Alexandre Soares dos Santos

em pose de salvador da Pátria diz não compreender as “mensagens de ódio e insulto”. E no entanto, o povo indignado continua a consumir nas lojas da Jerónimo Martins, que em 2012 apresentou mais de 360 milhões de euros de lucros.

Comments

  1. E então? É “pecado” ter lucros?

  2. Sarah Adamopoulos says:

    Ter lucros dessa ordem no exacto momento em que a generalidade dos portugueses está a passar tantas dificuldades levanta questões morais evidentes – que naturalmente podem ser compensadas por políticas de responsabilidade social da empresa.

    O facto de Alexandre Soares dos Santos vir a terreiro dizer que não compreende a indignação que leva o povo ao ódio e ao insulto é um anúncio que fere o povo, na sua realidade duríssima. E no entanto é esse mesmo povo (ou a parte dele que ainda pode) que anda pelas lojas da Jerónimo Martins às compras. Basta não perder o contacto com a realidade para compreender as pessoas nessa justa indignação – que é consequência dos actos dos governantes, da sua incapacidade para o diálogo político com os cidadãos e da sua extrema arrogância. O povo não precisa de salvadores da Pátria para o castigar – isso já lá ele tem actualmente no Governo.

  3. … e ele também referiu: “O presidente do grupo Jerónimo Martins fez, esta quarta-feira, um apelo aos responsáveis políticos para que deixem de pensar nos seus próprios interesses e comecem a ouvir “o povo” e a definir um rumo para o país.”
    Mas eu compreendo-a. Um “capitalista” é sempre um alvo a abater… Diga o que disser.

    • Sarah Adamopoulos says:

      Ora. Ele dá e tira com a mesma mão – uma frase anula a outra e nenhuma significa grande coisa – soundbytes, chamam-lhe agora. Ele que primeiro ouça o povo antes de vir dizer que não o compreende. Não são só os governantes que não ouvem o povo: os capitalistas como lhes chama também não, não lhes dá jeito. Sonotone é a solução para todos. Abram os olhos!

      • Pois… Acaba de confirmar o que afirmei antes. Tá certo. É um malandro… Ainda por cima o “sacana” tem a mania de criar portos de trabalho! Como se não competisse ao Estado fazê-lo… Haja ou não haja necessidade…

        • Sarah Adamopoulos says:

          Não me atribua o que não disse, com palavras que não uso numa troca de ideias como esta. Que raio de argumentação é essa? O Estado tem muita coisa para fazer antes ainda disso que reclama, antes dessa negociação com as empresas que criam postos de trabalho (mas algumas pagam impostos fora, não é) O Estado, à força de ser privatizado nas suas funções (e até mesmo na gestão dos recursos naturais, o que é completamente inaceitável), vai ter muito caminho para percorrer antes de poder atenuar 1. os problemas endémicos de subdesenvolvimento gerados por ciclos de pobreza que não se quebram por falta de vontade do “Estado” 2. os problemas novos que este Governo está a gerar num ritmo alucinante

          • … o sarcasmo do meu comentário não lhe pretende atribuir coisa alguma. É apenas uma generalização (venenosa) da minha parte acerca de um certo “pensamento” da “esquerda-burguesa-mamona” (na teta estatal).
            Concordo com a ideia “problemas novos que este Governo está a gerar num ritmo alucinante”. Aí sim, partilho o ponto de vista. Quando a “demonizar” empresários “porque sim”, não é a minha praia. Espero que não seja a sua.

          • Sarah Adamopoulos says:

            De modo algum. Não tenho nada contra o empreendedorismo, nem os empresários, era só o que mais faltava. Nem sou parte da “esquerda burguesa mamona”, já agora.

        • Patrícia says:

          O Sacana paga os impostos na Holanda…. Com os lucros que tira à conta de quem não compreende, o mínimo era pagá-los aonde vem buscar o “carcanhol”..

        • Jorge says:

          Estúpido! quem cria postos de trabalho é a procura nao é o merceeiro.
          Os trabalhadores é que lhe crIam a empresa.

          Estúpido!

  4. Sara Alaxo says:

    Um MILHAO de euros de lucro por dia parece-me demasiado sendo que a área principal do grupo é a alimentar.
    Com esta ordem de natureza de lucros bem podia descer os preços dos bens essenciais!
    E aquela história de que mantém os preços de Janeiro a Janeiro … pura falácia, então neste último ano!!!!

  5. Achei tanta graça ao “rating” dos meus comentários que me atrevo a tirar conclusões acerca do seu significado. Quem “classificou” considera que:
    É pecado uma empresa privada ter lucros. Um capitalista (empresário, empreendedor, chamem-lhe o que quiserem…), é sempre um alvo a abater. É reprovada a criação de empregos no sector privado. Cabe ao Estado fazê-lo.
    Fiquei esclarecido!… 😉

    • Sarah Adamopoulos says:

      Rating de comentários? Não percebo. Quanto ao que diz, que fique claro que não reprovo nem defendo nada do que diz. Acho incrível que volte aqui para deixar isso (que eu não disse) escrito, como se fosse a verdade. Esclarecida fiquei eu relativamente aos seus modos de debate e a como retira conclusões do que não foi debatido.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.