tomar uma posição de ruptura com o actual Governo.

Convence-te disso

Seguro põe a bola na mão dos portugueses, como se os portugueses o quisessem mais do que quiseram Passos Coelho. Dégage, diriam os franceses.

Ulrich

ulrich

Jornalismo de sarjeta

Câncio plagia Guinote. Os zecos não se citam.

%d bloggers like this: