Ele Nem Tudo é Sinapses

SinapseOs filhos da puta dos cientistas estão sempre a surpreender-nos, não fosse, com esta idade e experiência, sabermos que muitos dos postulados que os media veiculam a partir de estudos, análises e conclusões, do género o vinho tinto contém antioxidantes [comprem mais vinho] ou que o café previne Alzheimer [passem a consumir café], não cumprissem um princípio de meias-verdades acoplado ao espevitar do consumo precisamente daquilo, normalmente alimentos, que a ciência elogie.

Agora dizem-nos que aos 27 anos de idade, sendo ainda jovem, na verdade o nosso cérebro começa a sua inexorável decadência. Quase aposto que temos neurónios e sinapses na língua de carne, na pele, no pénis, devido ao bom uso que deles fazemos, mas a ciência está aí para nos recordar que os neurónios vêem as conexões entre eles a piorar precisamente a partir dessa idade, matando em cada qual quer a inteligência espacial, quer a capacidade de desenhar objectos e visualizá-los mentalmente, quer o raciocínio, quer a memória os quais, na verdade, vão decaindo.

São estas, pelo menos, as conclusões de um estudo de fôlego pela Universidade da Virgínia, que mediu as capacidades cognitivas de duas mil pessoas de várias faixas etárias. Que o ponto de viragem na vitalidade cognitiva esteja nesse marco etário é o preço da evolução, ditado em grande parte por milhares de anos atrás de mamutes, a fugir dos tigres dentes de sabre e outros predadores possantes, quando a vida era tão breve, copular tão concentrado no tempo, e, na verdade, não se vivia muito mais que trinta anos, exaustos de foder [tentar], a comer mal, a guerrear na defesa do território, a caçar percorrendo milhares de quilómetros e sobretudo a não ter a porra de um coto de sossego, não fosse tão difícil agradar às fêmeas com bons colares de ossos, dentes de animais e fins de semana nas melhores cavernas.

Vá que, de acordo com o mesmo estudo, a Língua-Linguagem não se ressinta, pois aparentemente é no verbo que está a nossa força enquanto espécie, já que as nossas faculdades de expressão verbal progridem até aos sessenta anos, o que explicará um Homero, um Saramago, um Umberto Eco. As fontes de sabedoria e de persuasão, exceptuando Mário Soares esse macaco carbonário, estão na velhice, pois podemos aprender permanentemente coisas novas, aumentar o número de informações no cérebro, para equilibrar parcialmente a degenerescência cognitiva.

Calma. Há efectivamente quem se mostre deprimentemente velho antes dos vinte e sete ou pouco depois. É por isso que podemos ver velhice e calcificação no chato do Pedro Marques Lopes [aquela voz de falsete dói!] e em quantos papagaios, Daniel Oliveira, por exemplo, reproduzem retóricas do fim do mundo ou a ilusão de que o fim do mundo se resolve com a maceração crítica ou a evacuação do Governo Passos Coelho ou o assassinato do consenso político-partidário numa situação de absoluta emergência nacional. Já Clara Ferreira Alves, jovial e criticamente distanciada, aponta para o contexto adverso e penoso da Europa, poupando-nos à mesquinhez do olhar vesgo interno e exclusivo que pisa e repisa nos mesmos bodes expiatórios, e logo a Clara, que tem pescoço de grou, olha se não tivesse?! Benditas sinapses neuromusculares!

Conclusão: a velhice, enquanto arte de dizer mal do mundo e arte de desesperar de saídas e soluções, é muito uma coisa de Esquerda, não é?!

Comments

  1. Amadeu says:

    E quando a decadência atinge a escala sáurica pode-se constatar o conhecido efeito de enviesamento palo búrrico, com o raciocínio dos indivíduos desfasado só para um lado do espectro político. Em estado terminal, passam a ostentar panarícios mentais por regimes monárquicos.

    Muito triste de se ver.

    • palavrossavrvs says:

      Amadeu, vá lá que tu não envelheces nem desenvelheces: és sempre o mesmo amoroso comentador que eu arrosto pelos dias. Um grande bem-hajas. Acho muita piada quando não és o primeiro a chegar. Coisa rara.

  2. Acredite que não demorará muito tempo para que exista um exame bioquímico que vai determinar se uma determinada pessoa tem probabilidade elevada de vir a ter (30 anos mais tarde) doença de alzheimer. Resta saber se por essa altura já exista um medicamento para impedir ou atrasar a progressão desses acontecimentos silenciosos que vão ocorrendo ao nível dos neuronios e se nós, aos 35 anos, queremos tomar medicamentos para uma doença cujos sintomas aparecem aos 70. Escrevi sobre isto num destes dias. Deixo o link, http://agoradigoeu.wordpress.com/2013/04/18/nao-esqueco-como-poderia-esquecer/.
    Até breve.

  3. Dora says:

    Eu se fosse a ti não me fiava muito em estudos. Olha o estudo do FMI! E tantos outros que saltitam como pipocas, para todos os gostos.

    Este “desconfiar” não tem a ver com esquerdas ou direitas. Tem mais a ver com sensibilidade, bom senso e não querer passar pelas coisas qual libelinha saltitando de nenúfar em nenúfar.

    Em que é que se basearam para dizerem que, a partir dos 27 anos, o cérebro entra em decadência?

    Será que foi um estudo encomendado para o implementar de uma eutanásia social e geracional em tempos de crise e de desemprego? A partir de certa idade, o pessoal está decrépito e não presta, logo para quê o direito ao trabalho? E à saúde? E à habitação? E à educação?

    Coisas, pérolas, atiradas a quem não precisa disso. Gastos supérfulos com o estado social. Afinal, estão em processo de degenerescência….

    A seguir vem outro estudo a dizer que o pessoal com mais de 27 anos pode viver ao ar livre e comer ervas. Entra, progressivamente, em estado vegetativo e de couve portuguesa.

    I phoda-ssssseeee!!!!

  4. Dora says:

    Agora percebo porque é que o governo de Portugal tem tantos jovens de 22 ou 23 anos como secretários adjuntos de outros quaisquer assessores adjuntos de ministros sub-adjuntos de ministros adjuntos.

    Estão em potência máxima das suas capacidades. Segundo o estudo?

  5. nightwishpt says:

    Continue a não perceber nada que a gente tem que se rir com alguma coisa.

  6. celesteramos.36@gmail.com says:

    Mas esqueceram-se (??) de dizer que “outros” até começam a degenerescência neurónica logo que aos 9 anos se sentam com bandeirinha laranja nos comícios ao lado do paisinho mesmo que tenham de ir de mão dada- E gostei muito dessa gracinha da Dora dos meninos de 20 anos com a árdua tarefa de secretários de estado. perdão, adjuntos o que segue a evolução já que aos 18 anos já se pode ter pópó e andar a matar nas IPs – quanto mais cedo melhor – estou a ouvir na TV1 24H 3 anoramis e o mais anormal o diabo que escolha mas prefiro o cirurgião Barroso mas o sr de Sintra não lhe fica atrás e acho que é tão anormal que nem neurónios teria podido desenvolver mas está à altura de sua mulher que hoje entrevistou alguém que deu pela 1ª vez uma perspectiva da UE e de Markel e USA bem interessante tal que estamos como escudo para a eu e quando não precisar seremos chutados e bem depressa e por enquanto lá cedem o “crédito” – bom ponto de vista – mas os neurónios do ser benfiquista da CM de Sintra só foram morrendo logo que acabou de nascer e o outro sr do Porto é tão disforme que ocupou o espaço neuronal e só ficou banha – bem estão a falar do benfica sporting com o calor habitual e do comprado do árbitro – programa prolongamento – estes tipos até estragam o futebol

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.