Ainda Soares e a Esquerda Guilhotina

guilhotinaPortugal está literalmente sob um regime constritivo, imposto do exterior, no plano económico e em tudo semelhante ao de um estado em Guerra. Todo o nosso ambiente económico-financeiro está condicionado pelos ditames alemães e norte-europeus. Contra isto, nada ou muito pouco há a fazer que passe pela acrescida fragmentação e pelo extremismo ideologizante na sociedade portuguesa. Linha atávica e oportunista a alemã? Sem dúvida. No entanto, o problema português passará a ser ainda mais grave, mal nos disponhamos a devorar-nos uns aos outros como as ratazanas alegóricas de que fala o vilão de 007, Skyfall.

Ora, neste ponto, Soares não pode estar bem nem quantos advogam que o sangue mane das frontes e da jugular de Cavaco, Passos e quem mais Soares acha passíveis de um atentado. Não somos ratazanas, Dr. Soares. Pensei que a democracia e o respeito pelos adversários fossem dados adquiridos bem mais valiosos para si e não uma febre passageira da idade madura.

Não deveria ser a anarquia, a conflitualidade cega, nenhuma dicotomia anacrónica, na sociedade portuguesa, sob o bafo a enxofre de uma espécie de extremismo de suposta Esquerda Guilhotina, a orientar-nos. Se a raiva, o mau perder, o descabelamento estapafúrdio, medulam, afinal, o espírito do tonto octogenário, não podemos fazer nada.

Comments

  1. José António says:

    Você parece estar sempre pronto a defender a cáfila que nos (des)governa, quer arranjando motivos condicionantes exteriores à sua acção, quer razões de política interna que os precederam, ilibando-os de responsabilidades por decisões que só a eles pertencem, como ser mais troiquista que a troica.
    O problema não está nem no velho Soares nem na esquerda que reclama eleições antecipadas. O problema centra-se desde o início na eleição fraudulenta em que assenta este governo, que usou a mentira como uma estratégia clara e deliberada de conquista o poder. A democracia foi atraiçoada e usada sem decoro para atingir fins nunca antes explicitados, o que retira toda a legitimidade à acção governativa.
    Soares e a esquerda reclamam aquilo que se impõe e só um presidente conivente não reclama: demissão do governo e eleições já.

    • palavrossavrvs says:

      José António, obrigado por responder sem ofender. Não, o problema não se centra na eleição fraudulenta em que assenta este Governo. A mentira foi a estratégia usada por décadas para conquistar o poder. Nem nisso, este Executivo inovou. A democracia foi atraiçoada desde o 25 de Abril. Foi usada sem decoro para atingir fins nunca antes explicitados, o que retira toda a legitimidade e moral a muita da crítica que parte da elite do Regime. Compreende?!
      Ora, Soares e a Esquerda na verdade não têm moral para reclamar um estado de coisas para que contribuiram activamente: a Esquerda anda a pedir a demissão dos Governos sucessivos desde o após 25 de Abril. Soares começou só agora. Até ao momento nunca o haviam incomodado, antes o Regime era um rio que corria directamente para a sua conta bancária e a sua capacidade de apadrinhar e influenciar.

      Trinta e nove anos depois, temos todos o que merecemos e o que tolerámos, José António.

      • José António says:

        Palavrossaurus, porque raio haveria de o ofender? Só porque poderemos divergir e até com isso manifestar interesses diferentes? A liberdade não deverá implicar o respeito pela diversidade? Já pude constatar que aqui alguns comentadores não têm isso em linha de conta.
        No entanto devo dizer civilizadamente que não estou de acordo consigo: dizer que sempre houve mentira, para desculpabilizar os que lá estão agora, não colhe, até porque não é comparável nem na quantidade, nem no grau com que fomos presenteados por estes macacos. Vão mentir e gozar com as mãezinhas deles! Isso eu não tolero nuns merdas supercríticos antes das eleições e altamente amnésicos depois. Puta que os pariu! E aqui sou conscientemente ofensivo, com a desvantagem de ficar a léguas da ofensa produzida pelas suas medidas governativas.
        Depois infelizmente noto que nada mudou, porque se o dinheiro não corre para a conta bancária do Soares e da sua fundação, corre para a dos borges e quejandos, para os boys especialistas da xuxa recém licenciados.
        Sabe, as moscas mudaram mas a merda não variou nadinha.

  2. adelinoferreira says:

    Este palavrossavrvs não tem um texto que
    não fale em guerra. É um obsessivo compulsivo e malcriado! Isto não é uma
    mera opinião é um rigoroso diagnostico
    do seu comportamento.

    • palavrossavrvs says:

      Essa aguardente turva-lhe a capacidade de análise. Comentários básicos e ofensivos não são argumentos, Adelino. Argumente, Adelino. Argumente. E esquecerá que existo e o incomodo por pensar conforme penso.

      No outro texto, tive quem quisesse mastigar-me os colhões à conta das minhas opiniões e irreverências para com o Dr. Soares, essa Vaca Sagrada. Enfim, a liberdade é isto.

      • adelinoferreira says:

        Você ainda não percebeu que em democracia,não é aceite ser fascista!

      • Nascimento says:

        Então diga lá, sem receio,qual é o regime que “adora”???Este não presta,será que o “outro” é que ….???Adoro puristas e educadinhos…e já agora, afinal quem ofende e é ordinário é o senhor, ao responder ao Adelino afirmando que ele é um bebado.Grande moral né???

  3. Luís says:

    Perante a indiferença quase geral, o velho democrata Soares mostra o que este governo de farsolas é!
    Um bando de aldrabões, fora da lei, sem qualquer legitimidade para governar e a mando da finança europeia contra os interesses de quem os elegeu!
    Sem qualquer respeito pelos portugueses e pelas instituições!
    A História guardará um lugar para eles no capítulo dos Traidores!

    • palavrossavrvs says:

      Um farsolas a falar de outros farsolas não tem moral para falar de farsolas. A farsa é um conceito muito generoso.

  4. coeh says:

    O tempo dos mentirosos esta no fim!

  5. edgar says:

    A situação é grave e vai agravar-se ainda mais enquanto o PS, de modo oportunista, vai passeando entre a oposição construtiva e a abstenção violenta, ou a ruptura e o diálogo.
    As troikas, a estrangeira e a externa, vão namorando por carta, e os portugueses sofrem com o aumento da pobreza ( 3 milhões?) e do desemprego (1,5 milhões?), a redução do estado social, a perda do poder de compra, o aumento do desespero, do medo, da falta de esperança e, principalmente, da revolta e do ódio.
    O mundo de hoje é medido em números e percentagens que as classes dominantes valiam, discutem e influenciam, atirando as pessoas para uma dimensão muito subalterna.
    Mas a História ensina e a nossa experiência confirma que o factor verdadeiramente determinante, motor das grandes transformações, é o povo.
    Haja confiança que a luta é grande, é dura, mas o futuro só depende de nós.

    PS. ninguém se ofendeu (nem o próprio!?) que os finlandeses tivessem chamada ao todo-poderoso representante do governo português, ministro da troika?


  6. O que Soares fez foi um paralelismo histórico, que reporta ao modo muitas vezes violento como a sociedade tende a reagir quando lhe são impostas políticas que não escolheram e que destroem a economia e o tecido social de que são feitas as democracias: a confiança. Quando o povo se sente atraiçoado e esmagado por políticos que deixaram de defender os interesses colectivos. É naturalmente uma imagem forte, a do regicídio. Daí a inferir-se que Soares está a apelar ao assassinato do Chefe de Estado ou de qualquer outro político eleito é um disparate que só pode ser tomado po manifesta hipocrisia e má vontade. Já se sabe que o senhor não gosta do Soares. Mas ele apenas está a chamar a atenção para o óbvio: estas políticas e este governo estão a mover um cerco aos portugueses que pode muito bem redundar em violência. Tem razão. Só não vê quem acha que o empobrecimento e o autoritarismo são necessários e merecidos e que devemos sofrer e calar. Como é manifesto em cada post do palavroso bloguer.

    • xico says:

      O regicídio foi um crime. Matou-se o rei e um jovem de menos de vinte anos, inocente. Meter o povo nesse assassinato é obsceno. Soares não podia fazer paralelismos históricos misturando o regicídio com revoltas populares. Logo limitou-se a fazer uma ameaça, como se houvesse criminosos na sombra e ele soubesse quem são.

  7. omaudafita says:

    Nós não somos a Grécia!
    Nós não podemos ser comparados como a Grécia!
    Nós não podemos ir pelo mesmo caminho da Grécia!
    Blá Blá Blá
    Solução do actual governo?
    Tomar as mesmas medidas que na Grécia…

    “Duas coisas são infinitas: o universo e a estupidez humana. Mas, no que respeita ao universo, ainda não adquiri a certeza absoluta”.
    Albert Einstein

  8. Amadeu says:

    Grande Soares !!
    Não fosse o zeitgeist que nos separa dos tempos em que foi morto o senhor Carlos e já não tínhamos o Coelho e quejandos.
    Ó merdossaurus, qual é a parte que não precebes ?

  9. antonio oliveira says:

    A guilhotina é um instrumento utilizado para aplicar a pena de morte por decapitação.
    (roubado à WKP).

  10. Kratu says:

    curti o merdosssauros 😀


  11. Sobre o TOC….


Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.