Isto precisava era de um Pinochet!

pinochet-thatcher

Egyptians would be lucky if their new ruling generals turn out to be in the mold of Chile’s Augusto Pinochet, who took power amid chaos but hired free-market reformers and midwifed a transition to democracy. If General Sisi merely tries to restore the old Mubarak order, he will eventually suffer Mr. Morsi’s fate.

in “After the coup in Cairo”

Este é o discurso habitual dos que governam o mundo: preocupam-se muito com os mercados e nada com as pessoas, reduzidas a cordeiros sacrificiais que servem para bulir e nem sequer para balir. Que Pinochet tenha sido responsável por torturar, matar e silenciar pessoas não tem importância nenhuma, face aos mercados, esse novo Deus castigador do Velho Testamento. [Read more…]

O Chamado Coitus Ininterruptus

O deputado João Almeida explica.

Nevoeiro de verão

Paulo Portas pode ter muitos defeitos, mas não é burro. E, por isso, tenho alguma dificuldade em entender o passo em fogfalso dado pelo cobrinha mor do cenário político luso. Mas, ao ouvir Manuela Ferreira Leite na TSF o nevoeiro começa a desaparecer.

Começa a ficar mais claro que o PSD percebeu que não há mais caminho para trilhar e que o segundo resgate é tão certinho como dois e dois serem cinco nas previsões do Gaspar.

Comparando o estado actual da nossa economia e das nossas finanças, com o que existia no momento da entrada deste governo podemos facilmente perceber que estamos pior em todas as dimensões: pior economia, mais desemprego, mais défice e maior dívida. [Read more…]

Paulinho, arrecua filho, arrecua

O anúncio à nação será esta tarde. Diz-se por aí que, a pedido de alguém, Portas recuará até colo da governação a sancionar por Cavaco.  O cargo, dizem, será de vice-primeiro ministro. A tomada de posse merece estreia de fato, camisa e gravata do Rosa & Teixeira.

O Irrelevante

toz

Até poderiam ter sido marcadas eleições antecipadas que ele poderia ganhar e tornar-se o próximo primeiro-ministro, mas, qualquer que fosse o caminho escolhido, a sua influência na decisão seria como foi: ZERO.

Completamente “entalado” entre a única janela de oportunidade para ganhar umas eleições que os seus coleguinhas de partido lhe permitiam e o pavor de ter de assumir a resolução dos problemas do País, imaginando que contava para o campeonato, pôs-se em bicos de pé e repetiu até à exaustão: eu é que sou o presidente da junta, perdão, são necessárias eleições antecipadas.