Então sejemos

Sim, somos governados por analfabetos.

Comments


  1. Quando quiser corrigir, acho que que vai dizer “seíjamos”.

  2. adelinoferreira says:

    começo a perceber!

  3. lidia drummond says:

    J. j. Cardoso, fui fazer um pouco de jogging, cheguei a casa, liguei a internet, vi o seu post saiu-me o ALFORRECA com um baraço ao pescoço a dissertar com aquela voz postiça e meliflua de quem quer enganar os tolos, tinha comido uma bela saladinha, deu-me vómitos e agora tenho de esperar até voltar a comer. Malvado disse ela ao JJ. Uma tal nespera escreve aqui “seijamos” parece o Cavaco a dizer CIDADÕES. ele há cada abrécola anónima

  4. adelinoferreira says:

    O que já percebi e tenho a certeza, pois é o JC que o diz,é que
    ama (de amizade) o Palavrossaureo, chama analfabeto a quem
    pronuncía uma palavra incorrecta e que cita Eugénio Rosa. E tem
    todo o direito de o fazer! Não o estou a relacionar com aquele
    Filho da Puta(incógnito) que me chamou analfabeto, por erros
    ortográficos, quando comentava o post do Palavrossaureo.
    Com a amizade que me merece Adelinoferreira.


  5. Aprecio de sobremaneira a inteligência suprema de uma tal lidia drummond… Ele há cada sinapismo feminino que até dá dó.
    Obrigada por me ensinar uma palavra nova em lidinês. Não conhecia “abrécula”. Foi lindo!

    😀 😀 😀

    • lidia drummond says:

      Quando estive grávida tinha um desejo imenso de comer nesperas, de tal forma que num dia cheguei a comer 5 kilos. Depois de parir o meu filho enjoei as nesperas e hoje não as posso ver, Felizmente o meu filho é de uma inteligência rara e jamais escreveria um comentário anónimo pois na nossa família ensinam-nos desde muito pequenos que só se servem do anónimato os cobardes, mentirosos, desonestos. Quanto ao termo sinapismo com que me honra, antes sê-lo do que uma esponja que absorve toda a nojeira. Não volte a escrever o meu nome pois não é digno disso. Seja um Homem, mulher ou transexual, ou mesmo uma CD como o PP e identifique-se.


      • Será que as nêsperas fazem as pessoas inteligentes quando as mães, enquanto grávidas, as comem?
        Drummond, só conheço o de Andrade. Todos os outros são, para mim, tão anónimos que nem dou pela sua presença.
        Também agradeci o adjectivo com que alguém me presenteou. Aliás, tal como referi, melhorou o meu vocabulário e reitero o meu agradecimento.
        E não desejo que ninguém se amofine, pois não vale a pena e não darei resposta alguma. Até porque foi outro alguém que não eu que começou a mostrar a educação cuja família, eventualmente, lhe terá dado.
        E… sou uma ignorante, confesso. Não sei o que significam as siglas CD e PP. Mas também não quero saber… hoje já aprendi uma palavra nova (abrécola) e não quero perturbar as minhas cobardes, mentirosas e desonestas meninges.


  6. Peço desculpa a todos os que por aqui passem pelos comentários que proferi fora do contexto do post excelente (aliás, como sempre) de João José Cardoso.
    Desculpem… 🙂


  7. A conversa anda muito amarga ou talvez azeda o que não admira pois que é verão – e adorei a “abrécola” – é melhor do que o AO – muito se aprende da condição humana portuguesa em tal blog com e sem erros ortográficos & outros – é “povo” português no seu esplendor – mas pena minha, está a regredir e afundar-se em algo malcheiroso

    • lidia drummond says:

      Não gostou da palavra abrécola ou abrecula como gostar mais. pois acho que se aplica muito bem, a um anónimo. não seja táo pernóstica. pois pena minha alma ausente, é a mudança do mundo que deixou de ser mecânico para ser digital depois da descoberta da fibra óptica. Nada será como dantes. Cumprimentos Senhora Dona Maria Celeste Ramos


  8. A calinada da Cristas!

    http://www.youtube.com/watch?v=G7hdGI_qXF8

    O Primeiro-Ministro Passos Coelho já tinha inaugurado a saga, em Julho de 2013; agora é a Ministra Açunssão Cristas que lhe segue o exemplo.
    O presente do conjuntivo é como a gente quisermos, há-des ver se eu não tenho razão.
    Sejemos realistas, mas não “sejemos fracos com os fortes”.
    Sejemos realistas, exijemos o impossível! Nada de pieguices, tenhemos coragem para enfrentardemos as dificuldades cada vez mais difíceis do dia a dia que vai desde que o sol se nasce até que o sol se põe, isto caso o governo não deqrete que o dia paça a ser até à meia-noite.
    Viva a Çanta Inguenorância! Viva!
    Calinadas no Português Sempre, Faxismo Nunca Mais!.
    Assunção Cristas, Ministra da Agricultura e das Calinadas no Português, Assembleia da República, 6 de Novembro de 2013.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.